Escutar em audio

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico marcado por sintomas como hiperatividade, falta de atenção, agitação, desorganização, esquecimento, impulsividade e outras características.

Esse transtorno costuma aparecer na infância – ficando mais evidente na fase de aprendizado escolar – e, na maioria dos casos, acompanha a pessoa por toda a vida. Hoje, calcula-se que algo entre 3 e 5% de crianças sejam diagnosticadas com o TDAH no Brasil, sendo mais frequente em meninos do que meninas.

COMO IDENTIFICAR OS 3 TIPOS DE TDAH E SEUS PRINCIPAIS SINTOMAS

Existem 3 tipos de TDAH, cada um com um padrão persistente de sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade ou uma combinação dessas duas características. Entenda melhor sobre as características e sintomas de cada um dos tipos:

TDAH tipo desatento

  • Têm dificuldade para manter a concentração durante muito tempo em um assunto específico, serem facilmente distraído por estímulos externos;
  • Erram muito por falta de atenção no que estão fazendo;
  • Evitam atividades que demandam um grande esforço mental;
  • Frequentemente esquecem o que iam falar;
  • Têm dificuldade em se organizar com o planejamento de tempo e com objetos – hábito de perder coisas importantes para o dia a dia;
  • Não ouvem quando o chamam, podendo ser considerados desinteressados ou egoístas.

TDAH tipo hiperativo/impulsivo

  • São inquietos, não conseguem ficar parados. Têm mania de mexer mãos e pés quando estão sentados e não conseguem ficar sentados em um lugar por muito tempo;
  • Têm tendência a vícios: jogos, álcool, drogas e outros;
  • Não sabem lidar bem com frustrações;
  • Costumam ter um temperamento explosivo;
  • Frequentemente, mudam seus planos de uma hora para a outra;
  • Fazem mais de uma atividade ao mesmo tempo, não gostam de tédio;
  • São, muitas vezes, considerados imaturos;
  • Muitas vezes têm dificuldade em se expressar: a fala não acompanha a velocidade de seus pensamentos.

TDAH tipo combinado

Para identificar um caso de Transtorno de Déficit de Atenção do tipo combinado, é necessário que a pessoa apresente uma combinação dos dois tipos acima, com sintomas de desatenção e hiperatividade.

É importante ressaltar que, em todos os casos, é necessário perceber claramente que esses sintomas estão interferindo o funcionamento social, acadêmico ou profissional da pessoa, para realizar um diagnóstico correto.

CAUSAS E FATORES DE RISCO DO TDAH

O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade é um dos transtornos mais estudados no mundo. Considera-se, hoje, que as causas do aparecimento do TDAH são uma combinação entre fatores genéticos, alterações no cérebro e fatores ambientais. Saiba mais sobre cada um dos fatores de risco:

Genética e Hereditariedade

Sabe-se hoje que as chances de ter o TDAH é bem maior em filhos e familiares de pessoas com esse transtorno: a hereditariedade média do TDAH é estimada em 76%. Estudos descobriram que 60% das crianças com o Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade tinham um dos pais com o transtorno; que a probabilidade de uma criança ter o TDAH aumenta em até oito vezes se os pais também tiverem o problema e que o risco de apresentar o transtorno é cinco vezes maior entre familiares de pessoas com TDAH do que em pessoas sem o transtorno na família.

Anormalidades cerebrais

Muitos estudos descobriram que o TDAH causa alterações no cérebro. Existem, no cérebro das pessoas que sofrem desse transtorno, mudanças na região frontal e nas conexões com o resto do cérebro. A região frontal é responsável pela capacidade de prestar atenção, organização, memória e autocontrole.

Fatores ambientais

Estudos indicaram que o fato de a criança apresentar um peso baixo no nascimento (menos de 1.500 g) gera um risco de 2 a 3 vezes maior para o surgimento do TDAH, embora a maioria das crianças que nascem com baixo peso não desenvolva esse transtorno. Outros fatores relacionados ao aparecimento do TDAH são: história de abuso infantil, negligência familiar, exposição a neurotoxinas como o chumbo, infecções e exposição ao álcool durante a gravidez.

O TDAH TEM CURA? SAIBA COMO TRATAR ESSE TRANSTORNO

Por não ser considerado uma doença, o TDAH não tem o que pode ser chamado de cura. Mas tenha calma: realizando um diagnóstico correto e tratando os sintomas adequadamente, é perfeitamente possível que as pessoas com o transtorno tenham um rendimento pessoal, acadêmico e profissional satisfatórios e uma boa qualidade de vida.

O tratamento de crianças e adolescentes com TDAH é multidisciplinar, ou seja, demanda o suporte de profissionais de várias áreas, como psiquiatras, psicólogos, pedagogos e fonoaudiólogos. É essencial entender as necessidades de cada caso para um tratamento adequado e eficaz. Conheça melhor as formas de tratar os sintomas desse transtorno:

Usando medicamentos

Geralmente, os medicamentos utilizados para tratar os sintomas do TDAH são da classe dos estimulantes (que, apesar do nome, causam um efeito calmante), como é o caso da Ritalina, um dos mais indicados pelos médicos. Esses medicamentos podem reduzir a hiperatividade e impulsividade, além de melhorar a capacidade de concentração, trabalho e aprendizado da pessoa que tem o transtorno.

Buscando orientação psicológica

Diferentes tipos de terapia podem ajudar as pessoas com TDAH a viver de uma forma melhor. A opção mais adequada para o tratamento pode ser diferente em cada pessoa. Alguns tipos de terapia comuns e eficazes são: terapia comportamental, terapia cognitiva, terapia cognitivo-comportamental, treinamento de habilidades sociais, terapia psicoeducacional e terapia fonoaudiológica. Se nunca fez terapia, escrevemos um artigo para você perceber melhor como é uma sessão de terapia

Esse suporte da terapia pode ajudar as crianças com TDAH a buscarem uma mudança em seu comportamento, controlar impulsos e lidar com acontecimentos emocionalmente difíceis. Já em adolescentes e adultos com o transtorno, a terapia pode ajudar em questões de baixa autoestima, organização pessoal e profissional e no controle da impulsividade.

Mudando hábitos do dia-a-dia

Mudanças simples em hábitos do cotidiano também podem ajudar no tratamento do TDAH, agindo em conjunto com a terapia e medicamentos. Hoje, sabe-se que mudanças na alimentação, como reduzir o consumo de cafeína e açúcar, podem ajudar a controlar os sintomas do transtorno.
Além disso, estudos também têm mostrado que a prática de atividades físicas intensas (como nadar e correr) podem melhorar o funcionamento cognitivo e comportamental. Assim, pessoas com TDAH que praticam regularmente exercícios físicos podem reduzir os sintomas do transtorno e melhorar seu rendimento.

CONVIVENDO COM O TDAH EM CASA E NA ESCOLA

Conviver com uma criança diagnosticada com TDAH pode ser uma tarefa bastante desafiadora. O tratamento do transtorno também depende muito do apoio dos pais e professores, que terão que estabelecer limites, regras e tarefas para ajudar no rendimento da criança na escola e no dia-a-dia. Separamos algumas dicas de como ajudar as crianças com alguns sintomas do TDAH:

  • Coloque limites claros e dê instruções focadas, como por exemplo: “Comece agora a lição de matemática”, ao invés de “Preste atenção!”;
  • Dê responsabilidades por meio de tarefas simples, o que fará com que elas se sintam  necessárias e valorizadas;
  • Crie um sistema de gratificação e penalidade: pontos ganhos por dia quando têm boas atitudes ou iniciativas e perda de bônus a cada infração cometida. Pense em um prêmio a ser recebido no caso de  gratificação;
  • Em sala de aula, procure colocar a criança ou adolescente na frente, perto do professor, para evitar distrações;
  • Busque incentivar trabalhos escolares em grupos pequenos, estimulando que se relacionem socialmente;
  • Não esqueça da dificuldade de manter a atenção por muito tempo: 12 tarefas de 5 minutos cada geram resultados melhores do que 2 tarefas de meia hora, por exemplo;
  • Mandar por e-mail as tarefas de casa, datas de trabalhos e provas – pode ser o aluno não tenha conseguido copiar informações da lousa ou anotar tudo o que foi falado em sala de aula;
  • Sempre promover a comunicação entre pais, professores e outros profissionais que cuidam da criança.

 

Se você quer saber mais sobre maneiras de tratar os sintomas do TDAH, conheça o Zenklub. Temos mais de 100 psicólogos que atendem por vídeo-consulta, que podem te ajudar a criar maneiras de conviver com esse transtorno, ajudar a mudar comportamentos negativos e realizar mudanças positivas em seu estilo de vida.

 

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub