A atividade sexual, bem como toda a sua expressão é uma função importante na vida de pessoas solteiras ou casadas. Mas você sabia que a disfunção sexual é bem mais comum do que você imagina? E você sabia que ela não é apenas uma questão de excitação e orgasmo, mas também emocional e de desejo?

É isso que vamos conversar hoje e deixar de lado o tabu sobre o tema sexo e disfunção sexual, além de entendermos porque sexo tem relação com o emocional e com bem-estar. Veja também as dicas das nossas especialistas.

O que é um sexólogo e como ele pode ajudar?

O sexólogo é o profissional da sexologia, área que aborda as mais diversas questões do comportamento sexual humano. Não é só sobre o ato sexual em si, mas sobre a sexualidade e tudo que a envolve, como fatores biológicos, psicológicos, sociais e culturais.

A sexologia também pode abordar temas mais abrangentes, como abusos sexuais, controle de natalidade e aborto. Geralmente, o profissional de sexologia é um médico, psicólogo ou fisioterapeuta, cada um mais qualificado para casos específicos.

Como é o trabalho do sexólogo?

Antes de entrar propriamente no trabalho feito pelo sexólogo, é importante explicar rapidamente sobre a Sexualidade e porque ela não é sinônimo de sexo. Enquanto o sexo está ligado ao prazer do corpo e do ato sexual em si, a sexualidade vai além do prazer físico e abrange questões como a afetividade, a individualidade, o respeito e a comunicação.  Dessa forma, a sexualidade é a sua maneira de estar no mundo, construída social, cultural e psicologicamente.

Problemas relacionados à sexualidade podem ter causas físicas, emocionais e sociais. A vivência sexual é influenciada por muitos fatores como estresse, tristeza, insegurança, medo, religião e baixa autoestima. Essas questões podem interferir em comportamentos biológicos como dificuldade de ereção, diminuição da libido (desejo sexual), dor na penetração, ausência de orgasmos, entre outros.

Em um processo de terapia – que pode ser individual ou e casal – o psicólogo sexólogo vai te ajudar a identificar as causas emocionais do seu problema e trabalhar essas questões para que você experimente sua sexualidade de uma forma mais saudável.

Quando devo procurar um sexólogo?

Existem as disfunções sexuais que relatamos aqui que podem ser um indicativo assertivo de que você, ou alguém que você conheça, precisa da ajuda de um especialista, mas, se você ainda tiver dúvidas sobre o tema, é interessante que você realize uma sessão experimental, para que você tenha impressões mais concretas.

Como já comentamos, o sexólogo é a pessoa certa para conversar sobre limitações, traumas, crenças, preconceitos e até mesmo dúvidas sobre a sua identidade de gênero e orientação sexual.

Questões mais comuns trabalhadas pelo sexólogo

Conversamos com psicóloga e sexóloga do Zenklub, Milena Lhano, que explicou alguns dos motivos mais comuns que levam as pessoas a procurar ajuda para questões de sexualidade:

– Falta de sexo no casamento (ou relacionamento):  Geralmente, essa dificuldade não está relacionada com a relação sexual em si, mas aparece como uma forma de sinalizar que algo não vai bem. Nesse caso, é indicada a terapia de casal para encontrar a “causa” desse problema. Podem ser questões como a perda de admiração, uma traição do passado, a falta de atenção de um dos parceiros, diferenças de expectativa, nascimento do filho e outras.

– Homens insatisfeitos com a sua performance sexual: Com a facilidade e velocidade dos encontros hoje em dia, as pessoas têm se cobrado para sempre oferecer o máximo e o melhor de si para conquistar o outro e passar uma boa impressão. Na terapia individual, podem ser trabalhadas questões como autoestima, preocupação com a imagem, cobrança e outras características pessoais.

– Mulheres com falta de desejo: Em todas as questões sexuais, deve-se, primeiro, investigar as causas físicas do problema. No caso do desejo feminino, excluindo-se a opção de ser um problema físico ou hormonal, a terapia pode ajudar na autoestima, na relação da mulher com o sexo, seu estado emocional e outras questões emocionais.

– Preocupação com a quantidade e qualidade das relações: Essa questão é apresentada, normalmente, por casais. Nesses casos, a terapia com o sexólogo ajuda cada casal a encontrar o seu próprio ritmo e nível de satisfação, sem se comparar com outros ou ficar a expectativas irreais.

O que é disfunção sexual?

Disfunção sexual é a dificuldade que uma pessoa, ou as vezes o casal, sente ao ter relações sexuais, seja desde o desejo e a libido, até a excitação e o orgasmo. Pode ser uma dificuldade encarada a vida toda ou adquirida durante a vida por alguma experiência ou momento emocional conturbado.

Ou seja, pode ser que você já carregue essa dificuldade desde a sua iniciação sexual, ou que você tenha passado por alguma dificuldade ou momento constrangedor que te marcou por algum período.

Dificuldades no ato

Vamos entender melhor o que envolve na prática essas dificuldades sexuais que podem ter causas emocionais:

– Desejo sexual: é a ausência ou o excesso de libido, que também pode ocorrer por diferenças ou inadequação no desejo sexual entre casais;

– Excitação: relacionada a dificuldade de manter a ereção, impotência ou problemas de lubrificação vaginal;

– Orgasmo: ocorrência de ejaculação precoce, ou dificuldades para ejacular, ou dificuldade e incapacidade em ter orgasmo.

Causas possíveis:

Entre as causas possíveis para as disfunções sexuais temos:

– dificuldades emocionais como a ansiedade e a depressão;
– experiências sexuais traumáticas;
– alterações hormonais: muito comuns em mulheres na menopausa, durante a gravidez ou no pós parto, e em pessoas com hipo e hipertiroidismo;
– Infecções nas partes íntimas;
– Problemas renais;
– Uso de medicação como antidepressivos, quimioterapêuticos, neurolépticos, entre outros;
– Neoplasias;
– Alto consumo de álcool e drogas;
– Educação rígida na infância ou adolescência com pouco esclarecimento sobre a atividade sexual;
– Perda de atração pelo (a) parceiro (a);
Conflitos amorosos;
– Problemas com a autoestima e a imagem corporal;

Aversão sexual

Algumas pessoas apresentam dificuldades ainda maiores com a relação sexual e tem aversão a esse tipo de contato e outros que parecem simples, como um beijo ou um abraço. Essa questão causa transtornos físicos como dificuldades para respirar, desmaios e náuseas, até psicológicos como ataques de pânico. A aversão sexual pode gerar diversos problemas individuais e sociais, e, como você deve imaginar, pessoas que convivem com essa situação podem e devem buscar ajuda de um especialista.

Videoconsultas com especialista

Terapia de casal: sexo sem tabu

Agora, falando com os casais, conversamos com a especialista e psicóloga do Zenklub, Marjorie Carvalho, que tem grande experiência em terapia de casal, e ela dá dicas para os parceiros esquentarem a relação:

  • Quais os fatores que fazem um relacionamento esfriar?

Muitos! Tédio, rotina, stress, intimidade e falta de tempo podem influenciar negativamente no relacionamento. No começo, a relação é uma novidade na sua vida e você vai dedicar tempo, atenção e energia para a outra pessoa. Quando os parceiros se casam ou vão morar juntos, surge uma rotina. É muito provável que chegue à noite e os dois estejam supercansados e aí o namoro e o sexo – que antes eram prioridades – vão ficando de lado. Com grande frequência, a libido é vencida pelo cansaço do dia a dia;

  • Como evitar que o relacionamento esfrie?

É essencial incluir na rotina um tempo só para os dois. Recomendo separar um dia à noite no meio da semana para o casal sair de casa. Por mais gostosa que seja nossa casa, com o tempo ela vira um lugar viciado da rotina. Nesse “dia do casal” eles podem ir a um cinema, um barzinho, um motel, um show ou só andar em alguma avenida legal da cidade, por exemplo – não precisa ser nada que envolva gastos. É importante ter esse tempo do relacionamento e não abrir mão dele;

  • E dentro de casa, quais cuidados tomar?

Outra coisa que vale pontuar é manter as individualidades e um cuidado com a intimidade excessiva. Muitas vezes, para deixar que o outro entre no nosso mundo, nós nos livramos de toda a cerimônia e constrangimento com a outra pessoa. Isso é um antiafrodisíaco comprovado, porque deixa de haver um mistério e uma certa distância entre os dois, que são fatores que alimentam o desejo sexual no relacionamento;

  • Como a terapia sexual pode ajudar?

Todo relacionamento cai em um padrão. A terapia com um sexólogo ou terapeuta sexual pode ajudar o casal a sair desse modo automático e despertar novamente para a relação. A terapia sexual vai trabalhar com o tédio conjugal, ajudando a resgatar o erotismo na relação e esquentar o sexo – que geralmente é o primeiro a ir embora. Um casal com filhos, por exemplo, pode acabar se acomodando na intimidade e na estabilidade da família, assumindo inteiramente o papel de pais e deixando o de amantes de lado;

  • Como ocorre uma sessão de terapia sexual?

A sessão de terapia sexual é semelhante a de uma psicoterapia, tendo o diferencial de ser focada em lidar com as dificuldades e questões sexuais das pessoas. Tudo é feito de maneira ética. Essa forma de terapia pode ajudar a pessoa a elaborar soluções quando algo a impedir de viver uma vida sexual satisfatória;

  • Quem procura mais ajuda nesses casos, os homens ou as mulheres e por quê?

Ousaria dizer que os homens procuram mais. Acredito que por resquícios machistas da nossa cultura, os homens encontram maiores dificuldades para se abrir com seus amigos sobre problemas sexuais do que as mulheres com suas amigas, o que os leva a um maior sofrimento e a necessidade de procurar um espaço em que seja possível falar sobre questões de relacionamento, entendê-las e tratá-las.

  • Existem dicas ou exercícios para não deixar o relacionamento esfriar?

O principal é ter em mente que em um relacionamento, ainda que seja um casamento registrado em cartório, não há garantias ou seguranças. Hoje a pessoa está do seu lado, mas amanhã pode não estar. Não é um investimento a longo a prazo, em que começamos hoje e lá na frente vamos ver no que deu, mas sim uma conquista diária. Em um relacionamento, cada dia é um dia e, por isso, os dois precisam investir e se dedicar.

E você, conseguiu quebrar o seu tabu sobre o assunto e vai buscar conversar com os amigos, parceiro (a) ou um sexólogo?

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub