Psicóloga, psicoterapeuta e coach, Glaucia Bassan é uma das especialistas que atendem pela nossa plataforma. Movida pelo atual momento de isolamento social, Glaucia compartilhou suas reflexões conosco em um texto que você confere a seguir.

Isolamento social e mudança de mindset

As pessoas estão vivenciando emoções diferentes em relação à “imposição” do isolamento social.

Todavia, antes de ser decretada a quarentena, a fim de promover o isolamento social, a maioria da população estava sempre com a cabeça baixa em trens, ônibus, metrô e até caminhando nas calçadas olhando para seu Smartphone, como se estivesse hipnotizada, sem sequer levantar o olhar para outra pessoa. Na direção dos carros, os condutores que utilizam os aplicativos de trânsito também ficam teclando ou olhando para a tela e, em muitos casos, atrapalhando o tráfego. 

Essa atitude, nas empresas, não tem muita diferença! Muitos profissionais trabalham em ambientes open office e há diversos relatos de que as pessoas não prestam a atenção umas nas outras; não percebem se há alguém em sua volta, aflito, triste, ou que simplesmente tenha mudado a cor do cabelo – isto devido ao magnetismo que as prende a alguma tela, seja do laptop, computador ou de seus mobiles.

Essa fixação na tela significa produtividade? Sociabilidade? Integração?

Atualmente, com o Coronavírus, as empresas estão determinando aos profissionais que trabalhem em home office. Todavia, diversas pessoas estão muito incomodadas por saírem da rotina e, também, experimentarem sentimentos como solidão, tristeza, depressão, frustração, pânico, irritabilidade, dentre outros, causados pelo isolamento social.

Para que todos saibamos passar por esse momento, há diversos artigos publicados em diferentes mídias nos aconselhando como trabalhar em casa, como nos organizar, como nos alimentar, exercícios mais recomendados, como utilizar a tecnologia para conversar com quem não podemos estar perto, como conviver sem crises, etc. 

Richard Bach (autor americano) escreveu:

Nada acontece por acaso. Não existe a sorte. Há um significado por detrás de cada pequeno ato. Talvez não possa ser visto com clareza imediatamente, mas sê-lo-á antes que se passe muito tempo.

Então, em tempos de isolamento social, podemos nos perguntar: 

Será que o Covid-19 veio para que as pessoas e as empresas possam realmente trabalhar juntas, valorizar as relações interpessoais, dar a importância para um olhar, perceber o outro, ter maior comunicação entre as pessoas e participar mais no ambiente corporativo?

Será que esse isolamento social servirá para que todos saiam da zona de conforto, caracterizada por uma rotina, e nos obrigue a pensar diferente? Irá nos forçar a ter contato com nosso eu, a nos dar conta de que não somos tão organizados quanto imaginávamos, que não temos controle sobre tudo e que podemos pedir ajuda às pessoas? 

Temos que pensar no depois que o isolamento social passar

O que vamos mudar em nossas atitudes, no nosso comportamento e em nossas relações, seja no plano pessoal como profissional? Realmente retornaremos a nossa rotina? 

Seremos mais solidários? Seremos mais participativos? Vamos interagir mais uns com os outros? Trabalharemos em grupo? Vamos focar em atividades mais produtivas? Solicitar ajuda quando necessário?  As empresas estarão mais preocupadas com a saúde emocional de seus profissionais? 

É, realmente não temos respostas para tudo, mas acredito cada indivíduo verá uma mudança de mindset após o isolamento social. Minha expectativa é que seja para o mindset progressivo.

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub