Neste artigo iremos conversar sobre: Terapia de Casal e como enxergá-la mediante a possibilidade do reencontro, bem como os efeitos positivos no estabelecimento dos envolvidos.

Inúmeras crises afetam a convivência do casal durante suas vidas e se faz presente a escolha da terapia no intuito de encontrar possibilidades mediante ao matrimônio ou quaisquer relacionamentos.

Os relacionamentos e suas nuances estão atrelados a uma posição que interagem os pensamentos e direcionamentos diferenciados de um, havendo assim a necessidade no trabalho dessa conversa essencial a manutenção ou restabelecimento da conexão.

Muitos casais, ao decidirem procurar ajuda profissional, querem de imediato ter o restabelecimento do que chamamos de conexão mútua. Mas, há um atenuante que faz a diferença no tratamento, sendo uma vontade de ambas as partes neste projeto.

Além disso, os sentimentos alicerçados podem aparecer por traumas ou acontecimentos de impactos, sendo imprescindível a observação direta das ações empreendidas em sessão.

Então, a sessão de terapia vai traçar metas individuais na direção do bem-estar, tendo em vista o melhoramento da relação.

Por isso, a responsabilidade de cada um representa 50% e somando tornam possível interpretar os conflitos que serão frequentes e potencializados quando existem os acordos que serão ensinados ainda neste artigo.

Processo terapêutico para casais

Numa sessão de terapia, a reflexão é induzida para ambos os lados, permitindo que cada parte se comprometa com as mudanças essenciais ao progresso.

Além disso, inúmeras pessoas chegam ao consultório relatando o problema conjugal e esperam soluções em curto período, algo que demanda uma visão de responsabilidade individual.

No processo terapêutico, a conversa individual é indicada para entender os traumas ou acontecimentos que explicam algumas questões que merecem atenção, proporcionando o encontro e seguida do enfrentamento.

O questionamento socrático e alicerçado aos exercícios psicológicos propostos irá alimentar este encontro, para que depois a função de cada pessoa seja estimulada.

Atividades na Terapia de casal

Como em todos os tratamentos psicológicos, o comportamento inserido por cada pessoa, se faz necessário um trabalho individual e conjunto, agregando os esforços que possibilitam ganhos significativos.

Nas sessões individuais, trabalho as problemáticas de cada pessoa, podendo falar de bloqueios e temáticas que não foram faladas em conjunto.

Além disso, na sessão, o casal aplicará comportamentos que aprimorem a relação e estejam em contato direto com as sessões individuais para que seja possível surtir efeitos.

Por isso, vale lembrar que a terapia de casal tem um período para o término, sendo considerada uma terapia breve, constituindo em muitos casos até 12 sessões.

A metodologia escolhida (e com boa eficiência) envolve uma abordagem comportamental, levando ao entendimento e a compreensão do comportamento operante e que elenca as crises nesta relação.

Abordagem comportamental na Terapia de casal

Falando numa técnica com ênfase comportamental, entra em cena um exemplo significativo. Pense que algo realizado por você é ruim, a atitude mais certa é modificar ou otimizar para ter uma ação correta, não é verdade?

A abordagem comportamental envolve conversas diretas na sessão que mostre através da história de cada um o caminho assertivo esperado.

Os estímulos são proporcionados através de metas a serem cumpridas, semelhante ao Checklist, tendo uma missão fortalecedora que impede a resistência durante o tratamento.

A insistência garantirá a conquista de um comportamento melhor, sabendo que haverá quedas ou tropeços.

Então, quero que você imagine uma escada. Cada degrau deverá ser percorrido e, muitas vezes, ocorrerão recaídas, onde chamamos de resistência, sendo essa, uma ação natural.

Para exemplificar, listei abaixo, três sentimentos que devem ser evitados:

  1. Culpa;
  2. Raiva;
  3. Desconstruções.

Tais fatores, estando na escala da resistência já comentada, acabam limitando o tratamento, principalmente pelo aparecimento das recaídas ou tropeços.

Como saber se o tratamento está surtindo efeito?

Com a terapia iniciada, saber se o tratamento está surtindo efeito permeia um mecanismo muito importante que envolve: analisar as conquistas e também as mudanças neste período.

Sabendo também que, a terapia de casal corresponde a um momento de duas pessoas, a responsabilidade torna-se essencial.

Em alguns casos, o casal resolve terminar ou dar a chance de mudanças, sendo primordial este enfoque e também a realidade daquilo que estão sentindo.

Então, essa tentativa precisa ser analisada e comentada em sessão, possibilitando novos enfoques no âmbito individual.

Algumas falas aparecem nas sessões. Veja abaixo: 

  • Está tudo bem e estamos nos dando bem.
  • O problema é o outro e não eu.
  • Ele ou ela precisa mudar.
  • Eu dou tudo e o outro não reconhece isso?

Tais frases aparecem nas sessões como um modo ligado à resistência, fato que ao analisar cada um precisará se impor, a fim de gerar a motivação necessária para estar juntos.

Fazer terapia nem sempre vai agradar, transporta ao desconforto para depois gerar a tranquilidade. Por isso é preciso querer essa “libertação”, no sentido de otimizar a relação e proporcionar o bem-estar mútuo.

Confira o vídeo que gravei sobre Terapia de casal

Eu posso te ajudar

Eu posso te ajudar a entender os seus sentimentos e emoções. Você pode conversar comigo sobre ansiedade, insônia, procrastinação, autoestima e conflitos familiares.

Vem comigo nessa jornada rumo ao autoconhecimento!

Agende sua sessão comigo agora.

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Jose Paulo Menezes

Publicado por:

Jose Paulo Menezes

Formado em Geografia, Pedagogo, Psicanalista Clínico, pós graduado em Docência do Ensino Superior e Psicanálise, sempre me preocupei ao longo dos anos com a psique humana, desencadeando formações complementares na Terapia Cognitiva Comportamental e tantas outras, pois o meu enfoque é proporcionar o lançamento de oportunidades que tragam o bem-estar.