A Tristeza, no dicionário, é dito como “Qualidade ou condição de triste; falta de alegria; melancolia.”, mas e para você, o que quer dizer tristeza? O que ela provoca e o quanto atrapalha as suas atividades do dia a dia?

Pode parecer um tema bobo mas, afinal, quem nunca se sentiu triste pelo menos algumas vezes na vida? É normal, não é mesmo?

O fato é que quanto mais conversamos sobre esses sentimentos e sensações, melhor vamos trabalhar eles dentro de nós mesmos para, assim, superá-los.

O que é a tristeza?

A tristeza é um dos seis sentimentos fundamentais que todo ser humano é capaz de sentir, assim como, a felicidade, a raiva, o medo, a repulsa e a surpresa. Ou seja, como qualquer outro sentimento, ela é uma resposta a algo que acontece em nossa vida ou ao nosso redor.

Além disso, os especialistas dizem que a tristeza é um dos sentimentos mais duradouros, muito mais do que a alegria ou felicidade. Isso porque costumamos guardar para nós essa sensação por mais tempo. Ou seja, isso pode gerar um problema maior como por exemplo transtornos de ansiedade e de depressão.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 120 milhões de pessoas no mundo sofrem de tristeza profunda.

O que causa a tristeza?

A causa pode estar ligada, por exemplo, à perda de alguém querido, término de um relacionamento, frustração no trabalho ou com a carreira, problemas de performance, infelicidade com as conquistas pessoais, traumas e conflitos internos mal resolvidos.

Esses dados da OMS só reforçam o quanto os cuidados com o bem-estar emocional são importantes para a nossa vida. Todos temos tristezas para superar, mas se você está sentindo dificuldade para seguir em frente, procure ajuda de um especialista, como psicólogos, terapeutas e psiquiatras.

Mas, afinal, é tristeza ou depressão?

Entender seus sentimentos não é uma missão fácil. Por isso, é comum não conseguirmos compreender se o que estamos vivendo é uma tristeza profunda ou depressão.

Pensando nisso, perguntamos para a psicóloga e especialista do Zenklub, Tatiana Festi, como podemos entender melhor o que estamos sentindo.

Para Tatiana:

A tristeza é uma reação natural a situações difíceis de serem vivenciadas e sentir tristeza é saudável.

Mas quando nos sentimos tristes por muito tempo e isso passa a afetar nosso dia a dia, pode ser que esse seja um sinal de alerta para depressão.

As causas da depressão podem ser genéticas, alterações de neurotransmissores, doenças crônicas, traumas, abuso de álcool e outras drogas.

Portanto, como definição, a tristeza é um sentimento e a depressão uma doença. Veja alguns pontos que podem ajudar a identificar se o que você sente é tristeza ou depressão:

Reação apropriada X reações extremas

O sentimento de tristeza é a uma reação apropriada diante de algum evento e não dura mais do que horas ou dias.

Já a depressão, são reações extremas, e a sensação é de que aquilo nunca vai passar.

Prazer X sentimento de vazio

A tristeza nos desencoraja, mas essa sensação oscila durante um tempo. Na depressão, o sentimento de vazio é constante, principalmente, de perda do sentido da vida.

Vitalidade X exaustão

A tristeza não o impede de seguir com as suas atividades e tarefas do dia a dia e relações pessoais.

Na depressão não há essa energia, e a pessoa depressiva se afasta lenta ou abruptamente de pessoas e da rotina que antes era prazerosa.

Pensamentos negativos X distorção da realidade

Os pensamentos negativos atuam durante um período de tristeza e é uma reação comum. Já na depressão esses pensamentos ficam distorcidos, mais próximos da imaginação e distante da realidade.

Você também pode avaliar se os seus sintomas de tristeza estão mais próximos da depressão fazendo o teste de depressão, adaptado do teste científico Americano criado pelo Dr. Spitzer e Dr William (PHQ – Patient Health Questionnaire).

Como superar a tristeza?

Passar por cima dos sentimentos de tristeza é uma das ferramentas que muito de nós utilizamos para camuflar essa sensação ou para simplesmente tentar encontrar a felicidade mais rápido.

Sem dúvidas isso pode funcionar em alguns casos e para algumas pessoas, mas a verdade é que é importante quando você se permite se relacionar com todos os seus sentimentos.

Quando você se propõe a entender seus sentimentos, a chance de compreensão, autoconhecimento e evolução se torna mais evidente e funcional para os eventos futuros que podem surgir.

De qualquer forma, separamos aqui algumas dicas para você aprender a trabalhar melhor as emoções da tristeza e de fato superá-las.

Conecte-se com os seus sentimentos

Nossas emoções sinalizam algo bem maior do que apenas o que estamos vivendo naquele momento.

Esconder, evitar ou camuflar, não lhe torna alguém mais forte e capaz de superar os desafios com mais facilidade.

Não tenha pressa, não há problema algum em ficar triste ou muito feliz por algo.

Tudo isso é natural e somos seres capazes de viver diferentes emoções todos os dias. A forma com que vamos reagir é que deve ser trabalhada por nós mesmos ou com a ajuda de um especialista.

Pratique o autoconhecimento

Continuando a linha de raciocínio do item anterior, quando praticamos o autoconhecimento, assim como a inteligência emocional, somos capazes de administrar melhor as nossas emoções.

Quando você se conhece e sabe entender o que te faz bem ou mal, o que pode te trazer benefícios ou prejuízos. Você tem uma excelente ferramenta na mão.

Valorize-se

Os pensamentos e mensagens negativas que recebemos de nós mesmos e de outras pessoas, podem provocar baixa autoestima e nos deixar inseguros.

Lembre-se de cultivar pensamentos positivos, descartar críticas e autocríticas que não contribuem para a sua evolução e repita todos os dias para si que você.

Sim o ser único no mundo e que a sua vida e suas atitudes tem valor.

Cuide da sua saúde

A prática de atividades físicas não são apenas fundamentais para cuidar do corpo e mantê-lo bonito. Ela é também uma excelente válvula de escape que faz o seu corpo e seu organismo se movimentar e responder com sensações positivas.

Além da questão física, cuidar da mente é fundamental, por isso, invista em conhecer técnicas de respiração e de meditação.

Isso irá te ajudar a controlar melhor suas reações e a estabelecer mais momentos de equilíbrio.

Valorize as suas relações pessoais

Mais do que amar as pessoas, precisamos nos dedicar a viver momentos de prazer com elas. Por isso, aproveite os momentos livres para se conectar com quem você tem afeto e aproveite de forma intensa essas sensações.

Aceite ajuda

Assim como aproveitar momentos bons com as pessoas, também precisamos estabelecer laços de confiança para nos abrir em momentos de dificuldade e tristeza.

Identifique quem de fato está do seu lado na “saúde e na doença” e confie nelas as suas emoções e desabafos;

Pratique a compreensão

Nada é por acaso e somos sim seres capazes de superar e de conviver com diferentes dores. Quando você compreende melhor o que acontece ao seu redor, identifica as dificuldades como novos degraus para a sua evolução.

Faça terapia

A terapia é para quem está triste e para quem não está triste. Para quem tem depressão ou algum transtorno mental ou não.

Terapia é para todo mundo e mais do que trabalhar sensações ruins ou momentâneos.

O especialista poderá te ajudar a encontrar habilidades positivas em você, como o próprio autoconhecimento, que falamos aqui, como a empatia e a gratidão.

Se você acha que não tem tempo para ir a um terapeuta, lembre-se que a tecnologia está a nosso favor e que é possível fazer suas sessões online, por videoconsulta, de onde e quando você puder.

No Zenklub temos mais de 500 especialistas que podem ajudar você, considere essa prática como mais uma ferramenta para fugir da tristeza.

Este artigo foi útil?

3.82

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub