O psiquiatra é um profissional que trabalha na identificação, diagnóstico e tratamento de doenças do cérebro que afetam as funções psíquicas. Como por exemplo no humor, percepção, senso de orientação, memória e concentração. Você deve procurar um psiquiatra ao apresentar alterações nessas reações do corpo, pois isso pode decorre de doenças psiquiátricas que afetam seu lado emocional e a maneira de se relacionar.

Normalmente o acompanhamento com psiquiatra é um encaminhamento do próprio psicólogo. Isso porque, durante as sessões de terapia ele pode ver a necessidade de um tratamento com medicações.

Mas, o certo é que os remédios e a terapia sejam combinados, pois assim, o paciente recebe o apoio da terapia para lidar com suas questões emocionais. Assim, a melhora acontece de forma mais efetiva e rápida.

Mas, afinal, como é o tratamento de um psiquiatra?

No início, o psiquiatra procura identificar o problema do paciente. Dessa forma, ele traça o histórico de vida da pessoa, abordando questões familiares, de relacionamentos afetivos, traumas e objetivos de vida. Depois disso, o médico pede exames físicos para verificar se há a presença de alguma patologia que esteja afetando o psicológico do paciente.

Depois de tudo isso, quando o médico define qual é o problema, começa o tratamento com o remédio psiquiátrico correto para o caso daquele paciente.

A melhora é um processo e, durante cada sessão, o médico avalia o paciente para fazer mudanças em sua abordagem, se for necessário.

Um dilema da psiquiatria é a confusão com a psicologia. Isso porque as duas áreas cuidam da saúde mental e muitas pessoas acreditam que essas profissões são a mesma coisa. Mas há diferenças importantes, como por exemplo a área de estudo e a atuação.

Qual é a diferença entre psicólogo e psiquiatra?

A diferença entre um psicólogo e um psiquiatra começa na área de estudo. Para se tornar psiquiatra, a pessoa deve concluir o curso de medicina e fazer a especialização de três anos em psiquiatria. Por outro lado, para trabalhar como psicólogo é necessário fazer a graduação de psicologia.

Outra diferença entre essas duas profissões é que o psicólogo apresenta um leque amplo de áreas para atuar, não somente em consultório, mas também em empresas, no setor de RH e como coach, por exemplo. O psiquiatra, por sua vez, atua como um médico de fato.

Outro fator diferenciador é que o médico psiquiatra, por sua formação em medicina, tem a permissão de receitar medicamentos. Por isso, é o responsável pelo diagnóstico e tratamento de distúrbios mentais mais complexos.

Mas o que faz um psiquiatra?

A psiquiatria é uma área da medicina que trata a saúde mental. É responsável pelo diagnóstico e tratamento de doenças psiquiátricas. Os transtornos mais frequentes tratados pela psiquiatria são:

O médico psiquiatra atua na recuperação e desenvolvimento dos seus pacientes. Para isso, o profissional conta com três métodos de tratamentos:

  • Psicoterápico, em que não há prescrição de remédios
  • Farmacológico, feito com remédios psiquiátricos, como antidepressivos, ansiolíticos, antipsicóticos e estabilizadores de humor
  • Combinado, em que há a associação dos tratamentos psicoterápico e farmacológico

Especializações da psiquatria

Por cuidar da integridade psíquica de maneira geral, a psiquiatria se divide em diversos ramos de especialização, como psiquiatria infantil e forense, por exemplo. Veja a seguir como funcionam essas duas especialidades.

Psiquiatria infantil

A psiquiatria infantil atua na descoberta de sofrimentos mentais entre crianças e bebês. Independente da origem do problema, isso pode afetar o desenvolvimento do paciente. É recomendado procurar um psiquiatra infantil se há alguma mudança de comportamento suspeita, geralmente depois de algum trauma.

Essa é uma abordagem delicada, já que as crianças estão em constante evolução. Durante as sessões, o profissional usa alguns métodos para que as crianças se abram, como uso de imagens, desenhos e até mesmo jogos e brincadeiras que podem ajudar a identificar a causa do problema.

É importante ressaltar que a saúde mental das crianças não deve ser negligenciada. Mesmo que elas não se expressem de maneira clara como os adultos, elas têm senso de percepção e podem sofrer de doenças psiquiátricas como qualquer pessoa.

Psiquiatria forense

Essa área da psiquiatria atua em cooperação com a lei, ajudando em processos judiciais. O psiquiatra forense, que pode ser um psiquiatra, um perito, médico do trabalho ou qualquer médico que tenha interesse nessa especialização, trabalha com avaliações psiquiátricas de suspeitos de crime. Dessa forma é possível traçar o perfil do criminoso através de uma análise técnica realizada pelo psiquiatra, tornando mais fácil resolver o caso e até prever ações futuras.

Conheça o Zenklub

Não adie a sua jornada de autodesenvolvimento e saúde mental. Bem-estar deve ser uma prioridade e é um direito de todos. Encontre um profissional para te ajudar a construir e fortalecer seu melhor você. 

Este artigo foi útil?

3.82

Você já votou neste post

Publicado por:

Rui Brandao

Publicado por:

Rui Brandao

Rui Brandão é médico, com experiência em Portugal, Brasil e Estados Unidos da América, e mestre em Administração pela FGV em São Paulo. Hoje é CEO & Co-fundador do Zenklub, plataforma de saúde emocional e desenvolvimento pessoal que oferece conteúdos, profissionais e ferramentas especializadas para mais de 1.5 milhões de pessoas no Brasil.