Criatividade no dicionário significa a qualidade ou característica de quem é criativo; inventividade, inteligência e talento, natos ou adquiridos, para criar, inventar, inovar, quer no campo artístico, quer no científico, esportivo e outros.

Ufa! Parece que não é tão fácil definir apenas com uma palavra o que é a criatividade. Talvez seja ainda pior, encontrar uma receita que ensine o passo a passo para se tornar uma pessoa criativa.

Mesmo que tudo possa ser ainda abstrato, há diversas informações que podem lhe ajudar a entender melhor como você pode desenvolver a criatividade e dicas que podem te estimular a produzir e pensar mais fora da caixa.

O que é criatividade?

Além do significado literal do dicionário, podemos entender a criatividade como uma habilidade humana que nos permite pensar, criar, produzir, inventar e fugir daquilo que se estabeleceu como natural ou padrão.

Isso mesmo, ser criativo envolve pensar fora da caixa, trazer algo novo para aquilo que um dia já foi previamente estabelecido como real, fixo e ideal. Por isso, que achamos as crianças mais criativas que os adultos, pois elas estimulam a sua criatividade em brincadeiras e jogos, sem se preocupar tanto com as regras ou ao que já está estipulado.

Quantas vezes você já não inventou coisas novas para brincar, como fazer um carrinho de sucata ou até uma caixa de papelão como uma casa. Apesar de todos nós concordarmos que era muito mais divertido e fácil ser criativo na infância, precisamos entender que o pensamento criativo não se restringe a esse período, ele segue conosco, muda de figura e passa a desempenhar novas possibilidades.

O significado de criatividade tem a ver com a nossa evolução e a motivação de se fazer diferente, muito mais do que com ter ou não mais, ou menos, inteligência que outras pessoas.

Então, você que parece desanimado, pois não se acha alguém tão criativo para propor novas ideias na sua vida ou no trabalho, você está enganado. O processo criativo pode ser estimulado e vivido por mim, por você ou por qualquer pessoa que se dispuser a se afastar do óbvio, dos padrões e do medo de errar.

Como aumentar a criatividade?

Essa pergunta não tem uma resposta pré-definida que faça você desistir de ler o restante desse texto e já considerar como questão resolvida. Aumentar a criatividade pode ter diversos objetivos, como:

  • Encontrar formas diferentes de fazer algo comum;
  • Solucionar um problema;
  • Inventar novas funções para algo que já existe;
  • Produzir mais com menos tempo ou dinheiro ou energia.

Além disso, é essencial entender e considerar os diversos tipos de criatividade:

Criatividade individual

É o potencial criativo expresso por uma única pessoa, no caso, você próprio.

Criatividade coletiva

Como o próprio nome já diz, é produzir ou inventar coisas em grupo. Esse tipo geralmente acontece da interação, seja ela entre os membros do próprio coletivo ou a partir de referências externas. Esse modelo é excelente para ser aplicado no mercado de trabalho, com objetivo de trazer novas soluções, produtos e processos.   

Então, basicamente, antes de começar a querer uma solução criativa para os seus problemas, você precisa definir qual o seu objetivo e como você pretende realizá-lo.

Talento é criatividade?

Talento é uma inclinação natural que nós temos para desenvolver determinada tarefa e, por isso, muitas vezes é confundido com criatividade. Mas, precisamos distinguir, pois a criatividade, como já vimos, pode ser desenvolvida e é fruto da comunicação entre as funções do nosso cérebro, ao contrário do talento.

Ainda falando sobre essa questão do pensamento criativo e a atividade cerebral, especialistas classificam o lado esquerdo do nosso cérebro como o lado responsável pelo raciocínio lógico e analítico. Já o lado direito como o lado ligado a imaginação, a emoção e produção visual.

Esses apontamentos de lado direito e esquerdo fazem sentido, mas se pensarmos que o pensamento criativo é a mistura entre a imaginação e a lógica ou o racional, gerando o que conhecemos por criação, é possível compreendermos o uso de ambos os lados sendo desenvolvidos nesse processo.

Logo, podemos entender que para aumentar a criatividade é preciso percorrer todas as possibilidades, deixar os pensamentos livres, usando as emoções, e utilizar a lógica para organizar, filtrar e colocar as ideias em prática.

Vale lembrar, criatividade e inovação são peças chaves para desenvolver uma ideia criativa e acabar com a falta de criatividade.

Explorando a imaginação

Para falar sobre esse aspecto, vamos encontrar um reforço do especialista, empresário e palestrante Gregg Fraley, que explica como a imaginação, algo que devemos considerar que todos temos, pode ajudar no desenvolvimento da sua criatividade.

Para Fraley, nós nos comportamos com a imaginação sob dois aspectos: com intenção ou com atenção. E a partir daí temos 4 tipos de perfis:

Zumbis

São as pessoas que não utilizam ou nem fazem ideia de que possuem imaginação e, por isso, precisam ser estimuladas e incentivadas por outros ou por atividades como a meditação (ou o mindfulness) para melhorar a sua percepção e foco.

Sonhadores

São aqueles que vivem perdidos dentro dos seus próprios pensamentos. Costumam criar várias ideias e tem alto potencial para a imaginação, mas costumam por poucas coisas em prática. Ou seja, tem baixo poder de solução e precisam criar ferramentas para resolver essa questão.

Gerenciadores

São as pessoas que se identificam em resolver os problemas, que se voltam mais para a ação do que para os seus pensamentos e possibilidades de novas criações. Em geral, precisam desenvolver melhor a sua consciência e percepção.

Líderes

Na vida pessoal ou no trabalhos, essas são as pessoas que conseguem reunir ação e percepção, e, por isso, são mais criativas. A critividade faz parte das habilidades de liderança. 

As relações desses grupos com a sua criatividade muitas vezes não é algo genérico, ou seja, cada um enfrenta um tipo de desafio no dia a dia e precisa perceber qual aspecto da imaginação e da ação precisam dosar para atingir resultados mais criativos.

Dicas para melhorar a criatividade

A primeira dica é não partir da ideia de que para você ser criativo você precisa necessariamente criar algo 100% novo. Ficou mais aliviado, né? A cobrança excessiva por sempre querer ser diferente ou sair da caixa em tudo pode justamente atrapalhar o seu processo criativo e a sua autoestima.

Por isso, vamos a algumas dicas, partindo justamente dessa ideia de que você pode usar e combinar coisas já existentes para ser mais criativo:

Diário de ideias

Sabe aquela ideia que você teve do nada tomando café da manhã ou correndo no parque? Então, anote ela mesmo que não seja algo aplicável para o seu momento atual. No futuro pode ser algo proveitoso.

Seja informado

Não é porque você atua em determinada área que você só pode ler coisas referentes a ela. Pessoas criativas buscam diferentes universos para se comunicar, pensar e se informar. Quem está sempre focadas em um único universo restringe as suas ideias.

Saiba escutar

Costumamos ignorar metade das informações que outras pessoas nos passam. Mais do que isso, temos o hábito de ouvir apenas pessoas que estamos acostumados a lidar ou a trabalhar, e, dessa forma, fechamos os nossos campos de possibilidades para novas ideias e formas de pensar.

Deixe os absurdos acontecerem

Coisas que já julgamos ser ideias absurdas ou fora do padrão costumam ser descartadas imediatamente, quando, na verdade, é a partir do que é extraordinário que vamos entender o significado de “por que não?” e converter o impensável em pensável.

Faça pausas

Mais do que um cochilo no meio do dia ou uma noite de sono bem tranquila e relaxante, pessoas são mais criativas quando conseguem fazer pequenas pausas para absorver algo que acabou de acontecer, aprender ou viver. A tensão atrapalha a absorção dessas informações.

Isso também vale para aqueles problemas que acabaram de surgir e que você precisa encontrar uma solução rápida. Distrair a cabeça fazendo outras atividades mais prazerosas, para processar o seu inconsciente, também chamado de processo de incubação, poderá fazer com que você enxergue além do seu alcance naquele momento.

O cérebro criativo

A autora do Best-seller Your Creative Brains – “O cérebro criativo”, Dra. Shelley Carson, acredita que todos nós temos o poder da inventividade e, por isso, desenvolveu em seu livro os 7 padrões cerebrais pelos quais devemos percorrer em diferentes momentos, conhecido como “Creates”.

Conectar (Connect)

É o estado de foco e concentração que faz com que façamos ligações entre objetos não relacionados ou conceitos;

Razão (Reason)

É quando você usa o seu raciocínio lógico para resolver problemas e criar soluções;

Visualizar (Envision)

É o momento equivalente a imaginação e a sua capacidade de estimular a criatividade a partir de criações visuais;

Absorver (Absorb)

Essa etapa envolve você se distanciar do seu senso crítico, dos julgamentos e preconceitos, para absorver novas possibilidades e criar de forma mais livre;

Transformar (Transform)

Esse processo envolve você transformar pensamentos e ideias negativas em algo positivo, para daí movimentar o seu estado de consciência;

Avaliar (Evaluate)

Esse é aquele momento em que você avalia o que pode ser realmente proveitoso ou o que pode ser descartado;

Corrente (Stream)

Aquele momento em que as ideias fluem de modo não-caótico e sem dificuldades.

Psicoterapia e a criatividade

Além das dicas e exercícios que você viu aqui, nada substitui o seu esforço e confiança de que você pode sim desenvolver e melhorar o seu processo criativo.

Com a psicoterapia e a ajuda de um coaching ou psicólogo, você poderá trabalhar as suas emoções, habilidades, e a inteligência emocional e o autoconhecimento, que são características muito importantes que nos ajudam a nos conectar com nós mesmos.

Exercite a sua criatividade e motive-se a se tornar a pessoa que você gostaria de conhecer.

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub