Mudar de país não é tarefa simples. Deixar amigos, família e carreira em busca de um sonho nos leva a encarar os fatos: se desprender de tudo o que fazia parte da vida antes da mudança pode gerar algumas dores e sentimentos com os quais será preciso lidar.

Normalmente, quem muda de país está buscando realização pessoal, financeira ou profissional, desafio ou autoconhecimento. Para que qualquer uma dessas opções aconteça, manter-se saudável e conseguir preservar a qualidade de vida são essenciais, e se adaptar à nova vida é um processo que faz parte disso.

Para ajudar quem está vivendo em outro país, a psicóloga e coach Andrea Lino Cunha que atende por video-consulta no Zenklub, enumerou 10 formas de se aproveitar ainda mais a experiência de morar fora do Brasil. Confira aqui as 10 dicas:

LEIA TAMBÉM
Rede de apoio é essencial para quem vive no exterior
Terapia online ajuda brasileiros fora do país

1- Conheça a culinária e a gastronomia locais

“Quando o assunto é provar os sabores diferentes de outra cultura, uma boa pitada de abertura a novas experiências também continua a ser uma boa receita. Sair para conhecer roteiros gastronômicos passando desde restaurantes turísticos, até mesmo aqueles onde só os nativos conhecem, pode ser uma excelente imersão nos temperos e sabores do novo lugar. E se enveredar também pelos mercados e feiras locais, pode ser uma feliz surpresa para descobrir novos ingredientes para começar a cozinhar em casa, por que não?

Conhecer a culinária local e os costumes das pessoas da cidade onde se escolheu viver pode ser útil pra levar os amigos e familiares para passear quando eles forem te visitar pra matar toda essa saudade!”, diz Andrea.

2 – Esteja aberto para se relacionar com as pessoas

A psicóloga fala sobre como se abrir para novos relacionamentos pode aumentar a sensação de pertencimento e ampliar as possibilidades de ampliar o círculo de amizades. “Em qualquer situação cotidiana, temos sempre a oportunidade de puxar uma conversa despretensiosa, e com isso interagir com as pessoas e o ambiente à nossa volta. Desde uma fila de padaria ou um banco do metrô, podemos estar atentos a possíveis situações onde fazer um comentário simpático ou pedir uma informação podem se transformar em boas oportunidades para receber dicas sobre algo interessante”, explica.

3- Exercite o idioma

Se comunicar no idioma local possibilita que você conheça melhor a cultura e os comportamentos sociais das pessoas com as quais você vai se relacionar por bastante tempo. De acordo com a psicóloga Andrea Cunha, exercitar a língua estrangeira pode levar a pessoa a descobrir o quão diferente esse idioma é do curso que ela fez e dos livros com os quais estudou, porque no dia-a-dia ela vai ouvir os sotaques, a entonação e as gírias.  

4 – Se abra às possibilidades que a cidade oferece

Olhar para fora em busca de lugares, restaurantes e pessoas que possam despertar o seu interesse é uma forma de sentir que a nova cidade onde você está é, de fato, a sua nova casa. “Embora amigos, família e comidas preferidas não sejam substituíveis, uma dica para amenizar essas saudades é se abrir às novas possibilidades que a cidade oferece”, recomenda Andrea.

5 – Troque experiências com quem conhece o local

Procure grupos online e presenciais, fóruns e converse com quem já esteve na mesma situação que você. Contar com pessoas que têm experiência prévia pode ajudar a evitar que você passe por situações ruins.

6 – Busque sua rede de apoio

“Vencidas as primeiras barreiras de contato, vai depender muito do esforço individual do novo cidadão estrangeiro, em buscar novas experiências que diminuam o sentimento de solidão, como fazer cursos pela cidade e/ou se filiar a redes sociais de imigrantes daquela localidade, onde há troca de dicas e experiências”, recomenda Andrea.

7 – Procure fortalecer todas as áreas da sua vida

“Para buscar essa adaptação, que é muito individual, é preciso estar bem em todos os níveis da vida: fisicamente, mentalmente, emocionalmente e espiritualmente. Se isso não estiver sendo possível, um alerta se acende: se mesmo com todo o esforço do imigrante em se adaptar à nova cidade, por meio das mais variadas estratégias, ele perceber que aquela escolha se tornou um peso e a mudança de país perdeu o sentido, é hora de reavaliar sua escolha. Buscar ajuda é fundamental nessa hora”, reforça a profissional.

8 – Reconheça que vai levar um tempo para você se adaptar

A psicóloga lembra que, “por mais que se prepare antes da mudança de país, tendo já visitado o local pessoalmente e/ou por meio de pesquisas na internet, a boa adaptação ao novo país não é garantida”. Ser paciente consigo mesmo ajuda a entender que, assim como qualquer outra pessoa, você precisa, sim, de um tempo para se adaptar às mudanças.

9 – Procure ajuda profissional 

Vale tudo: pedir conselho pros amigos, ler depoimentos de pessoas que passaram por situações semelhantes, procurar ajuda profissional de um psicoterapeuta. O que não vale é não reconhecer que a decisão de morar fora está prejudicando sua saúde, se esse for o caso. A ajuda de um especialista que fale o seu idioma nativo e entenda problemas inerentes à sua cultura pode ser um ponto de apoio para te ajudar a se fortalecer nesse processo. A plataforma online Zenklub conta com uma rede de mais de 100 psicólogos disponíveis para fazer consultas por vídeo, de onde quer que você esteja.

10 – Identifique seus pontos fracos e trabalhe neles

Reconhecer quais são os seus principais focos de dificuldade vai te ajudar a se desenvolver para superar esses obstáculos. Se sua maior barreira é com a gastronomia, por exemplo, procure alimentos que sejam parecidos com o que você mais gosta de comer e tente cozinhá-los em casa, à sua maneira. Já se sua dificuldade é com a saudade que sente da família e amigos, combine com eles horários que seja bom para se falarem e estabeleça uma rotina de comunicação.

Este artigo foi útil?

5

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub