A menstruação nada mais é que o início de um ciclo caracterizada pela saída de sangue que acontece quando não há fecundação, ou seja, gravidez.

Neste momento, ocorre a descamação do endométrio (camada mais interna do útero) que se exterioriza como sangramento menstrual. Este ciclo, que acontece mensalmente, ocorre com alterações hormonais que preparam o corpo da mulher para a gravidez.

Em geral, a primeira menstruação ocorre entre os 8 aos 15 anos. A partir dela, certos momentos do ciclo menstrual representam uma enorme mudança e transição na vida da mulher, exigindo cuidados maiores com a saúde emocional.

Vamos juntos saber mais? 

O que acontece no corpo na menstruação?

O período menstrual faz parte do ciclo reprodutivo da mulher, que acontece em quatro fases que alteram o corpo:

  • Fase pré-ovulatória – Período em que o óvulo se desenvolve para sair do ovário e o útero se prepara para receber um óvulo fecundado. Aqui, os níveis de estrogênio e progesterona no organismo caíram drasticamente e estão próximos de zero, momento em que a TPM, com uma série de sintomas diferentes, como a vontade de comer doces, pode acontecer.
  • Menstruação (fase folicular) –  O organismo está com pouca quantidade de estrogênio, hormônio que prepara o corpo para a gravidez. O resultado é a contração do útero, dores de barriga, fadiga, pele oleosa e cólicas. Exercícios leves são recomendados para amenizar os sintomas.
     
  • Ovulação – Processo que ocorre entre o 13º e 15º dia antes da próxima menstruação.  Nessa fase, a mulher está fértil e, por isso, tem maiores chances de engravidar. O desejo sexual aumenta. A elevação na produção do hormônio pode deixar a mulher mais motivada e com alta sociabilidade.
  • Fase pós-ovulatória – Quando o óvulo não é fecundado, ele morre após 12 ou 24 horas e inicia-se um novo ciclo menstrual. O excesso de progesterona deixa as ações mais lentas.

Do que a menstruação é composta?

O sangue menstrual vem da descamação da membrana interna do útero, que tem muitos vasinhos. Todo o processo de descamação até que o sangue desça influencia na composição da menstruação, que consiste em: sangue, coagulação, resíduos corporais, proteínas, lipídios, hormônios e células do endométrio.

O sangue menstrual, ao contrário do que se fala, não tem cheiro. Na verdade, o contato do sangue com o algodão e os produtos químicos dos absorventes descartáveis são os causadores desse mito.

Quanto tempo dura a menstruação?

A menstruação dura de 3 a 10 dias. Há casos que excedem esse número e, portanto, é necessário ter o acompanhamento de um ginecologista.

A TPM é uma fase da menstruação

A tensão pré-menstrual se caracteriza por manifestações físicas e emocionais que podem refletir no humor e, consequentemente, no comportamento. Ela antecede a menstruação e pode continuar até os três primeiros dias depois do início da mesma.

A TPM é variável e possui diversos sintomas ou reflexos diferentes para cada pessoa. Por isso, é importante entender os sinais do seu corpo para administrar cada um desses efeitos de forma saudável. Enquanto para algumas mulheres o período de TPM pode variar cerca de 2 a 5 dias, ele pode simplesmente não se manifestar para outras. Os corpos são únicos e essa individualidade deve sempre ser considerada.

É importante ressaltar que, com o passar dos anos, esses sintomas e variações podem, sim, mudar, levando em consideração fatores como a idade, o nível de estresse, o estilo de vida e a alimentação. Entre os principais sintomas da TPM, estão:

  • Retenção de líquidos, inchaço ou ganho de peso
  • Sensibilidade e inchaço nas mamas
  • Ansiedade
  • Alterações na pele como o aparecimento de espinhas, cravos e rosáceas
  • Alteração na libido
  • Alterações no humor, como tristeza, irritabilidade e tensão
  • Alteração no trato intestinal: náuseas, diarreia, prisão de ventre, ausência de fome
  • Compulsão por comida (vontade de doces e comidas com alto teor de gordura)
  • Crescimento mais acelerado dos pelos
  • Reações alérgicas
  • Cólicas
  • Bexiga hiperativa
  • Sudorese
  • Sonolência
  • Dor de cabeça ou enxaqueca
  • Pouca concentração
  • Baixa autoestima.

Quando esses sintomas são tão fortes que se mostram incapacitantes, é importante consultar um médico. Embora a TPM não tenha “cura” e nem prevenção, é possível amenizar esses sintomas com  com hábitos saudáveis. No entanto, se os sintomas persistirem de forma aguda, a TPM pode indicar uma doença chamada de desordem disfórica pré-menstrual, mencionada abaixo. 

TDPM: o que é e qual a diferença de TPDM e TPM?

A sigla TDPM significa transtorno disfórico pré-menstrual e é mais intensa que a TPM. Trata-se de uma TPM mais emotiva e com características depressivas que abalam a saúde mental durante o período de menstruação.

Geralmente, esse quadro se repete por pelo menos dois ciclos menstruais consecutivos. Os principais sintomas do TDPM são:

  • Irritabilidade;
  • Depressão
  • Ansiedade;
  • Pensamentos auto depreciativos;
  • Descontrole emocional;
  • Emoções à flor da pele;
  • Dificuldade de concentração;
  • Falta de interesse em atividades habituais;
  • Fadiga, apetite descontrolado;
  • Problemas para dormir;
  • Dor de cabeça.

Na TDPM, além do acompanhamento médico, buscar a ajuda de um psicoterapeuta é fundamental. Em alguns casos, os antidepressivos são a forma de ajudar a controlar esses sintomas. O terapeuta recomendará os melhores passos neste processo.

É normal a menstruação atrasar?

Há diversos fatores que influenciam sobre quantos dias é normal a menstruação atrasar. A menstruação desregulada é normal nos primeiros dois anos depois da primeira menstruação, ou na menopausa, pois são momentos de amadurecimento do eixo hormonal. Além disso, se o ciclo tiver mais de 42 dias, ele também pode ser considerado irregular.

A menstruação pode ser irregular se:

  • O tempo entre cada período não tem uma média de dias em comum. 
  • O número de dias da sua menstruação varia.

São alguns tipos de menstruação desregulada:

  • Amenorréia: ausência de menstruação por 3 meses ou mais, e não há suspeita de gravidez. É bem importante procurar um especialista nesse caso porque, mesmo não sendo uma doença, a amenorréia pode ser um sinal de de algum outro problema como estresse, traumas e outros fatores emocionais e precisa ser identificado. 
  • Oligomenorréia: menstruações pouco frequentes. O tempo entre os períodos pode ser de 35 dias ou mais. 
  • Polimonerréia: um ciclo menstrual bastante curto, com menos de 25 dias, em média. Caracteriza-se por menstruações frequentes e mais de uma vez ao mês;
  • Menorragia: sangramentos acíclicos fora do período menstrual com aumento do fluxo, caracterizada por um fluxo bastante intenso, com muitos coágulos e, em geral, durando mais de oito dias; 
  • Hipomenorréia: quando o sangue é pouco e a menstruação dura menos de um a três dias.
  • Metrorragia: sangramentos acíclicos fora do período menstrual com aumento do fluxo. Ocorre mais em mulheres entre 40 e 50 anos, período em que temos um desequilíbrio hormonal antecedendo a menopausa. 

O que a cor da sua menstruação pode dizer sobre a sua saúde?

No início do ciclo, é comum a menstruação vir com um tom marrom, evoluindo para um vermelho mais escuro ou um vermelho mais vivo. Quando o ciclo diminui, a cor tende a ficar mais escura, e pode terminar numa tonalidade marrom. Entenda o que as cores podem dizer:

  • ROSADO: se ocorre no primeiro dia da menstruação, não é um sinal de alerta. A tonalidade rosa vem da mistura do sangue com outras secreções vaginais. Caso a cor persista em vários dias, pode demonstrar uma alteração hormonal, ou até gravidez;
  • VERMELHO VIVO: é absolutamente normal e sinal de que o sangue não sofreu com a ação dos agentes coagulantes;
  • VERMELHO ESCURO: Essa pode ser a cor mais predominante do ciclo de quem adota métodos contraceptivos hormonais, pois o sangue vem em menor quantidade;
  • MARROM: quando a cor é mais escura, marrom escuro ou preto, geralmente, é indicativo de menor fluxo ou final de fluxo (sangramento de escape). Lembra a borra do café;
  • ALARANJADO, ESVERDEADO OU AMARELO: se essas colorações vieram acompanhadas de odor forte ou mau cheiro, pode indicar alguma infecção. É importante sempre estar acompanhando com um ginecologista.

Convivendo com a menstruação

Para lidar com todos os sentimentos e sintomas do seu ciclo menstrual, é interessante entender o seu corpo e o ciclo para reconhecer seu comportamento a cada fase. Existem formas simples de iniciar esse processo de autoconhecimento no ciclo menstrual, como:

  • Autoconhecimento e consciência corporal;
  • Reduzir o estresse com a ajuda de um terapeuta;
  • Praticar hábitos saudáveis;
  • Boa alimentação;
  • Pratique exercícios físicos regularmente;
  • Descansar sempre que necessário; 
  • Não fumar;
  • Não exagerar na cafeína, álcool, chocolate, açúcar e sal;

Como mencionado acima, a terapia pode ajudar e muito. A pessoa vai compartilhar com o psicoterapeuta estratégias de mudança e como colocá-las em prática na sua vida.

Assim, ela poderá realizar mudanças na sua rotina de forma mais tranquila e com suporte. Aqui no Zenklub, além de fazer terapia de onde estiver, você conta com diversos especialistas para escolher o que melhor atende suas necessidades. Clique aqui e encontre o profissional ideal para você.

Este artigo foi útil?

5

Você já votou neste post

Publicado por:

Ana Paula Figueroa

Publicado por:

Ana Paula Figueroa

Redatora e especialista em conteúdo digital e storytelling. Apaixonada por cultura, comportamento, música e psicologia.