Escutar em audio

É de suma importância identificar os sintomas da ansiedade, e buscar rapidamente um tratamento, e assim não corra o risco de que essa ansiedade se desenvolva:

Segue abaixo alguns dos sintomas da ansiedade:

Dificuldade de relaxar devido a preocupações ou medos exagerados;

Pensamentos negativos repetitivos;

Preocupação crônica com saúde, finanças ou vida profissional;

Dificuldades para dormir;

Medo exagerado de situações específicas;

Incapacidade de controlar os pensamentos ruins e as preocupações;

Sensações frequentes de aflição e angústia.

Por que me sinto assim, porque cheguei a esse ponto?

​Algumas pessoas chegam ao consultório se queixando que estão com muita ansiedade e que não sabem o que fazer com isso. Já outras, simplesmente chegam dizendo que não sabem o que têm, relatam alguns sintomas, e que durante o processo psicoterapêutico descobrimos que é essa tal de ansiedade.

O medo é uma resposta do organismo que é automática, e instintiva contra um perigo iminente. Por exemplo, se alguém é assaltado com uma arma na cabeça, é natural que exista o medo de morrer naquele momento. A ansiedade, por sua vez, é entendida como um estado mais difuso e mais permanente na qual haveria uma possível ameaça (real ou imaginada) mas que não se concretiza como a pessoa que não sai de casa (agorafobia) pela possibilidade de ser assaltada.

É preciso compreender que estar ansioso ou ser ansioso é algo muito sugestivo, e precisa ser bem analisado, pois existem inúmeras razões para que uma pessoa possa se enquadrar na ansiedade, pode ser um momento e/ou uma fase que o paciente está vivenciando, quanto pode ser uma característica de sua personalidade. Mas se isso está incomodando, atrapalhando e interferindo em sua vida, em ambos os casos é possível trabalhar isso na psicoterapia.

A ansiedade passa a ser patológico quando o indivíduo percebe que não está mais conseguindo se concentrar em suas tarefas rotineiras, ou que passou a ter comportamentos totalmente prejudiciais, tais como insônia, arrancar fios de cabelos ou roer unhas.

Alguns optam por calmantes, medicamentos naturais, entre outros. Em alguns casos estes procedimentos podem sim ajudar, mas possivelmente não corrijam a raiz do problema.

Na psicoterapia, o paciente vai entrar em contato com a raiz do problema, o psicoterapeuta irá auxiliar o paciente na descoberta dos princípios causadores da ansiedade, dos gatilhos e situações da sua ansiedade, além de técnicas para lidar identificar e lidar com a ansiedade.

Ansiedade está ligado a nossa preocupação por situações que poderão ou não vir a acontecer, como por exemplo, uma viagem que você irá fazer, uma prova, uma apresentação, etc… e fica imaginando como irá acontecer, o que pode dar certo ou errado, como deverá se comportar. Muitas situações geram ansiedade. Mas é importante descobrir a forma de lidar com ela, pois, como sugerido no exemplo acima, ela pode interferir em nossa vida como insônia, medo de sair, entre outras situações que podem nos prejudicar no ato de nossas funções.

Como o Psicólogo pode ajudar?

É de suma importância ressaltar que o trabalho na psicoterapia depende da dupla psicoterapeuta/paciente. E o paciente precisa estar aberto a entrar em contato com novas questões que possam surgir, e assim, ajudar o psicoterapeuta a interpretar as diferentes formas que o paciente possa ter de comportar-se diante de situações.

Como o inconsciente é a parte da nossa mente que armazena situações da nossa vida que não nos lembramos ou que foram traumáticas por algum tempo, é natural que alguns de nossos comportamentos reprimidos em qualquer fase da vida (em especial na infância ou na adolescência), voltem a se revelar como sintomas de ansiedade durante a vida adulta.

Assim, o psicoterapeuta terá o objetivo de analisar o que ocasiona os episódios de ansiedade do paciente, especialmente quando a ansiedade passa a ser algo corriqueiro.

Sentir ansiedade vez ou outra é normal do ser humano e todos nós sentimos aquela sensação da espera. Mas o problema está quando isso se torna parte do dia-a-dia e o paciente percebe que está o tempo todo ansioso, que está o tempo todo esperando por algo, sendo que sequer existe algo previsto para acontecer.

Na terapia, trabalhamos os pontos que podem estar causando mais tensão na vida do paciente, analisar situações traumáticas, ajudar o paciente a ressignificar tais situações, auxiliar o paciente nas formas de lidar com a ansiedade, identificar sensações que antecipam a ansiedade e como proceder quando sentir que a ansiedade está incomodando, ou mesmo prever quais situações poderão deixá-lo ansioso, onde ele já poderá ter ferramentas para enfrentar a ansiedade.

As pessoas menos ansiosas conseguem se planejar melhor, raciocinar melhor, fazer escolhas melhores e lidar melhor com situações de um futuro próximo ou distante, tomando atitudes menos drásticas e com menor risco de consequências graves.

Em pessoas muito ansiosas o medo é uma situação corriqueira no inconsciente, e deste modo, seu não tratamento pode permitir que o quadro avance e se torne cada vez mais grave e de difícil controle.

A psicoterapia auxilia na prevenção do desenvolvimento desse distúrbio em quem é muito ansioso, assim como também é essencial para ajudar no tratamento de pessoas que já apresentam os sintomas de pânico.

Não esqueça que estar ou ser ansioso não é predominantemente um problema, mas é algo que pode, sim, tornar-se um problema. É importante compreender que o tratamento é sim possível, e deste modo, evitando possíveis transtornos na vida do paciente.

Rodrigo Romao Antonio

Rodrigo Romao Antonio

Atuo como Psicólogo Clínico em abordagem Psicoterapia Breve, buscando promover saúde mental, equilíbrio emocional, qualidade de vida e desenvolvimento pessoal. Atendimento a crianças, adolescentes, adultos, idosos e casais. No tratamento de ansiedade, depressão, conflitos pessoais.
Rodrigo Romao Antonio

Últimos posts por Rodrigo Romao Antonio (exibir todos)