Os ciclos de transformação fazem parte da vida das mulheres, onde a cada nova etapa, lidamos com mudanças no nosso corpo e na nossa mente. Mas, sem dúvida, a mais temida dessas transformações na idade adulta é a menopausa.

No entanto, pode ser confuso entender o que de fato é a menopausa. Mas, chegou a hora de separar o que é informação relevante de verdade e o que é mito sobre o assunto. Por isso, separamos um guia completo que vai te ajudar a entender o que é menopausa, quais os sintomas e as formas de tratamento médico e psicológico.

O que é menopausa?    

A menopausa é quando há a interrupção dos ciclos menstruais. Isso acontece porque nosso corpo produz menos hormônios responsáveis pela fertilidade nessa fase da vida.

Mas, afinal, com quantos anos começa a menopausa?

A menopausa pode ter início após os 40 anos, mais especificamente entre os 45 e os 55 anos de idade. Ou seja, quando a menstruação passa a ser mais irregular e surgem sintomas como ondas de calor, pele ressecada e maior produção de suor, por exemplo.

Quais são as causas da menopausa?

A principal causa da menopausa é a idade. Além disso, ela também pode aparecer por conta de cirurgias ginecológicas, como a histerectomia, a exposição a quimioterapia e a radioterapia, e a falência ovariana precoce, que é quando os ovários deixam de produzir hormônios reprodutivos.

Quais são os sintomas da menopausa?

Os sintomas podem ser tanto físicos quanto emocionais, já que os nossos hormônios são responsáveis por boa parte das funções do nosso corpo. Por isso, confira alguns dos mais comuns:

  • Alterações no ciclo menstrual
  • Ondas súbitas de calor na pele
  • Vermelhidão na pele causadas por esse calor
  • Aumento do suor, principalmente, durante a noite
  • Palpitações e sensações de desmaio
  • Coceiras e secura vaginal
  • Diminuição da libido
  • Insônia e problemas para dormir
  • Mudanças de humor, com características de ansiedade, depressão e irritabilidade
  • Diminuição da autoestima
  • Redução no metabolismo
  • Ganho de peso
  • Dores de cabeça
  • Calafrios
  • Diminuição da memória
  • Perda de elasticidade da pele
  • Secura na pele e cabelos
  • Crescimento dos níveis de porosidade dos ossos
  • Incontinência urinária

Vale lembrar que nem todos os sintomas aparecem ao mesmo tempo e são obrigatórios em todas as mulheres. Ou seja, eles podem mudar de pessoa para pessoa e em níveis diferentes. Além disso, o diagnostico de menopausa só pode ser dado por um especialista em saúde íntima.

Quais os tipos de menopausa?

Podemos dividir a menopausa em três tipos ou períodos:

Pré-menopausa

Período assintomático onde o corpo começa a se preparar para não ser mais fértil. Isso acontece a partir da redução da produção de hormônios.

É também, a fase do climatério, que é quando a mulher ainda menstrua e seu corpo está caminhando para a fase em que os primeiros sintomas aparecem.

Perimenopausa

Essa é a fase quando os primeiros sintomas começam aparecer, como a irregularidade da menstruação, alterações de humor e calores, por exemplo.

Ou seja, o período tem início quando os sintomas resultantes da pré-menopausa aparecem e se encerra após um ano sem menstruação.

Pós-menopausa

Tem início um ano após a última menstruação e dura até o final da vida. Durante essa fase, acontecem várias mudanças no corpo e na estrutura hormonal das mulheres. Por exemplo, existe um risco maior para doenças cardiovasculares e osteoporose.

Além disso, alguns outros sintomas costumam ocorrer nessa fase, como por exemplo a secura vaginal, dores durante as relações sexuais, entre outros.

Vale lembrar que todas essas etapas são mais fáceis quando acompanhadas por um médico e com tratamento adequado. Além disso, os sintomas podem ser reduzidos, e a mulher tem uma melhor qualidade de vida.

O que é climatério?

O termo climatério é o período quando a mulher sai da fase reprodutiva e entra na pós-menopausa. Ou seja, essa fase é caracterizada pelas ondas de calor, sintoma bastante comum e que afeta entre 60% e 80% das mulheres.

Qual a diferença entre climatério e menopausa?

Isso por ser confuso e o climatério é geralmente confundido com menopausa, já que ambos acontecem durante o mesmo período da vida da mulher. Porém, a menopausa, que é a última menstruação, acontece durante o climatério.

Quais são os sinais de menopausa precoce?

A menopausa precoce é quando o corpo da mulher diminui a produção dos hormônios e a menstruação começa a parar antes da idade regular. Isso pode acontecer por muitos motivos, como:

  • Alterações genéticas
  • Histórico familiar de menopausa precoce
  • Doenças autoimunes
  • Deficiências enzimáticas
  • Grande exposição a radiações, como na radioterapia, e após tratamento de quimioterapia
  • Doenças infecciosas como a Caxumba e Malária
  • Doença pélvica inflamatória ou endometriose

Os sintomas da menopausa precoce são os mesmos da menopausa regular, mas podem ser sentidos mais facilmente devido a queda brusca de hormônios sexuais e irregularidade na menstruação.

Por isso, o diagnóstico de menopausa em mulheres abaixo dos 40 anos deve ser feito por um médico que vai pedir exames de sangue, para avaliar os níveis hormonais.

Além disso, vale lembrar que também existe menopausa tardia, que é aquela que só ocorre após a mulher completar 50 anos. Mas, os sintomas são os mesmos.

Quanto tempo dura a menopausa?

A menopausa (ou seja: o fim da menstruação) acontece, em média, aos 40 anos. O período de pós-menopausa, porém, dura até o fim da vida.

Qual é o tratamento para menopausa?

A menopausa pode parecer assustadora, mas é um processo natural do organismo feminino e nem sempre é um período tão terrível como parece.

Mas, se o seu caso for incômodo e cheio de sintomas, o tratamento deve ser feito para que você tenha mais qualidade de vida. Por isso, confira algumas opções de tratamento para a menopausa:

Reposição hormonal

A reposição hormonal talvez seja o tipo de tratamento mais conhecido e é também o mais efetivo para os sintomas de ondas de calor, por exemplo, reduzindo em até 75% a sua frequência e quase 90% do seu grau de severidade. Ou seja, ela é feita a partir da reposição de estrógeno ou ainda a combinação de estrógeno e progesterona.

A avaliação para esse tratamento deverá considerar os riscos à sua saúde, avaliando suas condições, já que alguns tipos de terapia hormonal podem complicar e aumentar o risco de câncer, como os de mama e cólon do útero.

Em geral, a contraindicação é para mulheres que:

  • Tenham ou já tiveram câncer de mama ou no endométrio;
  • Tenham histórico de doença vascular cerebral;
  • Quadros de hipertensão;
  • Que já tiveram infarto;
  • Que apresentam doenças no fígado;
  • Com graves comprometimentos das artérias coronárias.

Estrogênio

O hormônio estrogênio alivia os problemas de secura vaginal e pode ser recomendado pelo médico como uso tópico, ou seja, um creme na própria região vaginal. É frequentemente indicado para mulheres com problemas para praticar sexo na menopausa, por dores, atrofia vaginal e problemas uroginecológico.

Remédios não hormonais

Se você se enquadra nas restrições de reposição hormonal, há opções de tratamento de acordo com os seus sintomas, como antidepressivos, antidopaminérgicos e hipno-sedativos.

Terapias alternativas

Há ainda quem não precise das terapias medicamentosas e é possível recorrer a outros tratamentos como a homeopatia, a fitoterapia e acupuntura.

Novos hábitos

Para conviver melhor tanto com os sintomas quanto com o tratamento recomendado, há também uma série de novas atitudes que você poderá tomar para o seu dia a dia que irão contribuir, e muito, para que você leve uma vida menos sintomática:

  • Beber bastante água;
  • Praticar atividades físicas;
  • Use roupas leves e frescas;
  • Evite o álcool, o fumo e outras drogas;
  • Tome sol regularmente;
  • Tenha uma alimentação balanceada.

Terapia e a menopausa

Assim como para diversos momentos da nossa vida é preciso cuidar também do nosso bem-estar emocional, junto com os tratamentos físicos. A ajuda de um psicólogo irá proporcionar momentos de diálogos e de aprendizados para os novos e mais difíceis momentos que poderão surgir.

O autoconhecimento e o trabalho da autoestima se faz bastante necessário, por exemplo, pois você irá perceber o quanto é importante ter domínio da sua mente para reverter as sensações da menopausa.

Não vale a pena deixar de lado o nosso bem-estar emocional em mais essa etapa importante das nossas vidas, por isso, procure ajuda e converse com o seu médico sobre a possibilidade de terapias adicionais ao seu tratamento.

No Zenklub, é possível encontrar profissionais que podem te ajudar a passar por este momento levando em consideração a sua saúde emocional.

Este artigo foi útil?

3.84

Você já votou neste post

Publicado por:

Rui Brandao

Publicado por:

Rui Brandao

Rui Brandão é médico, com experiência em Portugal, Brasil e Estados Unidos da América, e mestre em Administração pela FGV em São Paulo. Hoje é CEO & Co-fundador do Zenklub, plataforma de saúde emocional e desenvolvimento pessoal que oferece conteúdos, profissionais e ferramentas especializadas para mais de 1.5 milhões de pessoas no Brasil.