O cenário econômico nacional parece bem desanimador. Uma notícia boa está cada vez mais rara e ter uma vida financeira tranquila pode parecer ainda mais distante para muita gente. Também pode ser usado como um pretexto por aquelas pessoas que entra governo e sai governo, entra crise e sai crise, sempre precisam de uma desculpa por estarem financeiramente emperradas.

Isso é curioso, já que entra crise e sai crise, tem outras pessoas fazendo dinheiro e se dando muito bem. Se o cenário é o mesmo para todos, como pode ser bom para uns e péssimo para outros?

Este é o motivo de você estar lendo um artigo relacionado a finanças escrito por uma psicoterapeuta. O sucesso financeiro vai muito além da sua habilidade com matemática ou do valor da sua renda.

É claro que precisamos ficar atentos à economia nacional e até mundial porque assim conseguimos nos planejar e investir de maneira realista e mais segura. No entanto, apesar de toda essa bagunça acontecendo do lado de fora, é preciso haver um olhar especial para o interior, para os pensamentos e emoções envolvidos na sua relação com o dinheiro. É da qualidade desta relação que se darão oportunidades ou problemas.

Para analisar esse relacionamento, vale um olhar para a sua vida financeira atual e também uma atenção ao histórico dela. Esta simples observação de como as coisas nesta área tendem a acontecer para você pode te dar uma boa perspectiva se este é um setor problemático na sua vida ou não. Você pode se dar conta de que a situação nunca esteve do jeito que você queria, que de maneira incrível aparecem imprevistos para te atrapalhar ou que tudo conquistado até agora sempre foi com muita luta e dificuldade.

Seja qual for o padrão que sua história com o dinheiro esteja seguindo ele é o resultado de pensamentos e emoções que você tem escolhido alimentar. Muitas vezes, sem perceber, acabamos nutrindo crenças que vão contra o nosso objetivo de enriquecer e isso reflete no modo como nos comportamos na vida. Não é raro encontrarmos ideias como “eu não quero ser rico, só quero ter dinheiro suficiente”, “o dinheiro não traz felicidade”, “a vida é dura, tudo é difícil de ganhar”. Estes são só alguns exemplos das mensagens que já vi serem passadas. Isso vem da nossa criação familiar, religiosa e social que acaba nos impregnando com conceitos distorcidos sobre ter dinheiro e ser rico.

O resultado já dá pra imaginar: você cria uma resistência enorme contra seu sucesso e sua prosperidade, ou seja, uma vida com limites. É por isso que de nada adiantará conhecimento técnico, dominar análises de mercado e seguir as dicas de aplicação dos bilionários, se este sensor interno for ignorado.

É, sem dúvida, fundamental investir na sua educação financeira, uma vez que ainda não temos isso no ensino básico. No entanto, este é o “caminho externo”. Se o seu “caminho interno” para riqueza estiver com muitas pedras, ele pode sabotar todo o ganho que poderia ter sido alcançado apesar de uma renda alta, das estratégias analíticas e das consultorias financeiras.

Portanto, esta auto observação é o primeiro passo em direção ao sucesso financeiro tão almejado. Dependendo da sua idade, podem ser trinta, quarenta, sessenta anos com esta programação mental e trabalhar para mudá-la exige conhecimento, foco e motivação. A terapia pode ajudá-lo nesse processo de rever suas crenças e substituí-las por outras mais efetivas.

Afinal, enriquecemos de dentro para fora.

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub