Não é novidade que a pandemia tem um impacto enorme na vida social, econômica e política.  Hoje podemos perceber a dimensão desse efeito na saúde mental. 

Ansiedade, crise de pânico, incertezas, home office, relacionamentos conturbados e desemprego são alguns exemplos de fatores que podem contribuir para o aumento do mal estar. 

Convidamos a psicóloga Vanessa Bernardi elaborar um texto sobre ansiedade para contar um pouco sobre os sintomas da ansiedade e algumas dicas para lidar com  o momento de pandemia.

Primeiro, como identificar se há ansiedade?

A ansiedade é paralisante, ao mesmo tempo em que a pessoa está com pensamento acelerado, não consegue efetivamente colocar em prática aquilo que é necessário.

É normal acabar perdendo controle de emoções e comportamentos ou tomar decisões precipitadas. Assim como:

  • Pensamentos negativos repetitivos;
  •  Dificuldade para dormir;
  • Preocupações e medos exagerados;
  • Incapacidade de controlar os pensamentos ruins;
  • Aflição e angústia;
  • Falta de ar e dor no peito;
  • Palpitação;
  • Sudorese.

De forma geral, qualquer mal estar, físico ou mental deve ser avaliado por um especialista.

Há vida mesmo com a pandemia?

A resposta é certeira: SIM! HÁ VIDA! Uma vida diferente. 

Apesar dos contratempos, muita coisa continua acontecendo, é preciso trabalhar, estudar e se relacionar (muitas vezes virtualmente).

Talvez seja um pouco ou muito diferente do que era antes, mas continua-se precisando estar em movimento, mesmo com fatores adversos.

Essa adaptação ao novo pode ser causa de intensa ansiedade.

Talvez surja o pensamento de que quando a pandemia acabar, a ansiedade vai passar, a vida voltará ao seu normal, você vai ser feliz, e os relacionamentos irão melhorar.

Porém, esperar que o futuro traga um consolo, felicidade ou resolva seu problemas é muito passivo, por isso é necessário  atuar com a nossa realidade de hoje e perceber as possibilidades de readaptar e se reinventar. 

O autoconhecimento nesse momento é essencial.

Então uma dica bem importante: perceba no seu dia-a-dia as pequenas coisas positivas que acontecem. 

Isolamento social e ansiedade

Depois de uma vida super acelerada, a mudança de rotina é drástica quando se trata do isolamento social. 

Home office, crianças estudando a distância, relacionamentos muito próximos ou muito distantes, entre outros.

O isolamento social foi algo gritante na vida das pessoas devido á diminuição do convívio com família, colegas de trabalho e amigos. 

Por isso, os índices de desespero, tristeza, ansiedade e solidão cresceram muito.

As relações dos casais também foi abalada, onde antes tinha espaço para lidar com outras pessoas, nessa realidade é necessário encarar as qualidade e defeitos bem de perto do parceiro, e pode ser desafiador. 

A melhor saída nesse caso é ter uma conversa aberta sobre o que sente e procurar estratégias que auxiliem no bom convívio.

O isolamento social, apesar de ser a melhor estratégia para diminuir a contaminação de outras pessoas, acaba pesando muito na saúde mental daqueles que ficam sem contato social.

Com isso, há aumento significativo da procura de profissionais da saúde como psicólogos e psiquiatras, principalmente na modalidade online.

Assim, essa é outra dica: se está sendo muito difícil lidar com o isolamento busque ajuda. 

O que o Home Office nos trouxe?

No início da pandemia, muitas pessoas apostavam que o home office seria mais produtivo que trabalhar presencialmente, e para algumas pessoas que conseguiram se adaptar a nova modalidade foi positivo, em contrapartida, em algumas situações ficou mais difícil se concentrar no trabalho.

Essa é uma nova modalidade que pegou muitos de surpresa, com a família inteira em casa pode ser mais difícil de conseguir focar nas suas tarefas, muitas vezes sem uma estrutura adequada e privativa para trabalhar e com as crianças fazendo homeschooling também dificultou a produtividade.

O home office coloca a prova a capacidade de adaptação das pessoas.

Confira algumas dicas para lidar com o home office

-Ter horários pré-determinados: Isso significar ter horários iguais aos de quando você trabalhava fora. Horário para acordar, almoçar e sair do trabalho. Caso isto não seja bem definido, pode acontecer de trabalhar uma carga horária muito maior que o necessário, o que pode te levar a um esgotamento.

– Tenha momentos de não fazer nada: Momentos de descanso são tão importantes quanto os momentos de produtividade. É essencial que você tenha momentos pra ler os livros que você quer, assistir televisão, passar tempos com seu marido, mãe ou filhos.

– Fazer exercícios físicos: exercícios físicos são extremamente importantes para controlar o nível de ansiedade. Além disso, pode te trazer ânimo e equilíbrio para lidar com o dia-a-dia. Se possível, caminhadas ao ar livres são extremamente positivas, em locais com pouco movimento e tomando todos os cuidados.

– Mantenha contato com familiares e amigos: mesmo que virtualmente, manter o contato com amigos e familiares é importante para a saúde mental. 

Como a meditação pode te ajudar na ansiedade?

Diferente do que se pode pensar, a meditação não serve para evitar pensamentos, muito pelo contrário, o real objetivo é conseguir percebê-los e ter maior controle sobre eles.

Talvez um dos efeitos mais importantes que a meditação traz seja a paz interior, um lugar onde você pode escapar da turbulência da sua rotina. 

O hábito de meditar diariamente vai lhe ajudar a desligar-se do estresse e trará calma e energia para você enfrentar melhor a ansiedade.

A meditação pode ser utilizada como complemento no tratamento de distúrbios como hipertensão, dores de cabeça, dores nas costas e inclusive no tratamento da ansiedade.

Outro benefício da meditação é que ela pode reforças  o sistema imunológico contra bactérias e vírus.

Pessoas que meditam diariamente mostram um nível de ansiedade muito menor do que aqueles que não meditam. 

Assim como, há recuperação mais rápida ao estado de tranquilidade quando há um acontecimento estressante.

Outro benefício é que ela treina a capacidade de prestar atenção. Isso significa que a meditação ajuda a pessoa a ter uma percepção maior do seu entorno e prestar atenção ao que está acontecendo em vez de deixar a mente dispersar.

Quando utilizada juntamente com a psicoterapia, ajuda o paciente no seu autoconhecimento, a lidar com momentos estressantes e na ansiedade.

Dica: Existem diversos aplicativos com meditação guiada que podem te ajudar a meditar. Tente, teste e veja como se sente.

Pode-se perceber que a ansiedade ficou presente na vida de milhares de pessoas, mas uma coisa é bem importante: há tratamento e é possível ter uma vida normal e qualidade de vida mesmo com a ansiedade. 

Não banalize a ansiedade, busque ajuda assim que perceber algum sinal ou sentir que ela está te atrapalhando.

Esperamos que tenha gostado do texto sobre ansiedade em tempos de pandemia e que consiga aproveitar algumas dicas para deixar o seu dia a dia melhor.

Conheça a especialista

Vanessa Bernardi

Vanessa Bernardi é psicóloga, formada pelo Centro Universitário da Serra Gaúcha, 2015 e possui pós-graduação em Psicologia Positiva pela PUCRS. Têm experiência com psicologia clínica e organizacional. Hoje, como psicóloga digital se dedica exclusivamente à clínica psicológica e atende pacientes em todo o mundo.

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub