O Transtorno de Ansiedade Generalizada (T.A.G.) – CID 10 – F41.1 – é um dos transtornos de ansiedade mais comuns. No entanto, é diferente da ansiedade saudável, aquela que sentimos quando temos um evento importante, uma viagem ou entrevista de trabalho. Isso porque, o TAG é aquela preocupação exagerada, que pode te atrapalhar no dia a dia.

O que é Transtorno de Ansiedade Generalizada?

A psicóloga especialista em gestão de relações humanas pela PUC-GO, Lidiane Pontes, que atende online no Zenklub, diz que pessoas com TAG tendem a demorar mais pra procurar ajuda. Isso porque é comum confundir os sintomas com uma fase difícil na vida, ou traços de uma personalidade forte.

Ou seja, diferente de outros transtornos de ansiedade, como o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), a ansiedade generalizada é um mal-estar que apresenta um pouco menos de sintomas.

Quais são os sintomas do Transtorno de Ansiedade Generalizada?

Cada caso é diferente, mas devemos ficar atentos a alguns sintomas que podem acender um sinal de alerta:

  • Inquietude ou se sentir ativo demais (nesse caso deve ser feito o diagnóstico diferencial com transtorno afetivo bipolar);
  • Sensação de falta de energia;
  • Dificuldade de memorizar coisas;
  • Alterações gastrointestinais e digestivas;
  • Ficar cansado mais facilmente;
  • Dificuldade de concentração ou ter a mente em branco;
  • Insônia;
  • Irritabilidade;
  • Tensão muscular;
  • Perturbações do sono;
  • Dores de cabeça ou enxaqueca;
  • Sudorese;
  • Náuseas.

O diagnóstico de T.A.G. é feito quando a pessoa apresenta três ou mais sintomas dos citados acima, mas em crianças é necessário apenas um. Além disso, os sintomas têm que ser persistentes nos últimos seis meses. 

Se esses critérios não forem contemplados, mas mesmo assim a pessoa tiver alguns sintomas como, por exemplo, tremores e dores musculares, pode-se estar diante de um quadro de transtorno misto ansioso e depressivo.

CONHEÇA A HISTÓRIA DE 3 PESSOAS QUE SUPERARAM A ANSIEDADE

Gatilhos mentais

Gatilhos mentais podem ser o começo dos sintomas de problemas psicológicos. Ou seja, no caso da T.A.G. em algumas situações a pessoa responde com os sintomas acima.

Por exemplo, é como um um espiral, onde a pessoa vai entrando mais e mais em um sentimento negativo até o ponto em que a situação já saiu do controle. Daí surge a crise de ansiedade.

12 coisas que você precisa saber sobre crise de ansiedade:

  • A ansiedade é um impulso natural e vital para a nossa sobrevivência. Foi o que impediu o homem das cavernas de ser extinto por predadores, por exemplo.
  • Quando procurar ajuda profissional? Quando a ansiedade te impedir de fazer coisas como dormir ou trabalhar.
  • Durante uma crise, o T.A.G. causa dor, boca seca, falta de ar, taquicardia, formigamento, entre outros.
  • Ansiosos dormem muito mal, porque têm dificuldade de relaxar.
  • Mulheres têm mais chances de desenvolver esse tipo de transtorno. Isso porque os hormônios são os principais culpados.
  • Ambientes estressantes e traumas são causas frequentes.
  • Muitos ansiosos entram em pânico com a possibilidade de entrar em pânico.
  • O tratamento inclui acompanhamento psiquiátrico e psicológico.
  • Não se automedique. Isso porque os remédios para tratar ansiedade podem causar dependência.
  • Os remédios não vão te transformar em um zumbi. Basta seguir as orientações do médico.
  • Os psicólogos indicam Terapia Cognitivo-Comportamental para tratar ansiedade.

Teste de ansiedade

O diagnóstico nem sempre é simples, mas podemos ajudar. Faça nosso teste de ansiedade e descubra seu nível de ansiedade. O questionário leva menos de 3 minutos para fazer e é uma adaptação do teste científico GAD – Generalized Anxiety Disorder 7.

Causas da ansiedade generalizada

De fato, as causas da ansiedade generalizada são bastante complexas, assim como os fatores que deflagram grande parte dos transtornos mentais.

É importante compreender esse aspecto de uma maneira multifatorial.

Ou seja, não há uma causa única, mas sim uma conjuntura de fatores que se unem para desencadear a questão em si.

Vejamos algumas das principais causas da ansiedade generalizada:

Genética

Um transtorno de ansiedade sempre tem algum grau de ligação com herança familiar.

Isto é, se um parente próximo seu, sobretudo ligado à família nuclear (mãe, pai, irmãos) já sofreu ou sofre da condição, as chances de se ter o transtorno são bem mais altas.

Além disso, a possibilidade de um tratamento que foi bem sucedido para um familiar próximo com o mesmo transtorno funcionar caso você venha a apresentar o transtorno é maior.

Gênero

Infelizmente, só o fato de ser mulher aumenta o risco do desenvolvimento da ansiedade generalizada.

Isso se dá por conta de diferenças hormonais e uma complexa rede de mecanismos psíquicos e emocionais ligados a esse gênero.

Questões do passado

Sem dúvidas, as vivências passadas deixam marcas na nossa existência.

E em relação a ansiedade isso não é diferente.

Muitos medos, angústias e inseguranças estão relacionados com o passado que ficam guardados na mente inconsciente.

É importante a busca da terapia para “desembaraçar” esses nós e viver com menos ansiedade.

Uso de substâncias químicas

Algumas drogas são estimulantes, fazendo com que o organismo libere uma série de neurotransmissores e hormônios que deflagram um estado de “lutar ou fugir”.

Esse é exatamente o estado de uma pessoa que está ansiosa.

Substâncias comuns do dia a dia como as ricas em cafeína podem, em excesso, causar aumento da ansiedade.

Problemas sociais

Muitas pessoas vivem em situações de vulnerabilidade social.

Entre esses fatores estão incluídos, por exemplo:

  • Dificuldades de moradia;
  • Saneamento básico precário;
  • Condições financeiras insuficientes;
  • Círculo de amizades disfuncional;
  • Desemprego;
  • Problemas de saúde.

Tudo isso impacta na saúde mental, podendo causar ansiedade generalizada.

Qual é o tratamento para T.A.G?

Os tratamentos indicados para o T.A.G. incluem várias abordagens como, por exemplo:

  • O uso de remédios para ansiedade;
  • Atendimentos psicológicos;
  • Assistência social. 

Dessa maneira, o objetivo é ajudar a pessoa a lidar com os problemas de forma real e completa. Vejamos com mais detalhes sobre o tratamento:

Medicações – há uma série de medicações que atuam causando efeito ansiolítico por meio da regulação dos níveis de neurotransmissores que estão desequilibrados transtorno de ansiedade generalizada. Entre eles estão os antidepressivos recaptadores da inibição de serotonina, que, apesar do nome, podem ajudar certos casos de ansiedade generalizada;

Terapia – é, geralmente, a cognitivo-comportamental. Desse modo, a pessoa trabalha uma forma de educar sua mente para lidar com os problemas reais de uma forma adaptada ao que ela conhece. Ou seja, se ressignifica a maneira de lidar com os gatilhos emocionais.

Assistência social – há algumas intervenções que dão às pessoas um condição de vida mais estável e menos ansiosa. Uma delas pode ser, por exemplo, prover questões básicas como alimentação, moradia digna e acesso a trabalhos.

Vale lembrar que somente um médico especialista pode dar o diagnóstico de T.A.G. Dessa maneira, você deve passar por alguns exames, para garantir que os sintomas não são de alguma outra doença. Além disso, o médico vai saber qual o melhor tratamento e, caso necessário, te indicará o uso correto de remédios ou outros tratamentos.

Como controlar a ansiedade?

Ter um estilo de vida saudável é uma boa dica para reduzir a ansiedade, bem como uma mudança no seu dia a dia. Além disso, praticar o autoconhecimento e a autoaceitação são fundamentais nessa jornada.

Separamos 9 dicas que podem te ajudar nesse desafio:

1) Ir para a cama cedo

A privação do sono é um grande culpado da ansiedade. Ou seja, sono inadequado pode ampliar as reações antecipadas do cérebro, aumentando os níveis de ansiedade.

2) Use música para relaxar

Ouvir música reduz 65% dos níveis de ansiedade, além de ser uma atividade legal.

3) Acorde 15 minutos mais cedo

Como a maioria das pessoas ansiosas, você provavelmente está correndo pela manhã e gritando com todos a sua volta “Vamos atrasar!”. Então, diminua o ritmo e tente se preparar para um dia relaxado pela frente. No entanto, se você começar a se preocupar com a lista de tarefas, respire fundo e pense, há tempo suficiente.

4) Reduza cafeína, açúcar e alimentos processados

A cafeína e baixos níveis de açúcar no sangue podem causar palpitações cardíacas. Além disso, esses alimentos podem ser ruins para a sua saúde e atrapalhar no controle da ansiedade.

5) Que tal tentar meditação?

Não é fácil praticar meditação, então experimente diariamente esse exercício por 5 minutos, se concentrando apenas na sua respiração. Muitas pessoas vêm adotando a prática da meditação ou mindfulness como um hábito saudável. Além disso, essa é uma maneira poderosa de combater o estresse e a ansiedade.

6) Faça atividade física

Assim como para qualquer outro tratamento, movimentar o corpo e ter uma atividade física como hobby pode ajudar muito para um dia a dia mais produtivo e menos ansioso.

7) Não se culpe demais

Um dos trabalhos mais difíceis de um terapeuta é convencer uma pessoa ansioso de que os sentimentos de culpa e vergonha não são precisos. Ou seja, pensamentos negativos causam sentimentos negativos, e muitos deles são automáticos e inconsciente.

8) Sempre que precisar procure ajuda

Ir a um especialista não faz de você uma pessoa doente, mas sim alguém que se cuida e que se preocupa com o seu próprio bem-estar emocional.

9) Acompanhamento profissional

A terapia, seja ela com um psicólogo online ou presencial, é a sua melhor aliada na hora de diminuir a ansiedade e, enfim, tratá-la. Além disso, é o método ideal fazer as mudanças de vida que você precisa.

O Zenklub é a maior rede vídeo-consultas com especialistas em bem-estar emocional, onde você tem acesso a mais de 5000 especialistas a qualquer hora, de qualquer lugar que podem te ajudar nessa jornada.

Este artigo foi útil?

4.14

Você já votou neste post

Publicado por:

Rui Brandao

Publicado por:

Rui Brandao

Rui Brandão é médico, com experiência em Portugal, Brasil e Estados Unidos da América, e mestre em Administração pela FGV em São Paulo. Hoje é CEO & Co-fundador do Zenklub, plataforma de saúde emocional e desenvolvimento pessoal que oferece conteúdos, profissionais e ferramentas especializadas para mais de 1.5 milhões de pessoas no Brasil.