O alprazolam é um princípio ativo conhecido por nomes comerciais como Frontal, Xanax e Aprax. É um medicamento com efeito ansiolítico indicado para o tratamento de alguns distúrbios mentais. Para você conhecer melhor esse remédio, vamos entender para que serve o alprazolam, quais são os efeitos colaterais e contraindicações. Também respondemos dúvidas comuns como por exemplo se alprazolam engorda ou se devo usar alprazolam para dormir, entre outras.

Introdução

A Upjohn Company (que posteriormente se tornou parte da Pfizer) desenvolveu e patenteou o alprazolam na década de 1970. Em princípio, a aprovação inicial dessa substância derivada da benzodiazepina foi o para uso em pacientes com distúrbios de ansiedade. Então, com a aprovação da Food and Drug Administration (FDA), em 1981, estreou no mercado norte-americano com a marca Xanax. Já no Brasil, o alprazolam ganhou o nome comercial de Frontal.

Ele é um remédio que atua no sistema nervoso central, aumentando a ação do GABA (ácido gama-aminobutirico). Além disso, pode ter um efeito depressor. Isso pode causar desde uma dificuldade leve nas tarefas do dia a dia à sedação. Por isso, a dosagem depende da resposta de cada paciente, do tratamento e do distúrbio.

Para que serve o alprazolam

De acordo com a bula, essa medicação é indicada para:

Quais são as contraindicações?

O alprazolam deve ser usado somente com indicação e acompanhamento médico. E vale ressaltar que jamais deve ser feito o uso recreativo dessa substância. Xanax e outras drogas têm sido utilizadas por pessoas que não têm os distúrbios listados na seção da bula que diz para que serve o alprazolam. Entretanto, o uso desse medicamento sem prescrição médica traz sérios riscos à saúde. Além disso, o uso do alprazolam é contraindicado nos seguintes casos:

  • Pacientes alérgicos ao alprazolam ou que já apresentaram reação alérgica a outros benzodiazepínicos, ou a qualquer componente da fórmula deste medicamento
  • Pacientes com miastenia gravis ou glaucoma de ângulo estreito agudo

Precauções

O objetivo descrito em para que serve o alprazolam requer alguns cuidados para concretização. Por isso, é essencial informar o seu médico sobre todo seu histórico de saúde. Isso vale, principalmente, para a presença de outras doenças e tratamentos em andamento. Assim, o psiquiatra pode prescrever o alprazolam da forma mais segura possível.

  • Pacientes com insuficiência renal ou hepática requerem atenção especial durante o tratamento com alprazolam
  • Assim como todos os benzodiazepínicos, o alprazolam apresenta risco de dependência física e emocional. Por essa razão, o uso deste medicamento requer acompanhamento médico e cuidado para evitar o abuso da substância
  • O alprazolam pode ser sensível à retirada. Ou seja, a descontinuação abrupta ou rápida demais pode causar sintomas de abstinência. Esse risco deve ser considerado tanto ao prescrever como ao dispensar o remédio. Para minimizar os riscos, é imprescindível que o paciente tenha acompanhamento médico e redução adequada da dosagem
  • Pacientes com depressão podem apresentar episódios de hipomania e mania
  • É preciso ter cautela quanto ao uso de doses mais altas de alprazolam no tratamento de pacientes com transtornos do pânico
  • Pacientes suicidas ou gravemente deprimidos requerem precauções extras e doses apropriadas para o tratamento
  • O alprazolam é um medicamento que provoca riscos à gestação. Portanto, o médico deve ser notificado imediatamente em caso de suspeita de gravidez
  • O uso de alprazolam não é aconselhável durante a lactação
  • Durante o tratamento, o paciente pode ter algumas habilidades prejudicadas, como dirigir veículos ou operar máquinas

Interações medicamentosas

O princípio ativo alprazolam pode causar interação medicamentosa prejudicial à saúde. Portanto, sempre informe o seu médico acerca das medicações que está tomando, inclusive aquelas sem prescrição. Evite alguns medicamentos use com com cautela durante o tratamento com alprazolam.

  • Opioides, álcool ou outros fármacos que produzem depressão do sistema nervoso central.
  • Compostos que inibem determinadas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450 3A4)
  • Cetoconazol, itraconazol e outros antifúngicos azólicos
  • Nefazodona, fluvoxamina e cimetidina
  • Fluoxetina, propoxifeno, anticoncepcionais orais, diltiazem, ou antibióticos macrolídeos como eritromicina e troleandomicina
  • Inibidores da protease do vírus da imunodeficiência humana (HIV), como, por exemplo, ritonavir
  • Digoxina

Efeitos colaterais

O alprazolam pode causar algumas reações adversas. Isso pode variar de acordo com cada organismo, então a listagem é baseada nos comentários de pessoas que tomaram alprazolam. Isto é, esses sintomas aparecem no início do tratamento e costumam desaparecer ao longo do tempo ou com a diminuição da dose. Mas, caso tenha qualquer sensação desagradável, o seu médico deverá ser consultado. Sendo assim, é importante destacar os efeitos colaterais de alprazolam que são mais comuns:

  • Depressão
  • Sedação
  • Sonolência
  • Ataxia
  • Comprometimento da memória
  • Disartria
  • Tontura
  • Dor de cabeça
  • Constipação
  • Boca seca
  • Cansaço
  • Irritabilidade

Nomes comerciais

O medicamento referência do alprazolam é o Frontal, do laboratório Pfizer. Mas desde que a patente expirou, esse princípio ativo está disponível tanto na versão genérica, como em outros nomes comerciais:

  • Alfron
  • Altrox
  • Apraz
  • Contante
  • Neozolam
  • Teufron
  • Tranquinal
  • Zoldac

Dúvidas

Alprazolam engorda?

Alprazolam engorda algumas pessoas, pois o aumento de peso está entre um dos efeitos colaterais. Ao mesmo tempo, outros pacientes podem ter redução do apetite e perda de peso, que também estão listadas nas reações adversas. Vale ressaltar que cada organismo reage ao medicamento à sua maneira.

O que é Xanax? Xanax é uma droga?

Xanax é o nome comercial do alprazolam em alguns países europeus e nos Estados Unidos. É o fármaco que conhecemos aqui como Apraz ou Frontal. No entanto, como existem casos de uso da medicação de forma recreativa, ela já foi confundida com uma droga. Entretanto é uma potente substância para o tratamento de ansiedade e não deve ser utilizada para finalidades alheias às da bula. Além do risco de causar dependência, existe o perigo de causar danos à saúde física e mental, ou mesmo a morte.

Alprazolam e álcool? Fluconazol e álcool? Rivotril e álcool?

Em resumo, alprazolam e álcool, fluconazol e álcool, e rivotril e ácool são simplesmente péssimas combinações. O uso concomitante desses medicamentos com bebidas alcoólicas pode ocasionar grave sedação e até mesmo o coma. Também é preciso ressaltar que essa mistura pode gerar consequências na saúde física e mental. Portanto, evite o consumo de álcool com esses remédios. Isso vale inclusive para combinações aparentemente inofensivas como rivotril e cerveja. Além disso, é indispensável o acompanhamento médico e que ele esteja ciente caso você beba.

As informações desta página foram disponibilizadas com fins puramente informacionais. Em hipótese alguma, elas devem embasar a autoprescrição ou indicação para terceiros. Sempre consulte um especialista sobre qualquer assunto relativo à sua saúde mental.

Este artigo foi útil?

3

Você já votou neste post

Publicado por:

Rui Brandao

Publicado por:

Rui Brandao

Rui Brandão é médico, com experiência em Portugal, Brasil e Estados Unidos da América, e mestre em Administração pela FGV em São Paulo. Hoje é CEO & Co-fundador do Zenklub, plataforma de saúde emocional e desenvolvimento pessoal que oferece conteúdos, profissionais e ferramentas especializadas para mais de 1.5 milhões de pessoas no Brasil.