O término de namoro não precisa ser um pandemônio

Não existe fórmula de como superar o término de namoro. A gente só sabe que é difícil pra burro! Convidamos a psicóloga Elisângela Sales para explicar por que essa tarefa é tão difícil e ensinar a passar bem pela tarefa de terminar relacionamento.

Em primeiro lugar, é uma coisa muito frustrante. “É um investimento psíquico, libidinal, energético, onde pareceu existir uma espécie de pacto entre o casal, em que se criou expectativas, sonhos, e que quando frustradas, ocorre a ruptura deixando um buraco emocional” diz Elisângela.

Geralmente, quando passamos por uma experiência assim, enfrentamos uma espécie de luto. Primeiro negamos o ocorrido, depois ficamos com raiva, depois tentamos remediar a situação, depois ficamos muito tristes – há quem entre em depressão – até que chega a etapa da aceitação.

“Mas antes de chegar na fase da aceitação, porém, a tendência é se perder em ruminações eternas e pensamentos intrusivos e repetitivos numa tentativa de fechar lacunas, entender o que aconteceu, buscar uma lógica e uma solução pra isso”, completa Elisângela.

As amarras ao passado e os pensamentos repetitivos são muito prejudiciais. O melhor a se fazer é não dar abertura para essas ideias. Começou a pensar no ex-romance? Foque sua atenção em outra coisa. Técnicas de mindfulness podem ajudar com isso.

A pergunta que fica é: será que existe razão para terminar tudo ou uma boa conversa resolve? Elisângela dá a dica: “Dificuldade todos os relacionamentos passam, se ainda existe sentimento o que precisa ser avaliado é o que é possível ou não tolerar, se chegar a um ponto onde  algo se torna intolerável e sem solução, é hora de rever a relação”.

Pois é, não existe receita de bolo para terminar relacionamento, mas dá para amenizar os estragos. Aqui vão algumas dicas de como terminar um relacionamento:

Jogue limpo

Essa historinha de que “o problema sou eu” não cola! A sinceridade é sua melhor aliada neste caso. Coloque seus pontos de maneira calma e com clareza.

Ninguém é santo

Todo mundo tem culpa no cartório. Portanto, jogar o ônus do fim do relacionamento na outra pessoa não é a coisa mais justa a se fazer.

Não é um tribunal

Qual a necessidade de enumerar todos os defeitos da outra pessoa? Entendemos que os ânimos podem se exaltar, mas é melhor descarregar a raiva em uma ocasião mais oportuna. Que tal uma sessão no Zenklub para falar sobre isso?

Vá de mansinho

Uma boa maneira de preparar o parceiro para o término é suavemente ir dando sinais de que você precisa de mais espaço. Não suma de uma vez.

Prepare-se

Você não sabe como a outra pessoa vai reagir, portanto, vá de coração aberto. Seu parceiro pode ser muito razoável ou você pode precisar desviar de alguns copos voadores. Ninguém consegue prever essas coisas.

Faça isso off-line

Não termine por mensagem ou por e-mail. Basicamente você está dizendo à pessoa que ela não é importante o bastante para que você perca tempo fazendo isso ao vivo.

Infelizmente, todo mundo passa por isso uma hora ou outra. Se a barra pesar muito, não precisa de pânico. Zenklub está aqui para isso!

Este artigo foi útil?

3.5

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub