Neste artigo, trago um tema muito recorrente na clínica psicológica envolvendo a opinião das pessoas, interferindo na liderança que cada sujeito precisa ter:

Lidando com a negativa de outras pessoas.

Agradar inúmeras pessoas fortalece o esquecimento de si e acaba validando as crenças em torno das opiniões que apoia apenas no outro, desfavorecendo as opiniões e articulando um modo de ser que se arrasta para outros patamares da vida.

Lidar com as negativas de terceiros é primeiramente encontrar o surgimento desta condição para contribuir no processo de autonomia.

Vale ressaltar que este fortalecimento acontece gradativamente, desenvolvendo através do acompanhamento e exercícios psicológicos as potencialidades e a motivação das crenças que comportam essa dinâmica desconstrutivas.

Baseando numa visão psicanalítica, essa importância dada aos outros e suas opiniões, corrobora através das práticas estabelecidas durante a infância, adolescência ou fase adulta, impulsionada pela família e outros do convívio comum.

Sinais e identificação dessas desconstruções

Uma pessoa afetada pela opinião e as negativas de terceiros acaba fortalecendo a ideia que envolve agradar a outrem, esquecendo dos pontos positivos e acrescentando a ausência dos filtros negativos que auxiliam o progresso natural dos indivíduos.

A sessão terapia é fundamental para investigar o surgimento desta condição, bem como a excelência na responsabilidade de cada pessoa, principalmente por permitir a abertura nesta desconstrução.

Algumas perguntas individuais são necessárias para autoanálise:

  1.  Dedico muito tempo em agradar os outros?
  2. No momento de expor uma opinião, desconsidero o que parece certo para agregar terceiros?
  3. Quando as pessoas mencionam pontos negativos e baseando nas expectativas singulares ou individuais, acaba observando e inserindo em si e para si?

Com estas premissas elencadas numa autoanálise, pressupõe a inserção de comportamentos que caracterize a desconstrução e o impacto que a negativa elege sobre cada sujeito.

Existe tratamento psicológico contra negatividade?

O tratamento psicológico vai surtir o efeito através do reconhecimento das potencialidades, habilidades e competências, onde são desconstruídas pela ótica de terceiros.

Neste tratamento, é indicado uma abordagem COMPORTAMENTAL que consiste em técnicas, aplicando a Exposição, Cadeira Vazia, Reprogramação Mental e o Diário das Emoções.

Com a CADEIRA VAZIA, a pessoa vai colocar justamente uma cadeira de frente à outra, mas nesta que representa o terceiro aplicando frases coladas de críticas e a vítima poderá, assim, se posicionar no enfrentamento necessário e a conquista da liberdade destes traumas.

Então, a ideia neste exercício é levar a pessoa no que denominamos de “Conscientização” e a “Responsabilidade” por deixar ser afetada pelas negativas impulsionadas por outrem.

Pense nisso também…

Além disso, outra técnica para dar o reforço se chama “REPROGRAMAÇÃO MENTAL”. Aqui, aplica-se o contexto da fala frente ao cotidiano dessa pessoa. Então, as falas serão as seguintes:

  • Sou uma pessoa legal.
  • Eu posso e devo realizar por mim e para mim.
  • Tenho qualidades e competências excelentes.
  • Vou concretizar minhas tarefas diárias.

Conseguem perceber as falas sendo aplicadas positivamente? Pois bem, este exercício implica condicionar a mente para os pontos positivos e as possibilidades no desenvolvimento das POSSIBILIDADES. Isso mesmo, acomodar crenças melhores do que as anteriores.

As pessoas ao longo da trajetória e níveis que se traduzem na infância, adolescência ou na fase adulta deixam os impactos, traumas e acontecimentos fazerem parte de vossas vidas e possibilitar negativamente um limitador.

Outra técnica, e bem utilizada, se chama “Diário Emocional”. Um caderno de bolso para dimensionar suas emoções, pensamentos ou sentimentos todos os dias e que causam os impactos.

Ao anotar o que surge através dos pensamentos ou emoções, a pessoa entrará em contato que chamamos de confronto e a permanência destas crenças, principalmente quando vinculado às desconstruções e a negativa de terceiros.

Por isso, cada pessoa reage de uma maneira específica, sendo importante além dos exercícios a realização da sessão terapia, proporcionando a análise sobre o andamento e afunilamento destas projeções.

Indicação de tratamento e a cura

Muitos pacientes se preocupam com a indicação do tratamento e a cura, visto que o enfoque é sair deste problema e rápido.

Então, o importante numa condição de desconstruções, e como lidar com a negativa de terceiros, vai demandar do comprometimento para conquistar a tranquilidade e autonomia. Em muitos casos, uma vez por semana já é suficiente para sentir as mudanças acontecerem. Mas lembrem-se: a responsabilidade é só SUA e não depende de terceiros.

Pensar na cura de imediato também constitui um erro para quem busca o tratamento, pois trata-se de um trabalho comportamental. Ou seja, mesmo num pensamento satisfatório vai demandar uns 3 meses a 1 ano, aplicando um bom tratamento e passando pelas demandas de recaídas ou oscilações.

O comportamento humano é representado com frequência através da simbologia de uma escada e cada degrau será a sua conquista. Por isso, a necessidade do acompanhamento psicológico, mas saiba você pode vencer tais barreiras, introduzindo o seu EU e apenas suas ESCOLHAS, essenciais quando falamos de cura e o tratamento para as desconstruções e negativas de terceiros.

Então, comece hoje a pensar diferente e a se escolher mais, estou por aqui e posso lhe ajudar nesta empreitada.

Por fim, assista a este vídeo que preparei sobre o assunto

Eu posso te ajudar

Eu posso te ajudar a entender os seus sentimentos e emoções. Você pode conversar comigo sobre ansiedade, insônia, procrastinação, autoestima e conflitos familiares.

Vem comigo nessa jornada rumo ao autoconhecimento!

Agende sua sessão comigo agora.

Este artigo foi útil?

5

Você já votou neste post

Publicado por:

Jose Paulo Menezes

Publicado por:

Jose Paulo Menezes

Formado em Geografia, Pedagogo, Psicanalista Clínico, pós graduado em Docência do Ensino Superior e Psicanálise, sempre me preocupei ao longo dos anos com a psique humana, desencadeando formações complementares na Terapia Cognitiva Comportamental e tantas outras, pois o meu enfoque é proporcionar o lançamento de oportunidades que tragam o bem-estar.