O controle da ansiedade durante a pandemia remete a observação direta sobre o que você faz no dia a dia propondo novos olhares e onde essas questões afetam na sua rotina.

As pessoas possuem uma vivência histórica que aparecem em algum momento da vida, sendo essa representatividade aplicável por algo que o faça surgir ou aparecer.

Contudo, alguns acontecimentos denominados de “traumas” representam um comportamento absorvido na dimensão exposta da Ansiedade.

Expressando emoções

A ansiedade remonta pensamentos em torno das emoções e sentimentos, considerados automáticos por acontecer sem prévio discernimento, ou seja, a condição de freio para questionar a viabilidade destas informações.

Um grande detalhe na ansiedade é o reflexo que esta condição causa no sujeito, principalmente por acomodar os pensamentos automáticos muito distante da realidade, tentando traduzir antes que ocorra uma decepção geradora também da frustração.

Muitos casos que aparecem na clínica psicológica estão sujeitados aos fatores traumáticos, por isso essa antecipação em curso para não acontecer outra situação semelhante.

Além disso, um processo que tem funcionado nos atendimentos psicológicos é a tradução dos pensamentos em torno das emoções, sendo um procedimento com bons resultados. Este processo consiste numa análise da própria pessoa e um diário.

Durante as sessões, é possível falar sobre seus pensamentos e emoções e isso faz com que você entenda o que está acontecendo, e a partir disso, poder dar novos propósitos aos acontecimentos que influenciam seus comportamentos. No caso, aqueles automáticos em torno da ansiedade.

É possível controlar a ansiedade?

Para controlar a ansiedade é preciso praticar a chamada: Ação Psicológica de Combate. Ou seja, imagine que você está com um machucado no joelho, a Ação de Combate neste caso é a limpeza. A aplicação de uma pomada e um curativo, modificando o quadro atual.

No caso da ansiedade, muito se fala sobre pensamentos e sentimentos automáticos, sendo este representado por acontecimentos que formou essa junção.

Todavia, essas situações desempenham o que chamamos de “Pensamentos Disfuncionais”, que são distorções estas que geram impactos negativos na pessoa e no dia a dia, ou em qualquer outro acontecimento.

Alguns exercícios psicológicos tem o cunho comportamental, lembrando que o cérebro funciona no regime de alocação em torno das emoções, sentimentos, vivências e outros.

Imagine uma estante com inúmeros livros. Cada um deles representa um período, um aprendizado e até os traumas, aparecendo posteriormente por situações semelhantes como um interruptor, ligando e reagindo sem previsão.

Praticando o controle da ansiedade

Para te ajudar, separei 5 exercícios muito populares e que ajudam a controlar sintomas de ansiedade. Veja abaixo:

  1. Diário das Emoções;
  2. Respiração Diafragmática;
  3. Espelho (Conversa direta entre o paciente consigo mesmo);
  4. Cadeira Vazia (Uma conversa com alguma pessoa em desafeto ou que tenha corresponsabilidade nos sentimentos ansiosos);
  5. Cartas terapêuticas (Confeccionadas a algum membro que causou o trauma).

Com estes exercícios, é possível descobrir o ponto gerador da ansiedade que vem causando desconforto.

Vale lembrar que nem sempre a ansiedade tem origem do passado. Ela pode ter sua composição no presente, seja no relacionamento com familiares, amigos e amorosos, no trabalho e outras situações.

Como estamos no momento da pandemia, os acontecimentos, notícias e tudo mais que a engloba pode ser grande gatilho promissor da ansiedade, pois representa inúmeros comportamentos e enfrentamentos.

Como a trabalhar a ansiedade na pandemia?

O isolamento social despertou muitos sentimentos de ansiedade. Segundo pesquisadores, o número de pessoas afetadas chega a 80%. Ou seja, uma bagagem de difícil manuseio principalmente pela privação e a condição desse próprio EU.

Então, tendo uma missão de extrema importância em cada pessoa, além dos cuidados naturais, aprender a lidar com os pensamentos e ações que modificaram acentuadamente e viraram um desafio.

Mas o ponto interessante na pandemia, são os hobbies deixados em segundo plano tendo que ser resgatados para suprir momentos que seriam trocados por lazer e todo o contexto social.  Esta aquisição eleva o bem-estar que acompanha, aos poucos, a redução do quadro ansioso, pois os pensamentos automáticos irão aparecer muito menos.

Mesmo encontrando os hobbies, as pessoas constituem uma missão particular no trabalho contínuo aos pensamentos e emoções, visto que essa será a base para o não aprimoramento e encaminhamento do quadro depressivo, situações que acabam se ligando.

Na pandemia, o modo de enfrentamento emocional acaba sendo vinculado ao proposto na ansiedade, reduzir o impacto e o próprio mal-estar que advém pelas modificações desse novo normal, traduzindo e questionando quaisquer pensamentos e emoções que venham a surgir. Mas sempre encontrando aquele que traga o prazer na realização. 

Eu posso te ajudar

Eu posso te ajudar a entender os seus seus sentimentos e emoções. Você pode conversar comigo sobre ansiedade, insônia, procrastinação, autoestima e conflitos familiares.

Vem comigo nessa jornada rumo ao autoconhecimento!

Agende sua sessão comigo agora.

Este artigo foi útil?

5

Você já votou neste post

Publicado por:

Jose Paulo Menezes

Publicado por:

Jose Paulo Menezes

Formado em Geografia, Pedagogo, Psicanalista Clínico, pós graduado em Docência do Ensino Superior e Psicanálise, sempre me preocupei ao longo dos anos com a psique humana, desencadeando formações complementares na Terapia Cognitiva Comportamental e tantas outras, pois o meu enfoque é proporcionar o lançamento de oportunidades que tragam o bem-estar.