Precisamos falar sobre mães no mercado de trabalho. Um debate importante já que conforme mais mulheres desenvolvem as suas carreiras, mais vemos como a maternidade pode aparecer como um ponto conflituoso; mas não precisa ser assim.

Por isso, chamamos Luciana Cattony, da Real Maternidades e idealizadora da Maternidade nas Empresas, para conversar com Izabella Camargo no Zencast, nosso podcast sobre saúde emocional. Abaixo, você confere algumas das questões extremamente relevantes que elas abordaram nesse papo.

Mais capacitadas, assim são as mães no mercado de trabalho

mães no mercado de trabalho saúde emocional

Segundo Luciana, criar um filho faz com que se aprendam diversas novas competências. Não é à toa, então, que ao criarmos mais condições para mães no mercado de trabalho, estejamos abrindo portas para profissionais habilidosas. Com novos skills em relacionamento, negociação e gerenciamento de tempo, as mães têm muito a acrescentar a uma empresa, por exemplo.

Além disso, poder usar suas inteligências para outras funções, se assim for de sua escolha, tem muito a ajudar na manutenção de sua saúde emocional. Afinal, sentir-se produtivo é um ponto importante para o bem-estar de qualquer um.

A maternidade não deve tirar o poder de tomar decisões

maternidade

Inclusive, falando em escolhas, Luciana reforça para Izabella que mães, e mulheres em geral, precisam ter recursos para escolher com consciência. Durante o episódio, ela diz como faltas de opções e diferentes imposições fazem com que mães tomem decisões que não necessariamente vão ao encontro do que realmente desejam.

Ou seja, seguir ou não em uma carreira, iniciar ou não em um negócio, ser ou não uma mãe em tempo integral… Tudo isso deve ser escolhido conscientemente; não porque, simplesmente, parece que é o que restou ou o que esperam que seja decidido. 

Mais mães no mercado de trabalho é bom para todos

mães no mercado de trabalho zencast

Por fim, todo o empenho por dar mais segurança para as mães, e também promover maior equidade de gênero, tem benefícios que vão mais longe do que se imagina. Além de permitir que os homens exerçam mais a sua paternidade, as empresas veem resultados claros no dia a dia. Sobre isso, Luciana pontua:

Empresas que têm uma divisão mais igualitária entre homens e mulheres, têm uma lucratividade de até 21% a mais.

Muito interessante, não é? Então, para saber mais sobre mães no mercado de trabalho e conhecer o trabalho da Luciana, ouça ao episódio “Maternidade e mercado de trabalho com Luciana Cattony” no Zencast. É só acessar o link abaixo. E, depois, conta pra gente o que achou!

Zenklub