A melhor maneira de se libertar é se conhecer melhor. Se acolhendo, se permitindo, se cuidando. Quem pensa que o que te aprisiona está do lado de fora, que são outras pessoas ou situações, está longe de alcançar a sua real liberdade.

A maioria das pessoas acredita que se conhecer bem é saber qual a cor favorita, qual comida gosta mais, que roupa acha mais legal… Isso faz parte também, mas não chega nem perto do autoconhecimento real.

Quais as emoções mais mexem comigo? Quais situações fazem tais emoções surgirem? Como eu reajo diante dessas coisas? Como eu posso lidar quando isso acontecer? Autoconhecimento envolve, principalmente, o interno. E esse é o maior objetivo da psicologia: proporcionar o autoconhecimento as pessoas.

Somos responsáveis por tudo o que nos ocorre, mesmo com o que fazem com a gente, mesmo com os fatores externos incontroláveis. Você pode estar pensando: “como sou responsável por algo que não tenho controle?”, eu te respondo: a pergunta não é essa!

O que devemos perguntar é: “o que EU posso fazer com o que aconteceu?”, “Como eu posso lidar com isso?”, e assim, a responsabilidade retorna para você. Lembrando que o optar por não fazer nada também é sua responsabilidade.

Mas, quando você resolve lidar de forma consciente, perceberá que não importa a situação, você sempre estará ali se autoacolhendo, cuidando e optando por escolhas efetivas que te façam caminhar sem ficar se ruminando no “e se…”, “eu poderia…”, “eu deveria…”.

Não podemos voltar no passado, vamos trabalhar com o que temos no momento, independente da situação. Aceitemos o que está ocorrendo e trabalhemos em cima disso. Aqui, agora, momento presente.

 

E, então, você sabe como se livrar das prisões que te seguram?

Este artigo foi útil?

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub