O planejamento operacional é uma prática indispensável para o sucesso de qualquer negócio.

Na verdade, planejar é importante para qualquer objetivo que se tenha na vida.

Nós estamos constantemente planejando o futuro através da definição (consciente ou inconsciente) dos seguintes aspectos:

  • O que fazer;
  • Quando fazer;
  • Como fazer;
  • Quem irá fazer.

No contexto corporativo, organizar bem cada um desses pontos é essencial.

Por isso, fique atento ao conteúdo deste artigo e veja como realizar um planejamento operacional que traga resultados excelentes para seu empreendimento!

O que é planejamento operacional?

O conceito de planejamento organizacional é o conjunto de ações que visam a concretização de uma determinada meta de curto prazo dentro da empresa.

De forma fragmentada, tal organização envolve ações de:

  • Previsão;
  • Execução;
  • Monitoramento.

Ou seja, é por meio do planejamento organizacional que um negócio alcança objetivos e cresce de forma consistente.

Como um contínuo e sistemático processo de planejar o futuro, tal prática precisa ser feita de maneira individualizada, observando-se alguns aspectos importantes, entre eles:

  • Os tipos de planejamento;
  • O contexto de cada empresa – por exemplo, observar o turnover de cada negócio;
  • A estrutura hierárquica.

O que é importante ressaltar é que geralmente quem cuida de todo o processo do planejamento corporativo são funcionários de nível hierárquico mais alto, como:

  • Gestores;
  • Líderes;
  • Gerentes;
  • CEO.

Importância do planejamento operacional

Muitas são as vantagens de se investir de forma assertiva no planejamento operacional, entre elas:

  • Definição de metas e objetivos que estão alinhados com a filosofia do negócio;
  • Aproveitar ao máximo o potencial do recursos que se tem na corporação;
  • Operações mais enxutas, com menos perdas;
  • Maior entendimento e agilidade nos fatores internos e externos à organização;
  • Melhor identificação de riscos e de oportunidades;
  • Concretização das tarefas antes das deadlines;
  • Permite o trabalho com maior fluidez, foco e segurança;
  • Otimiza as relações interpessoais por meio da clareza das equipes.

No limite, o bom planejamento organizacional é aquilo que maximiza os lucros e, por tabela, o desenvolvimento corporativo.

Para se beneficiar de tudo isso, é indispensável conhecer quais são os principais tipos de planejamento estratégico.

Os 3 tipos de planejamento

Os tipos de planejamento dentro de uma empresa se dividem de acordo com o aspecto temporal.

Isto, é são fragmentados por planejamentos de:

  • Curto;
  • Médio;
  • Longo prazo.

Vejamos como essa definição se encaixa em cada um dos tipos…

1- Estratégico

Trata-se do planejamento mais a longo prazo de todos.

Aqui, quem toma as decisões são os funcionários do mais alto escalão, muitas vezes os próprios fundadores.

Quando se fala em planejamento estratégico, fala-se de proposições de valor abrangentes como, por exemplo:

  • Filosofia da empresa;
  • Propósitos;
  • Valores.

Tais pontos irão nortear praticamente todas as decisões de um empreendimento, entre elas:

  • Fechamento de novos negócios;
  • Investimentos internos e externos;
  • Novos serviços ou produtos ofertados.

2- Planejamento tático (ou gerencial)

Em comparação com o planejamento estratégico, o tático ou gerencial fecha o cerco.

Ou seja, o tático é voltado para medidas de médio prazo.

Por meio das medidas gerenciais, pode-se planejar o funcionamento das equipes e setores da corporação.

É claro que todas essas ações são alicerçadas pelos valores empresariais contemplados no planejamento estratégico.

3- Planejamento operacional

Os planos operacionais são, como vimos, relacionados a como as coisas precisam acontecer no dia a dia. 

Isto é, quando se menciona o planejamento operacional, fala-se das práticas cotidianas da empresa.

São as tarefas operacionais realizadas de forma assertiva e com consistência que irão garantir que um empreendimento caminhe na estrada do sucesso.

Tais procedimentos são norteados também por ocasiões específicas do contexto de cada empresa.

Por exemplo, se há uma rotatividade muito grande de funcionários, é importante fazer um planejamento operacional para orientar os líderes sobre o que é turnover e como evitá-lo.

7 dicas para colocar em prática o seu planejamento operacional

Para ajudar você, profissional que interfere na tomada de decisões dentro do negócio onde trabalha, aqui estão 7 dicas para realizar planejamentos operacionais eficientes:

1. Clareza das metas

Comece sempre um planejamento se perguntando quais são as metas que sua empresa deseja atingir com o planejamento operacional. 

Lembre-se de levar em conta os outros tipos de planejamento na hora de definir os planos futuros. 

Além disso, catalogue informações importantes como, por exemplo:

  • Levantamento do fluxo de caixa;
  • Controle das receitas do mês;
  • Quantidade da base de clientes;
  • Quantidade de colaboradores.

Isso trará clareza para estipular metas factíveis e coerentes com os valores da corporação.

2. Invista no bom alinhamento

É claro que as decisões importantes da empresa não podem ser tomadas de forma unilateral.

Por isso, é interessante, antes de decretar pronto um planejamento, dialogar com as equipes que estarão envolvidas.

Um exemplo de preparo para o planejamento estratégico nesse sentido é realizar perguntas para os colaboradores como:

  • Isso faz sentido para você?
  • Há algo que você gostaria de trazer para melhorar esse objetivo?
  • Você se sente à vontade para realizar as tarefas rumo à realização de tal meta?

3. Fragmente os planos

Com os objetivos em mãos e a equipe de profissionais alinhados, é o momento de colocar em prática um planejamento operacional para cada atividade. 

Tal fragmentação deve levar em conta alguns aspectos:

  • Tarefas a serem feitas;
  • Valor investido;
  • Tempo estipulado.

4. Estipule metas e prazos

A especificidade é um gatilho mental muito poderoso que ajuda os colaboradores a nortearem suas atividades em prol da realização de seus trabalhos com eficiência e eficácia.

Ao estipular metas e prazos estimula-se tal gatilho, o que favorece o planejamento operacional de sucesso.

É claro que antes de definir datas é importante alinhar bem com os funcionários, a fim de não prejudicar a qualidade de vida no trabalho.

5. Aplique o conceito do “erro rápido”

Dentro do mundo corporativo, há o conceito de “erro rápido” que é muito caro para os líderes, gestores e gerentes de equipes.

Assim, busca-se logo identificar os pontos de ajuste dentro do planejamento operacional.

Quanto mais brevemente se localiza tais erros, menos implicações se tem no contexto geral do planejamento.

Ou seja, quanto maior o problema, maiores os impactos na viabilização do plano de execução para alcançar o propósito.

6. Tenha processos internos bem estruturados

Ter processos significa ter padrões de repetição que permitem a escalabilidade de um negócio. 

Assim, é muito importante encontrar um equilíbrio entre a valorização das individualidade e o respeito de padrões.

Dessa forma, é possível construir um alicerce para que as equipes cresçam e se ajudem mutuamente.

7. Estabeleça um fluxo de tarefas claro

Esse é um ponto primordial para que um planejamento operacional cumpra seu objetivo. 

Então, invista tempo em mapear todos os pontos de contato entre o cliente e o produto final. 

Estipule, então, “mini-metas” as quais guiarão até o propósito final.

Se necessário, pode-se recorrer a plataformas de gestão de trabalho como, por exemplo:

  • Trello;
  • Meister Task;
  • Favro.

Diferença: planejamento tático x planejamento operacional

Como dito antes, a diferença entre planejamento tático e operacional se refere ao tempo e abrangência para as atividades planejadas.

No caso do planejamento tático, as medidas visam a realização de planos no período de alguns anos e englobam equipes de vários departamentos.

Por outro lado, o planejamento operacional costuma envolver setores mais pontuais da corporação.

Além disso, as tarefas executadas neste tipo de planejamento buscam a conquista de metas a curto prazo, ou seja, no período de alguns meses (geralmente não extrapolando 6 meses).

Conte com o Zenklub

O planejamento operacional, para que tenha efeitos positivos, precisa ser individualizado à realidade da empresa. 

Ao reconhecer as características próprias de cada negócio, é possível estruturar planos de ação claros e assertivos.

Nesse quesito, investir em saúde mental dentro do trabalho é essencial, uma vez que equipes que se sentem bem psicologicamente podem atingir seu máximo rendimento, suscitando resultados de excelência dentro do planejamento.

O Zenklub conta com times de especialistas em saúde mental que ajudam líderes a realizarem seus planejamentos da melhor forma possível, zelando sempre pelo bem-estar dos colaboradores.

Saiba mais sobre o Zenklub para empresas.

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub