Meditação é um hábito que traz inúmeros benefícios para o corpo e para a mente. A meditação para ansiedade, por exemplo, é muito eficaz. 

Vale a pena incorporar essa prática no dia a dia para reduzir o estresse, regular o organismo, melhorar o foco e o humor, reforçar a autodisciplina e desfrutar da vida com mais plenitude.

Como usar a meditação para ansiedade?

A ansiedade provoca pensamentos estressantes, medo, preocupação e desconforto físico. Pode ajudar muito recorrer a estratégias como tomar um chá para ansiedade ou floral para ansiedade

Mas quando passa a atrapalhar a vida normal de alguém, pode configurar um transtorno. Por isso, seja para quem já tem algum diagnóstico, seja para prevenção, aprender a controlar os níveis de ansiedade é uma questão de saúde. 

Meditar não é ficar parado refletindo. É um momento em que nos permitimos viver o presente, sentindo o ambiente que nos rodeia. 

À medida que progride, o praticante amplia a sua consciência e passa a lidar melhor com a própria mente.

 O ideal, portanto, é adotar uma rotina de meditação, tornando-a um hábito. 

Com o tempo, você vai descobrir estratégias e atalhos que servirão para administrar a iminência de uma crise de ansiedade, que passará a ser cada vez menos frequente. 

Benefícios da meditação para ansiedade

A lista de benefícios da meditação para acalmar a ansiedade é abrangente e validada pela ciência. Além dos benefícios pessoais, também contempla as pessoas com quem convivemos, já que nos tornamos melhores.

 O autoconhecimento e a compreensão da realidade nos permitem pensar e reagir melhor aos acontecimentos. E, embora mais orientada para a melhora da ansiedade, traz os mesmos benefícios da meditação em geral. 

Benefícios físicos da meditação

  • Reforça a imunidade
  • Alivia dores crônicas
  • Apoia o tratamento da hipertensão
  • Protege o sistema cardiovascular
  • Desacelera os processos degenerativos cerebrais relacionados à idade 

Benefícios psíquicos da meditação

  • Controla a ansiedade
  • Atenua sintomas de transtornos de ansiedade como fobias, TOC, ataques de pânico e paranoia
  • Reduz a depressão
  • Diminui o estresse e seus efeitos colaterais
  • Combate a insônia
  • Promove a qualidade do sono
  • Turbina a concentração, a memória, o raciocínio e o aprendizado
  • Ajuda a domar as emoções
  • Bem-estar
  • Melhora a autoestima

O que é meditação guiada para ansiedade?

A meditação guiada prevê orientação por áudio, vídeo ou texto. Uma pessoa experiente e treinada conduz uma ou mais pessoas para facilitar o processo meditativo, desde o direcionamento do pensamento até a forma de respirar. 

A meditação guiada para ansiedade, como tem um objetivo definido, aumenta as chances de sucesso. É uma grande ajuda para quem não sabe como fazer meditação para ansiedade, ou que tem os pensamentos povoados por frases de ansiedade que atrapalham a concentração. 

Há várias possibilidades de experimentar a meditação guiada para a ansiedade: vídeos no Youtube, aplicativos, sites, podcasts, streamings e outras. Da mesma forma, diversas técnicas podem ser utilizadas nessa modalidade, o que permite escolher a que mais combina com o seu perfil e disponibilidade.    

4 técnicas de meditação para começar hoje

Reunimos atividades que não necessariamente são formas de meditação, mas que são capazes de colocar nosso organismo em um estado muito semelhante ao meditativo. 

A proposta é oferecer formas de domar a mente para controlar a ansiedade e desfrutar de mais qualidade de vida. Parado ou se movimentando, o importante é se permitir viver o momento e estar disposto a experimentar. 

  1. Mindfulness

Também conhecida como atenção plena, a técnica do mindfulness busca centrar a atenção no momento presente. Você deixa de reter seu pensamento nas tarefas, problemas e preocupações para direcioná-lo ao que está acontecendo agora, tanto no seu corpo como ao seu redor. 

É uma boa opção de meditação para crise de ansiedade porque é discreta e pode ser realizada em qualquer lugar e momento – até mesmo ao se alimentar. Não é à toa que também é reconhecido como uma vertente entre as terapias, atuando como ferramenta para tratar depressão e síndrome de Burnout, por exemplo. 

  1. Meditação Transcedental

Para praticar a meditação transcendental, é preciso passar por um treinamento para absorver as técnicas específicas dessa modalidade, para chegar a um estado de repouso em alerta. Isso inclui conhecer um mantra específico para você, que é transmitido pelo instrutor certificado.  

Como não se propõe a esvaziar a mente durante a prática, a MT, como também é conhecida, busca oferecer conveniência, naturalidade e sucesso em seus direcionamentos. Ou seja, pode ser mais fácil para quem sofre de ansiedade. 

  1. Yoga

O Yoga não é exatamente meditação. Porém, como integra corpo e mente por meio de movimentos sincronizados com a respiração, promove um efeito no organismo muito semelhante ao da meditação. 

O praticante é contemplado com muitos benefícios, como clareza mental, visão positiva da vida, mais calma e serenidade para lidar com situações de estresse rotineiras.   

  1. Tai chi chuan

É uma arte marcial, originalmente criada para defesa pessoal. Hoje já se sabe que o tai chi vai muito além disso, permitindo ao praticante atingir um estado meditativo e muito benéfico. Para os mais inquietos, pode ser uma ótima sacada, porque envolve movimento, ainda que suave e fluido. 

 As vantagens em abraçar a técnica vão desde a diminuição do estresse, ansiedade e depressão até o desenvolvimento da flexibilidade, equilíbrio e agilidade. Portanto, podemos considerar o tai chi chuan como uma alternativa de meditação para ansiedade e depressão. 

Quantas vezes por dia preciso praticar a meditação?

Na meditação transcendental, há uma recomendação de praticar duas vezes ao dia, por 20 minutos. Em todo caso, mais importante que a duração é a regularidade. A meditação funciona melhor quando se torna um hábito diário. 

Quando ela se integra à rotina, passa naturalmente a ser parte das suas tarefas rotineiras e se torna um importante momento de autocuidado. Em se tratando de meditação para ansiedade e dormir, pode ser útil aproximar o horário de prática da hora de dormir. 

Como começar a fazer meditação para ansiedade e dormir?

A meditação para ansiedade e dormir não precisa ser complicada e muito menos impositiva. É um processo instintivo que apenas requer sua vontade de tentar. 

Respire

Procure uma posição confortável, com a coluna ereta. Pode ser sentado em uma cadeira ou no chão, ou mesmo caminhando. Preste atenção nas partes do seu corpo que se movem quando você respira. Ao inspirar e expirar, mantenha sua atenção em como está sentindo cada parte do seu corpo. E, quando sua mente começar a divagar, tentar fugir e se ocupar de preocupações, calmamente retome o foco na sua respiração ritmada e tranquila. 

Viva

Meditação é libertação. Então, você pode praticá-la ao caminhar, ao comer e até ao tomar banho. Explore as possibilidades de estimular a sua percepção e viver o momento presente. Movimente-se de forma consciente, perceba e valorize os detalhes das ações que está executando. 

Sinta

Sabores, aromas, imagens, sons, texturas. Todos esses dados carregam muita informação, várias descobertas e sensações. A meditação situa você, sem pressa, no agora. Por isso, é bem interessante aproveitar as tarefas rotineiras para treinar. O tempero da sua comida, a textura que cada garfada trouxe, a temperatura da água que cai do chuveiro: cada minúcia do seu dia contém um universo a ser explorado, aproveite! 

Meditação para ansiedade não é difícil. Especialmente para quem é ansioso, requer empenho e dedicação. Boa vontade é tudo que você precisa para começar. E, se você encontrar alguma dificuldade, não desista. Com apoio profissional, você tem suporte para começar a criar esse hábito que faz tão bem. Meditar rende tantos benefícios que vale a pena dar uma chance. 

Referências 

https://www.tuasaude.com/tratamento-natural-para-ansiedade/
https://www.ecycle.com.br/7475-meditacao.html
https://meditacaotranscendental.com.br/
https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/stress-management/in-depth/tai-chi/art-20045184

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Bianca Gregorio

Publicado por:

Bianca Gregorio