Falar de pornografia é, ao mesmo tempo que polêmico, importante! Por isso começo este texto com a seguinte frase de Oscar Wild: “Tudo no mundo é sobre sexo, exceto o sexo. Sexo é sobre poder” e completo com as perguntas: por que uma parte tão grande da Internet se destina à pornografia? Por que, desde os primórdios, há representações sobre o sexo? Por fim, como as imagens do sexo nos afetam?

Falar de pornografia é dialogar sobre o que nós, pessoas sinceras, já assistimos diversas vezes e gostamos, até mesmo gozamos. O acesso à pornografia explodiu com a Internet, e há pessoas que chegam a ficar viciadas, até mesmo quem reproduz esse material. 

Em um dos seus textos, Zizek cita “segundo o que Eva Wilseman relata ao jornal The Guardian, em um dos episódios de The Butterfly Effect, “no set de filmagem de um filme pornográfico, um ator perdeu sua ereção no meio de uma cena – para retomá-la, desviou o seu olhar da mulher nua que se encontrava diante dele, pegou seu celular e deu uma busca no site Pornhub, (…)””

No meio de uma cena de sexo o ator precisou de pornografia? O que está existindo entre nós e a pornografia? Que relação é essa em que a imagem do sexo imaginário é tão forte? porque, vamos ser sinceros… o que ocorre no set de filmagem não condiz com a realidade geral do sexo. Por que desejamos tanto esse mundo imaginário e fictício? Como ela, a pornografia, pode domar os nossos desejos?

A sexualidade para a Psicanálise

A sexualidade, segundo Freud, não é algo que se inicia na puberdade, mas bem antes dela, na mais tenra infância, quando estamos iniciando as nossas vidas e o primeiro movimento que aprendemos é o de sucção do leite materno. Portanto, a sexualidade não é somente a relação sexual e o gozo. A sexualidade está na nossa forma de nos relacionarmos com o mundo e com nós mesmos.

O desenvolvimento sexual, para a psicanálise, possui alguns estágios, como a fase oral, anal, fálica, latência e genital. Então, é um conjunto de momentos e experiências do corpo e da mente, que conduzem ao desenvolvimento sexual e contribuem para a compreensão dos desejos, dos fetiches e das intenções sexuais.

A obra de Freud, Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade, foi e é muito importante para o debate sobre o sexo por mais que ela tenha sido lançada há mais de um século e por mais que muito já se tenha compreendido, o que Freud inaugurou quebrou paradigmas, criou novos e nos permitiu nos entendermos sexualmente.

A pornografia e a sexualidade

E onde está a relação entre pornografia e a nossa sexualidade? Ela se inicia no poder das imagens sobre o nosso imaginário. As imagens que assistimos, vemos, desejamos, queremos e não queremos. Todas elas habitam a nossa imaginação e exercem influência sobre nós. Isto ocorre desde a infância, ou você já teve um sonho tão original que não tem relação com nada que viu antes em filmes, livros ou te contaram antes de dormir?

Logo, as imagens exercem poder sobre nós e nos ensinam o que reproduzir no mundo real. E não seria diferente com a nossa sexualidade. A pornografia nos ensina o que é interessante e o que não é interessante, desde os corpos esculturais, até o gozo volumoso, com gemidos além do comum.

A pornografia nos seduz e ilude, ela vai te dizer, enquanto você a assiste e depois, que tal corpo não é qualificado para gozar junto ao seu. Ela engana e diz “goze comigo, afinal, eu sou o momento de sexo perfeito, eu sou a imagem perfeita que habita a sua imaginação.”

Então, perceba que há dois elementos importantes sobre a pornografia, primeiro que geralmente é tabu falar dela abertamente, por mais que quase todos os adultos já tenham assistido ou se deparado com ela. Então, há uma questão social de não debate sobre a pornografia, por mais que ele seja necessário. 

E segundo, o totem em que a pornografia foi erguida, pois ela é o símbolo do encontro da sexualidade, ela é a busca da satisfação, como um local em que as pessoas se destinam para se encontrarem com o prazer sexual.

Refletindo sobre o nosso tema e o seu papel chegamos a elementos que a constroem, e como ela nos influencia. Logo, você consome a pornografia ou é ela quem te consome?

Eu posso te ajudar

Eu posso te ajudar a entender os seus seus sentimentos e emoções. Você pode conversar comigo sobre sexualidade, relacionamentos com amigos e conflitos familiares.

Vem comigo nessa jornada rumo ao autoconhecimento!

Agende sua sessão comigo agora.

Este artigo foi útil?

4

Você já votou neste post

Publicado por:

Andrey Takashi

Publicado por:

Andrey Takashi

Sou psicanalista e acredito que a psicanálise se apresenta como corpo muito além da técnica aplicada na clínica, ela também representa a libertação e o conhecimento. O estudo, principalmente, de Freud e Lacan nos permite ressignificar nosso passado e elaborar nossa existência. A sessão de terapia tem uma papel fundamental na nossa formação como seres humanos.