Toda empresa é composta por diversos ativos que devem ser geridos. O bom funcionamento, e consequente desenvolvimento, de uma organização se dá em grande parte por esse bom gerenciamento. E de todas as gestões, a mais importante, imperativa e complexa é a gestão de pessoas. Aqui, números valem menos e outros fatores entram em jogo.

Liderar e administrar pessoas envolve conhecer e trabalhar em cima de suas particularidades, sendo um esforço constante para manter a máquina empresarial sempre bem calibrada. Afinal, nada acontece na sua empresa sem a dedicação de diferentes equipes; que devem ser guiadas de maneira saudável.

Assim sendo, desenvolver estratégias e aplicar processos para melhor gerir o seu capital humano é a base para qualquer empreitada de sucesso a longo prazo. Se você reconhece essa importância e quer investir na construção de uma empresa sólida e humana, informe-se, estude, dialogue, planeje, contrate, aplique, teste, ouça e sempre se movimente. Quer entender melhor? Nós te contamos tudo nesse texto!

Veja o que você vai aprender hoje sobre Gestão de Pessoas

  • O que é Gestão de Pessoas? – Uma introdução para essa maneira de gerenciar equipes e talentos;
  • Gestão de Pessoas e Recursos Humanos: diferenças e semelhanças – Entenda onde se afastam e onde se aproximam dentro da organização empresarial;
  • Por que a Gestão de Pessoas é importante e quais são as suas vantagens? – Funcionários e empresas veem os benefícios do bom gerenciamento;
  • Quais são os pilares da Gestão de Pessoas? – Com base em cinco pilares principais, constrói-se um trabalho mais sólido e longevo;
  • Conheça modelos e pense em estratégias de Gestão de Pessoas – Fique por dentro de formas de se desenhar a sua gestão; 
  • Entenda processos e boas práticas de Gestão de Pessoas – Na hora da execução, ter certos cuidados em mente fará toda a diferença;
  • Gestão de Pessoas e Saúde Emocional – No local de trabalho contemporâneo, ambas andam lado a lado e você deve se inteirar sobre essa intersecção; 
  • Como o Zenklub pode ajudar na Gestão de Pessoas? – Faça parcerias adequadas para maximizar os seus esforços.

O que é Gestão de pessoas?

A gestão de pessoas reúne diferentes métodos e técnicas de treinamento, desenvolvimento, organização e motivação no trabalho. Quando bem aplicada, ela consegue gerar bem-estar para os colaboradores e resultados para empresa. Em outras palavras, formam-se equipes mais saudáveis, com um maior sentimento de satisfação, e consideravelmente mais produtivas.

Isso acontece pela implementação de estratégias e processos de gestão que estejam em sintonia com os funcionários. São práticas que visam a real administração de capital humano, promovendo o engajamento de pessoal, capacitação de profissionais e promoção de um norte claro para todos. Dessa forma, os colaboradores se sentem amparados, sabem para onde ir, entendem seu papel na empresa e reconhecem como a organização pode ajudá-los.

Um ponto importante para compreender o que é gestão de pessoas é contemplá-la como uma atividade sempre presente. Em vez de uma ação pontual, esse gerenciamento acompanha a evolução dos trabalhadores, reconhece suas humanidades e sabe que precisa evoluir junto das equipes. 

Gestão de pessoas e humanização

Como mencionado na introdução, não se deve falar apenas de números. Investir nessas estratégias é a oportunidade de dar um toque mais humano para a empresa; não se tratando de uma gestão impositiva e autoritária. Pelo contrário, é a busca por aproximar valores e objetivos pessoais aos empresariais.

Esse é o motivo pelo qual, inclusive, muitas das técnicas empregadas advêm de estudos da psicologia empresarial. É o resultado de uma preocupação em conhecer o colaborador, oferecer-lhe apoio e construir uma jornada ao seu lado. Propor-se a esse toque de humanidade, então, é essencial para fazer com que esse trabalho siga da melhor maneira possível.

Gestão de Pessoas e Recursos Humanos: diferenças e semelhanças

Ao se depararem com o termo gestão de pessoas, é natural que muitos se questionem: “mas isso basicamente não é o trabalho dos recursos humanos?”. Essa confusão é completamente justificável, afinal, ambos os termos se referem às equipes de uma empresa. 

Contudo, embora haja pontos em que gestão de pessoas e RH se cruzam, eles não são as mesmas coisas. Assim sendo, é de grande importância compreender suas diferenças, tanto conceituais quanto de aplicabilidade, e onde exatamente se cruzam.

O RH é um departamento

A principal diferença está no fato de que o RH é uma área, um departamento; é a repartição cujo principal objetivo e função é gerir tais recursos. Por outro lado, fazer a gestão de pessoas é uma responsabilidade de todas as lideranças; em outras palavras, não está restrita a um núcleo ou pessoa, permeando a organização por completo.

Dessa maneira, funções como recrutamento e organização de processos são chefiados, ou inteiramente guiados, pelo RH. Enquanto isso, essa gestão presente em toda a empresa cuidará do engajamento individual e da manutenção de uma boa cultura organizacional

A Gestão de Pessoas serve de base

Ter uma gestão de pessoas propriamente definida ajuda nos trabalhos do RH, já que esse passa a ter um norte mais claro. Enquanto que esse é o departamento que pode dar apoio para que diferentes lideranças executem o seu trabalho de gerenciamento do capital humano da melhor maneira possível. 

Na prática, é possível ver: a gestão organiza e guia a cultura organizacional, enquanto o RH ajuda a mediar os comportamentos de cada um; a gestão procura maneiras de aumentar a motivação e o RH ajuda promovendo eventos apropriados; a gestão define objetivos que serão trabalhados em feedbacks, já o RH formaliza processos de avaliação.

Por que a Gestão de Pessoas é importante e quais são as suas vantagens?

Pense nas finanças da sua empresa (ou mesmo a nível pessoal) e imagine como estariam sem um olhar atento sobre elas. A falta de uma gestão financeira faz com que toda essa parte essencial para a sua da sua organização fique sem rumo. E o resultado desastroso você já pode imaginar. Logo, aplique esse pensamento sobre as pessoas da sua empresa para ter a mesma conclusão.

A importância, então, se dá no fato de que sem a gestão de pessoas, as equipes estão fadadas à falta de rumo. As suas vantagens, porém, são ainda mais profundas, com impactos reais em trabalhadores, empresa e marca.

Melhora no clima organizacional

Com ações focadas em desenvolver colaboradores e equipes, pensando em como melhorar relações interpessoais, o clima organizacional vê uma clara melhora. Assim, níveis de ansiedade e estresse diminuem consideravelmente, enquanto vê-se um aumento nos índices de trabalho colaborativos, intra e entre equipes.

Funcionários motivados e que produzem melhor

Bem gerenciados, os profissionais percebem um claro avanço na chamada motivação no trabalho. Com mais vontade de participarem da empresa e colaborarem com as metas, os colaboradores encontram mais felicidade, ao passo que a empresa nota um aumento na produtividade.

Diminuição da rotatividade

Se quando não há gestão de pessoas também não há rumo, os funcionários não se sentem tão vinculados a empresa. Logo, ao adotar modelos mais construtivos, ocorre uma queda no turnover; provocando uma maior retenção de talentos, que veem a corporação como uma parceira do seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Atração de talentos

De um lado, profissionais de alto nível desejam crescer junto da empresa; de outro, novos talentos procuram a corporação para fazer parte de seu time. Com uma imagem melhor frente ao mercado e processos seletivos mais bem estruturados, mais profissionais têm interesse em ingressar como novos colaboradores.

Propósito e objetivos

Uma vantagem importante é o desenvolvimento de funcionários que veem um propósito claro de trabalharem na empresa: eles sabem quais são seus papéis, conhecem os objetivos da organização e encontram espaço para alcançar seus próprios objetivos também.

Profissionais mais satisfeitos 

A gestão de pessoas é uma aliada na qualidade de vida no trabalho. Dessa forma, satisfação, bem-estar e saúde emocional são garantidos por esse modelo. Atingir esse estado elevado e saudável de presença deve ser o objetivo de qualquer empresa, sendo, portanto, uma das maiores vantagens de se gerenciar com cuidado, atenção e propósito suas equipes.

Quais são os pilares da Gestão de Pessoas?

O trabalho de gestão de pessoas é feito com planejamento, estratégia e ações bem executadas; e é com organização e objetivos claros que se atinge esse patamar. Para isso, portanto, é necessário ter uma base, algo que sustente de maneira sólida e clara todo o seu esforço de gerenciamento do capital humano. 

Desse modo, pensa-se em pilares que dão apoio a todas as lideranças (e também ao RH) na hora de se aprimorar a gestão. São valores que, mais do que segurarem, propulsionam os esforços e fazem com que as equipes vejam uma melhora drástica na maneira como são recebidas, amparadas e guiadas pela empresa.

Liderança e motivação

O conceito de chefe deve ser totalmente superado, dando lugar ao líder. Ou melhor, à liderança: àquela figura que não é individualista e que trabalha ao lado da equipe, que a compreende, entende suas demandas e as conduz para o futuro da empresa. É saber dar feedbacks construtivos, ter um plano para dá-los com frequência, e também saber receber retornos da equipe.

A liderança, antes mesmo de delegar, pensa em motivar, pois compreende que somente quando motivados é que os colaboradores entregam o seu melhor trabalho. Logo, é parte do trabalho da liderança também procurar maneiras de levar motivação a todos os trabalhadores, mantendo-os engajados e satisfeitos.

Comunicação e cooperação

É muito mais comum do que deveria ver funcionários que não se comunicam bem e equipes que não estabelecem trocas. Então, a gestão de pessoas deve estabelecer uma cultura de boa comunicação: sócios e diretores que mantêm diálogo com as equipes e apresentam metas e resultados, de modo a manter canais abertos; e uma gerência que sana problemas em nível mais individual.

Dessa maneira, é possível construir uma realidade de maior cooperação. Quando diferentes profissionais sabem conversar entre si, o trabalho em equipe acontece organicamente, com resultados mais do que satisfatórios. Além disso, quando cooperam, equipes vêm com soluções inovadoras e ideias que não teriam surgido numa rotina mais solitária.

Treinamento e desenvolvimento

Deve haver uma boa gestão de talentos. Portanto, esses talentos precisam receber o devido apoio para irem mais longe. Isso quer dizer que treinamentos são muito bem-vindos: desde o básico para usar uma ferramenta, por exemplo, até aqueles que despertem competências mais complexas.

Além disso, cursos e planos de carreira podem, e devem, fazer parte de um bom programa de desenvolvimento. Proporcionar os recursos necessários para os profissionais da organização se desenvolverem é um ponto de grande importância, com benefícios para todos.

Conhecimento e competência

Todo conhecimento deve ser valorizado. Procura-se, então, instaurar uma cultura que: reconheça os conhecimentos individuais de cada um, dando espaço para que floresçam nas equipe; entende que dado e informação por si só não valem muito, mas a capacidade de transformá-los em conhecimento é algo a ser incentivado.

Ao lado desse cultura deve vir a gestão de competências. Muitas vezes, um profissional é sub-aproveitado em seu cargo; o que pode mudar completamente ao compreender quais são as suas competências e como elas podem ser aplicadas no dia a dia da empresa.

Acompanhamento e avaliação 

É preciso reforçar: a gestão de pessoas sabe que não é feita de ações pontuais. Todo esforço, colaborador e equipe deve ser acompanhado: como está o seu desempenho?; como está se sentindo?; há saúde e bem-estar?; a comunicação está correndo bem?; as últimas iniciativas tiveram bons resultados?; quais são os objetivos individuais e empresariais do momento? Essas e outras perguntas devem ser feitas constantemente.

Deve haver, também, um bom processo de avaliação – não no sentido de colocar os profissionais à prova, mas para ter métricas que guiem a gestão. Esse, portanto, não é um esforço secundário, nem algo a ser pensado depois: ao desenvolver os seus planos, o momento de avaliação deve ser sempre contemplado.

Conheça modelos e pense em estratégias de Gestão de Pessoas

Para se guiar com os pilares supracitados, entende-se que é importante quebrar modelos antiquados e autoritários de gestão, que visam lucro a qualquer custo e não pensam na qualidade de vida do trabalhador. Surgem, então, novas oportunidades.

São 3 os principais modelos de Gestão de Pessoas

  • Por desempenho: motivação e cooperação são conceitos chave aqui, que visam boa produtividade e alinham objetivos dos diferentes colaboradores com os da empresa;
  • Por competência: treinamento e conhecimento são fundamentais, pensando em como as competências de todos devem ser maximizadas de maneira saudável;
  • Misto: esse é o formato mais completo, conseguindo dar o mesmo peso para todos os principais pilares da boa gestão de pessoas; por ser misto, ele também entende diferentes fases e momentos da empresa, agindo de modo a dar conta das principais necessidades do momento.

Encontre estratégias que façam a Gestão de Pessoas acontecer

Independente do modelo escolhido, uma boa estratégia se fará necessária antes de que as devidas ações sejam tomadas. Portanto, questione-se: qual será o envolvimento do departamento de RH?; quais são as atuais lideranças e como podem ser aprimoradas?; quais são as metas que devem ser atingidas?

Com essas respostas, bons pilares e um modelo a ser seguido, consegue-se desenvolver a estratégia adequada para a sua própria realidade. Partindo, então, para um eficiente plano de ação.

Entenda processos e boas práticas de Gestão de Pessoas

Partindo para os momentos finais da nossa explicação sobre gestão de pessoas, é chegado o momento de falar de questões mais práticas; ou seja, o que de fato é preciso ser levado em conta para agir da maneira mais produtiva possível.

Abaixo, listamos sete pontos de atenção, de modo que você possa compreender as boas práticas que vão ajudar a garantir um processo fluido – e que traga bons resultados. Certamente, peculiaridades de cada empresa podem fazer com que um ponto deva receber mais atenção que o outro, mas todos devem ser devidamente contemplados.

Defina funções, mas dê autonomia

Todos os funcionários devem ter clareza de quais são as funções, bem como as lideranças devem tê-las em mente também. O dia-a-dia de cada colaborador deve ser pautado por aquilo que foi previamente estabelecido. Tudo que vier a mais deve vir ou de um programa de desenvolvimento já combinado, ou de uma autonomia e flexibilidade concedida para que todos tenham espaço para explorar suas próprias ideias e competências.

Crie planos de carreira

Um bom plano de carreira entende aonde o trabalhador quer chegar e como a empresa pode participar desse processo. Isso quer dizer que não deve ser um mero plano de promoções (que pode gerar acúmulo de funções). Pelo contrário, esse programa deve ajudar o colaborador a enxergar o seu caminho, enquanto a empresa garante recursos para que esse trajeto seja percorrido – colhendo frutos ao lado do profissional.

Mantenha um canal de escuta

É importante que lideranças, alta gestão e departamento de RH façam com que as equipes se sintam confortáveis para dialogar. Um ambiente intimidador pode fazer com que insatisfações não sejam passadas à frente, o que gera desconfortos. Por isso, um bom relacionamento, encontros periódicos para escuta e um modelo de mensagens anônimas devem ser incentivados.

Dê feedbacks e incentivos

Como apresentado no início desse texto, as lideranças devem dar bons feedbacks. Fazer gestão de pessoas é deixar claro o que está sendo bem executado (e por quê); e o que precisa ser melhorado (e por quê). Aqui, incentivos e prêmios são bem-vindos: quem responde bem aos retornos e apresenta melhora deve ganhar reconhecimentos da empresa, o que acentua sua curva de progresso.

Defina métricas adequadas

Existem três métricas que não podem faltar para o seu sistema de avaliação, sendo elas: absenteísmo, para entender se há excesso de faltas ou se períodos de ausência durante o dia; desempenho, de modo a compreender se as horas investidas são o suficiente para entregar o que é esperado; e taxa de turnover, já que a rotatividade deve sempre se manter baixa.

Faça boas parcerias

Não há necessidade de se ter todas as expertises de gestão de pessoas dentro da empresa. Isso significa que parcerias vêm para ajudar. Diferentes fornecedores, tanto organizacionais quanto de benefícios, enriquecem a sua forma de gerenciamento e evitam que as lideranças tenham que lidar com mais funções do que deveriam.

Atente-se à saúde emocional

Seus colaboradores só tiram o máximo do proveito dos seus esforços se eles tiverem sua saúde emocional preservada. Logo, faz parte da preocupação da gestão que todos estejam nas suas melhores competências emocionais, isto é, que o trabalho não lhes seja fonte de desequilíbrio, oferecendo ajuda quando necessário. Compreenda mais sobre esse tópico a seguir.

Gestão de Pessoas e Saúde Emocional

Entre transporte, horas de trabalho, pausas e eventuais horas extra, mais de 40 horas, em geral, são dedicadas ao trabalho nos cinco dias úteis – podendo facilmente passar das 50h, atingindo quase metade das 120h de segunda a sexta.

Logo, um emprego tem a capacidade de regular ou de prejudicar a saúde emocional de um indivíduo. E em empresas sem gestão de pessoas, esse fato é bem mais comum. Contudo, somente realizar esse gerenciamento, sem levar em conta o impacto emocional do trabalho, pode ser insuficiente.

Realize uma gestão emocional

Ao avaliar o clima organizacional note: há níveis altos de estresse e de ansiedade?; existem sinais de Síndrome de Burnout?; desentendimentos parecem ser recorrentes?; a falta de motivação parece insinuar sinais de depressão

Para resolver essas questões, mudanças organizacionais podem não ser o suficiente, já que questões psicológicas precisam de outros tipos de apoios e têm outro ritmo para serem superadas. Logo, dar atenção para esses problemas e encontrar maneiras de remediá-los é fazer a gestão emocional, sendo uma parte fundamental do processo como um todo.

Valide a vida fora do trabalho

Situações fora do ambiente do trabalho podem respingar sobre o dia a dia de produção, já que o emocional não é uma chave a ser virada. Enxergar seus colaboradores como os humanos completos que são, com vidas complexas e ramificadas, é essencial aqui. 

Permitir que o funcionário encontre na empresa um facilitador para lidar também com essas questões é um grande diferencial, que o aproxima da organização e fortalece os pilares da gestão de pessoas. Além disso, aumenta-se a felicidade de cada um – sendo essa uma métrica sempre a ser levada em consideração.

Como o Zenklub pode ajudar na Gestão de Pessoas?

O Zenklub tem se tornado uma solução completa para o cuidado da saúde emocional dos colaboradores (do app ao podcast); além de oferecer apoio ao RH e à gestão. Levando em conta que o bem-estar mental e a saúde emocional têm se tornado grandes preocupações de profissionais e de empresas mais comprometidas, o Zenklub passa a ser um parceiro perfeito na desenvolvimento de uma excelente gestão de pessoas. Veja o que oferecemos:

  • Facilite o acesso dos seus colaboradores a tratamentos com especialistas em saúde emocional (psicólogos, coaches, terapeutas e psicanalistas – ver mais);
  • Ofereça acesso completo a nossa biblioteca de conteúdos no app, que abordam qualidade de vida, bem-estar, liderança, desempenho e relações interpessoais;
  • Receba relatórios de mapa emocional das equipes, entendendo quais são as principais necessidades de cada setor;
  • Promova palestras, encontros, treinamentos e lives com nosso apoio e participação de um de nossos especialistas;
  • Tenha todo o comprometimento da nossa equipe de suporte para desenvolver o mais completo projeto para a sua empresa.

Para nós, o bem-estar e a felicidade vêm sempre em primeiro lugar, entendendo que saúde emocional é parte de qualquer estratégia e plano de ação de gestão de pessoas. Leve essas mesmas preocupações para sua empresa também e transporte seu trabalho de RH e gerenciamento para o século XXI. Conte com nossa ajuda e participe dessa revolução. Para saber mais, entrar em contato e contratar nosso serviço, acesse: https://zenklub.com.br/corporate/

Este artigo foi útil?

4.21

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub