Engana-se quem pensa que o remédio para ansiedade e outros transtornos como depressão não pode ser terapia. O tratamento com um psicólogo é também recomendado para fobias sociais, síndrome do pânico ou transtorno obsessivo compulsivo. Afinal, é assim que descobrimos como determinados padrões de comportamento que estabelecemos inconscientemente, influenciam diretamente nossa vida.

Confira três tipos de terapia cientificamente estudadas, que oferecem resultados clínicos positivos num curto espaço de tempo e com efeitos duradouros para casos de ansiedade. Nota: conversamos com o psicólogo Massashi Saito que nos explicou como uso de remédios para ansiedade e a terapia podem trabalhar em conjunto: “Tanto a medicina como a psicologia podem colaborar no tratamento dos sintomas de ansiedade. O uso de medicamentos em alguns casos é muito importante. No entanto, recorrer à psicoterapia é indispensável seja qual for o grau do transtorno sofrido pela pessoa.”

3 tipos de terapia como remédio para ansiedade:

Psicoterapia breve focal
O objetivo da psicoterapia breve é melhorar a qualidade de vida em um curto espaço de tempo. As dificuldades mais comuns a serem resolvidas são ansiedade, crises de relacionamento, problemas de autoestima e profissionais.

A psicoterapia breve é uma intervenção terapêutica com tempo e objetivos limitados, que deriva da psicanálise tradicional. Os objetivos são estabelecidos a partir de uma compreensão diagnóstica do paciente e da delimitação de um foco. Além disso, considera-se que esses objetivos são possíveis de serem atingidos num espaço de tempo limitado através de intervenções específicas. Geralmente ao fim de algumas semanas os pacientes já notam uma melhoria significativa. Conseguem identificar o início dos sintomas de crise e isso permite criar mecanismos que controlem esses impulsos.

Analítico-Comportamental
Uma das linhas ligadas ao behaviorismo (conceito que engloba diversas teorias dentro da psicologia), investiga, monitora e modifica as relações que temos com o ambiente no qual vivemos. Busca identificar e mudar os comportamentos que atrapalham a vida. Assim como a psicoterapia breve, a análise do comportamento faz com que você esteja mais consciente das influências externas que afetam suas emoções e comportamentos. Ao identificar estas influências, poderá aprender a controlá-las.

Jungiana
Mais indicada para quem busca autoconhecimento profundo, essa abordagem, criada pelo fundador da psicologia analítica, Carl Gustav Jung (1875-1961), utiliza os sonhos como a chave da terapia.

Por meio dos sonhos o analista conduz o paciente a encontrar o que o incomoda. Além dos sonhos, desenhos e a caixa de areia, com miniaturas, servem para montar cenários. O analisado não pode falar do que quiser: o terapeuta mantém a conversa em torno dos problemas que o levaram ali.

 

Dicas de estilo de vida saudável:

Além do tratamento e remédio para ansiedade, há bons hábitos que podemos cultivar diariamente para melhorar a nossa ansiedade. Algumas dessas dicas práticas com resultados cientificamente comprovados são músicas para relaxar, ficar mais perto da natureza tendo plantas em casa ou meditar:

1 – Ouvir música

A utilização da música para relaxar e até como suporte em terapias vem crescendo e já tem eficácia comprovada. No dia a dia, a música é capaz de diminuir o estresse e a ansiedade. Uma pesquisa realizada por neurocientistas do Reino Unido mostrou que, quando os participantes foram expostos a determinadas músicas, o nível de atividade do cérebro e batidas do coração baixaram consideravelmente. Ouça a playlist criada só com músicas para relaxar e diminuir a ansiedade.

2 – Ficar mais perto da natureza

Um estudo da Universidade de Cardiff sobre as novas tendências de morar afirma: “simplesmente enriquecer um espaço com plantas pode aumentar a produtividade em 15%”. Há estudos que comprovam que ficar em meio à natureza é uma maneira de reduzir os níveis de ansiedade.

3 – Adotar o Mindfulness, método da atenção plena

O mindfulness, ou método da atenção plena, é definido como prestar atenção de um jeito específico: focando no momento presente e sem julgamento. Claudia Comaru, psicóloga no Zenklub e facilitadora de mindfulness, sugere algumas atividades simples para aplicar a prática no dia a dia: “Proponho então algumas práticas, sugestões para desenvolver mais presença na vida. Uma consiste em estar atento às atividades diárias como escovar os dentes, tomar banho e comer. No banho, por exemplo, perceba a sensação da água em contato com a pele, do corpo sendo encharcado, do membro que ensaboa. Cada banho será um momento único, pode acreditar.”, explica ela.

4 – Meditar

Muitas pessoas vêm adotando a prática da meditação como um hábito saudável e comprovadamente poderoso no combate ao estresse e à ansiedade. Nossa mente está acostumada a sempre controlar tudo e se sente desconfortável ao menor sinal de freio”, diz a psicóloga Marjorie Carvalho. A psicóloga listou cinco dicas para quem quer começar a praticar a meditação.

Saiba como estão os seus níveis de ansiedade

O reconhecimento e diagnóstico de ansiedade nem sempre são simples. Se você quer saber o seu nível de ansiedade, clique no link: teste de ansiedade e faça um questionário de 7 perguntas (duração menos de 1 minuto). O teste é adaptado do teste científico Americano criado pelo Dr. Spitzer e Dr William (GAD – Generalized Anxiety Disorder 7).

É uma pessoa ansiosa e gostaria de conversar com um especialista? Conheça os especialistas que atendem pelo Zenklub.

Sintomas físicos e psicológicos da ansiedade

 

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub