Geralmente quando as pessoas pensam ou escutam alguém interessado em fazer psicoterapia, logo se pensa no adoecimento. Será que a psicoterapia só se aplica neste caso? Você já pensou em psicoterapia preventiva

Isso mesmo, é possível desenvolver ferramentas de enfrentamento frente a riscos e situações estressantes do dia a dia, fortalecendo as competências e gerando fatores de proteção à saúde emocional. 

O que é saúde emocional? 

Pode-se definir saúde emocional como sendo um estado de bem-estar, onde o indivíduo se percebe com emoções positivas, um funcionamento satisfatório em diversas áreas da vida—resumindo, a pessoa considera que possui uma qualidade de vida. 

Em 1997 a OMS (Organização Mundial de Saúde) publicou diretrizes sobre a educação de habilidades de vida em escolas e essas habilidades visam desenvolver a capacidade em lidar de forma eficaz com os desafios da vida cotidiana, promovendo competências psicossociais. 

10 habilidades para a vida

As habilidades citadas abaixo podem ser desenvolvidas no processo psicoterapêutico, tendo um especialista como facilitador do processo. As habilidades para vida são:

  1. Comunicação Eficaz;
  2. Empatia;
  3. Relacionamento interpessoais;
  4. Autoconhecimentos;
  5. Pensamentos Criativo;
  6. Pensamento crítico;
  7. Resolução de problemas;
  8. Tomada de decisões;
  9. Manejo de emoções;
  10. Manejo de estresse.

Então, essas habilidades podem ser separadas em três grupos: habilidades sociais, cognitivas e de manejo emocional. 

Funções específicas das habilidades

Na prática clínica e no dia a dia essas habilidades se perpassam, conversam, mas possuem funções específicas, como podemos ver:

  1. A comunicação eficaz é a habilidade que permite se expressar de forma assertiva, tanto verbal, como não verbal. Assim, está relacionada com a assertividade que é considerado como expressar pensamentos, sentimentos, crenças de forma respeitosa consigo e com o outro. Além disso, também se relaciona com a civilidade que é a aceitação e expressão das regras sociais, o que pode variar de cultura para cultura.
  2. A empatia é a identificação e experiência compartilhada, um fenômeno conhecido como espelhamento das emoções do outro. Ela é a habilidade capaz de ampliar os laços de conexão.
  3. O relacionamento interpessoal engloba a capacidade de iniciar conversa, apresenta informações livres, ouvir e fazer confidências, demonstrar gentileza, responder ao contato, manter contato sem ser invasivo, aceitar e fazer convite e manifestar solidariedade – ou seja, habilidades em interagir de forma respeitosa com o outro.
  4. O autoconhecimento refere-se à habilidade de reconhecer a si, de forma integral: caráter, pontos fortes, limitações, crenças, pensamentos e história de vida. Conhecer a si faz com que a pessoa se torne consciente dessas características. 
  5. Além disso, o pensamento criativo permite a flexibilidade cognitiva, ajuda no processo de pensar em diferentes soluções, estratégias e formas de usar recursos.
  6. O pensamento crítico como uma extensão do pensamento criativo, sendo a capacidade de analisar, comparar e classificar as informações. Facilitando a tomada de decisões seguras e conscientes. 
  7. A habilidade de resolução de problemas auxilia a lidar no processo de reconhecer nomear e definir o problema, além de elaborar as alternativas para solucioná-lo. 
  8. A tomada de decisão como consequência da resolução de problemas, e/ou do pensamento criativo e crítico, auxilia na avaliação de vantagens e desvantagens, riscos e benefícios e assim a capacidade de escolher a melhor opção. 
  9. O manejo das emoções consiste na capacidade de reconhecer, nomear e expressar de forma assertiva as emoções. Percebendo a influência que as emoções em nossos comportamentos e como é possível responder de forma adaptativa a cada uma, sejam agradáveis e desagradáveis.
  10. O manejo de estresse está relacionado com as capacidades de perceber e reconhecer as fontes de estresse, assim como de que forma a pessoa está sendo afetada por ele. Envolve estratégias de como lidar com as situações geradoras, sendo solicitar ajuda, ser assertivo e resolver problemas.

Como a terapia pode ajudar

Mais uma vez, é possível perceber como essas habilidades estão relacionadas. Além disso, outro ponto importante é perceber como todas essas habilidades fazem parte do dia a dia, logo, fortalecê-las é uma forma de prevenção e promoção de saúde emocional. 

Mas, a terapia cognitiva comportamental possui excelentes estratégias e ferramentas para trabalhar com todas essas habilidades de forma a enriquecer a vida. 

Como os seres humanos são a espécie mais social das espécies sócias, percebesse como as habilidades apresentadas também são habilidades sociais e que geram impacto em todas as áreas de vida.

Eu posso te ajudar

Eu posso te ajudar a entender os seus sentimentos e preocupações. Você pode conversar comigo sobre autoconhecimento, ansiedade, carreira, autoestima e depressão.

Vem comigo nessa jornada rumo ao autoconhecimento!

Agende sua sessão comigo agora.

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Eduarda Medeiros

Publicado por:

Eduarda Medeiros

Psicóloga Clínica, especialista em Terapias Cognitivas, atua na área a três anos, com experiências em diversas demandas de saúde mental, está sempre buscando novos conhecimentos e aprimorando sua prática com cursos e formação em Terapia Cognitivo Comportamento e Terapia do Esquema. CRP: 12/016740.