Muita gente ainda tem dúvida, afinal de contas, qual a diferença entre psicólogo e psiquiatra? E o psicanalista, onde entra nessa história? A gente esclarece com qual especialista você deve fazer uma sessão de terapia, de acordo com a sua realidade e necessidade. 

Afinal, qual é a diferença entre psiquiatras e os psicólogos?

Ambos são especialistas de saúde capazes de tratar questões emocionais, mentais e psíquicas, que incluem desde tratamentos preventivos a outros mais profundos, como transtornos de ansiedade, depressão, Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e outras síndromes. Abaixo vamos definir melhor as características de cada um deles e entender sua diferença:

O que faz um psiquiatra?

Psiquiatras são profissionais com formação em medicina e especialização em psiquiatria, que envolve aproximadamente 10 anos de estudo acadêmico e prático. O psiquiatra trabalha na identificação e diagnóstico de doenças como depressão, ansiedade, esquizofrenia, compulsão alimentar e outros transtornos. Também é ele que prescreve tratamento medicamentoso, como por exemplo, antidepressivos e ansiolíticos.  

O tratamento psiquiátrico pode ser feito em conjunto com o acompanhamento psicológico. Tem como foco o a junção de seus sintomas, seu histórico médico, as suas relações familiares e uma série de outros fatores. Portanto, além diversas perguntas sobre você, é possível que haja a necessidade de realizar algumas avaliações de rotina, como exames de imagem, laboratoriais e testes neurológicos, por exemplo.

A prescrição de medicamentos é considerado o item principal na diferenciação entre tratamentos com psicólogos e psiquiatras, e tem como principal objetivo melhorar a qualidade de vida do paciente e a redução de alguns sintomas. A duração do tratamento varia de acordo com a resposta e a gravidade da patologia do paciente.

Até o século XVIII, os psiquiatras atendiam apenas em hospícios, mas com a mudança de posicionamento e a aproximação de seu trabalho com o que o psicólogo realiza, esses atendimentos passaram a ser também feitos em consultórios. Por essa questão, muitas pessoas ainda carregam o estigma errado de que psiquiatras cuidam apenas de pessoas loucas.

É um profissional formado em psicologia, ciência que estuda o comportamento e processos mentais, como emoções, sentimentos, razão e pensamentos. A graduação é de cinco anos e visa a permissão para tratar problemas ligados à mente humana, a partir de diferentes técnicas.

As abordagens do tratamento são feitas a partir de conversas e técnicas psicoterápicas. Assim, poderão identificar a raiz do comportamento disfuncional e da saúde mental do paciente.

Essa análise leva em consideração as dimensões sociais, psíquicas e biológicas. A partir disso, apresenta-se ferramentas e formas de transformações para que o paciente leve uma vida mais saudável e equilibrada.

Em geral, o tratamento é feito por meio da junção da fala e observação. O acompanhamento pode durar meses ou anos, dependendo das condições e evolução do paciente. Uma diferença central é que o psicólogo não receita medicamentos e, quando necessário, encaminha o paciente para psiquiatras.

Além de tratamentos de doenças que afetam a saúde mental, como depressão, angústia e ansiedade, é também possível trabalhar o autoconhecimento em uma sessão de terapia. Psicólogos ajudam em uma melhor relação com a autoestima, inteligência emocional, relações sociais e até transições de carreira e de vida.

O que faz um psicanalista?

A psicanálise surgiu no século XIX a partir de conceitos formados pelo médico neurologista austríaco Sigmund Freud. O trabalho do psicanalista envolve uma análise bem próxima ao que é feito pelo psicólogo. A diferença é que sua técnica inclui um estudo do inconsciente. Por conta disso, o tratamento pode ser mais longo.

O psicanalista vai propor questionamentos a você a partir da análise do seu discurso, investigando atos-falhos e involuntários. O objetivo é encontrar o equilíbrio do paciente com o seu eu-interior e questionamentos internos.

É uma proposta de busca profunda por autoconhecimento, que estimula o paciente a dizer tudo que passa em sua mente, desde sonhos e desejos, a experiência vividas ao longo da vida.

Este profissional não é necessariamente formado em psicologia ou medicina, e também não está apto a prescrever medicamentos em seu tratamento.

Como saber se eu preciso de um psiquiatra ou psicólogo?

É mais fácil decidir qual especialista procurar quando você sente uma dor muscular ou problema de dente. Mas como identificar a hora de buscar um psiquiatra ou um psicólogo?

Não existe uma regra que funcione para todos na hora de decidir quando a ajuda é necessária. Separamos aqui alguns pontos que você poderá observar e refletir para que, enfim, você compreenda qual é momento de procurar acompanhamento profissional.

Vale lembrar que mesmo existindo situações que nos faça recorrer mais imediatamente a um psiquiatra ou psicólogo, como uma tristeza profunda, desânimo e a ansiedade, você também pode procurar ajuda para desenvolver melhor suas habilidades, como o autoconhecimento e a inteligência emocional.

Atenção aos principais sintomas de alerta:

Esses são alguns sintomas e que podem aparecer juntos ou separadamente. A avaliação e diagnóstico só será possível mediante ajuda médica. O Zenklub conta com profissionais de qualidade que pode te ajudar a enfrentar estes problemas.

Este artigo foi útil?

4.56

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub