Você sabe o comportamento dos seus filhos na internet? Cerca de 80% das crianças e jovens navegam na internet sem controle dos pais. Na verdade, 45% dos pais nem fazem ideia de quanto tempo seus filhos passam em frente ao computador. Esse é o resultado de uma pesquisa da consultoria Prince & Cooke, que entrevistou mães e pais de crianças de 7 a 14 anos.

Segundo pesquisas, a utilização das redes sociais como o Facebook e Twitter vem diminuindo entre os jovens, porque seu conteúdo pode ser controlado pelos pais. Os jovens migraram para os aplicativos de celular que permitem conversação, tais como o Whatsapp e o Snapchat. Nestes, o conteúdo pode ser facilmente apagado e o controle por parte dos pais é bem mais limitado.

Jovens podem acabar expostos à pornografia

Como o acesso à internet é cada vez mais facilitado pelo uso dos celulares, fica cada vez mais difícil os pais controlarem as atitudes de seus filhos na internet. No que se relaciona à sexualidade, muitos jovens buscam informação sobre sexo na internet, contudo o conteúdo visitado na grande maioria das vezes não é material informativo e sim sites de sexo explícito, nos quais o adolescente fica diante de conteúdos que não são verossímeis, com cenas de sexo grotescas e muitas vezes relatando abuso sexual de mulheres e sexo com menores. (Leia a matéria completa sobre como lidar com seu filho adolescente)

Além de estimular expectativas falsas, sobretudo nos garotos que esperam performances de atriz pornô das namoradas, a pornografia online pode tirar um pouco a graça do sexo fora do universo virtual. O jovem fica tão saciado com o que está vendo que não se interessa mais por aquele rito do namoro, da sedução e da fantasia até chegar ao ato sexual e ao orgasmo. Fica dessensibilizado para o sexo com outra pessoa.

A internet é uma ferramenta importante, mas pode ser usada para motivos errados

Para o psicólogo e professor de pós-graduação em Educação Sexual da UNESP Paulo Rennes Marçal Ribeiro, a busca pelo prazer imediato da pornografia também tem origem na repressão imposta pela sociedade, que não permite a existência de uma espontaneidade sexual. “Se os jovens não têm outras fontes de informação, espaços para reflexão, possibilidades de questionamento, só conhecerão e reproduzirão a prática sexual oferecida na pornografia”.

A exposição de conteúdos sexuais não adequados a crianças e jovens antecipa uma curiosidade que deveria ser respeitada nas diferentes fases do desenvolvimento humanos. O jovem vem adquirindo maturidade emocional para lidar com as implicações de uma relação sexual ao longo de sua vida e estimular essa antecipação é prejudicial ao desenvolvimento emocional e sexual de um jovem, que pode vir a ter fantasias e ansiedades desnecessárias quando for um adulto.

Os possíveis perigos dos filhos na internet

O ideal seria que o começo da utilização da internet pelas crianças fosse acompanhado dos pais em casa, contudo isso implica algumas questões. Muitas casas ainda não possuem acesso à internet em um computador, outro ponto é que a maioria dos pais não tem conhecimento tecnológico para ensinar seus filhos e não mensuram o tamanho do perigo envolvido na internet. (Leia a matéria completa sobre a importância da comunicação na relação entre pais e filhos)

O perigo da internet não se restringe somente a acessar conteúdos impróprios para a idade do jovem, mas também outras formas de violência cibernética, tais como o cyberbullying e sexting.

Cyberbullying

Bullying (palavra do inglês que pode ser traduzida como “intimidar” ou “amedrontar”). Sua principal característica é que a agressão (física, moral ou material) é sempre intencional e repetida várias vezes sem uma motivação específica. Mais recentemente, a tecnologia deu nova cara ao problema. E-mails ameaçadores, mensagens negativas em sites de relacionamento e torpedos com fotos e textos constrangedores para a vítima foram batizados de cyberbullying. Dentro do cyberbulling há uma ramificação denominada Sexting, onde conteúdos de origem sexual, fotos e vídeos em sua maioria são postados na internet sem o consentimento da pessoa.

Sexting

O sexting vem sendo usado como uma forma de “revanche sexual”. Muitos casos foram relatados de ex namorados(as) postarem na internet tais conteúdos para se “vingarem” após o termino do namoro. Tais comportamentos só mostram que os jovens de maneira geral estão cada vez menos preparados para lidarem com suas frustrações emocionais.

As consequências emocionais para os jovens que sofrem esse tipo de violência é muitas vezes a depressão, crises de síndrome do pânico e em casos graves o suicídio. É de máxima importância que os pais orientem cada vez mais seus filhos na internet e eduquem-nos sobre os possíveis perigos da sua utilização. A internet é uma ferramenta facilitadora, que muitas vezes é usada de forma a errônea e pode levar a graves traumas.

Criar um filho nos dias de hoje não é uma tarefa fácil

Qual é a melhor maneira de dosar a liberdade e o controle? Qual o equilíbrio entre a privacidade e a preocupação? Somente com muita conversa é possível encontrar esse equilíbrio. Se uma criança ou jovem começar a apresentar um comportamento fora do usual dele, tais como não querer ir pra escola, não querer sair ou brincar, não dormir, não comer, é prudente que o motivo seja averiguado por um psicólogo.

Por vezes pode não ser nada de grave, mas outras vezes a mesma pode ter sofrido algum tipo de bullying sem os pais terem conhecimento do fato. Se tiver dúvidas e quiser um aconselhamento especializado, agende uma sessão de orientação comigo ou com outro dos nossos especialistas no Zenklub.  O Zenklub é a maior rede credenciada de psicólogos online, onde você tem acesso a mais de 100 especialistas por vídeo-consulta.

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub