Escutar em audio
Voiced by Amazon Polly

Se você é mulher e já se olhou no espelho hoje sabe que ter autoestima é um desafio diário. Parece que existe uma voz no seu interior que diz constantemente que aquele relatório podia ter ficado melhor, que os filhos não estão recebendo atenção suficiente e que você não vai na academia há semanas. A autoestima feminina é posta à prova todos os dias.

Essa não é uma dificuldade de um número pequeno de mulheres, a pressão sobre os corpos e atitudes de meninas mostra que a construção de uma autoimagem saudável requer esforço dobrado. Em um Relatório Global de autoconfiança feminina, a marca Dove constatou que 7 em cada 10 mulheres se sente pressionada a nunca cometer erros e demonstrar fraqueza.

Quando o assunto é a aparência os número são ainda maiores. São 92%  as mulheres brasileiras que afirmaram abrir mão fazer atividades como sair com os amigos, entrar no time do esporte favorito porque se sentiam insatisfeitas com a própria aparência.

A estrada para a construção de um autoestima feminina elevada pode ser longa, mas traz muitos benefícios às mulheres. Comentamos alguns abaixo:

Você não irá se envolver em relacionamentos abusivos

Quando uma mulher tem dificuldades para reconhecer o próprio valor pode se envolver com mais facilidade em relacionamentos abusivos. Existem diversas atitudes que identificam um parceiro como abusivo, porém por trás de todas elas o objetivo maior e minar a autoestima feminina.

Mulher com uma boa autoimagem podem viver relacionamentos assim? Claro, porém quando você possui amor próprio as chances de uma situação assim acontecer é menor. Ter amor próprio permite que você perceba que os erros apontados pelo parceiro não podem vir somente do seu comportamento.

As relações de trabalho serão mais justa

O mercado de trabalho também é um espaço onde mulheres sentem a pressão de maneira diferente dos homens. Uma pesquisa realizada pela Catho mostrou que homens ganham um salário maior que mulheres em até 62,5% em cargos de consultoria, 51,4% para especialista graduado e em posições operacionais o número chega a 58%.

Portanto, para além da autoestima feminina o mundo do trabalho não tem sido justo com as mulheres. Apesar disso, é importante destacar que posicionar de maneira segura e ativa, principalmente quando se ocupa cargos de chefia, pode fazer toda a diferença no que diz respeito às relações de trabalho.

Quando se busca valorizar os pontos fortes e reconhecer os pontos fracos, respeitando limites e sendo generosa consigo mesma, as mulheres têm mais chance de evitar ambientes tóxicos de trabalho, além de assédios.

Com a autoestima feminina, a imagem que você tem de si mesma será positiva

Na pesquisa realizada pela Dove, 71% das mulheres acredita que mídia precisa se esforçar para retratar mulheres de diferentes tipos de beleza, mostrando maior diversidade de idades raça, biótipo e tamanho. Elas estão certas! Estar ciente de que existem diferentes tipos de belezas, geral identificação e bem-estar.

Alguém que compreende que a importância de autoimagem positiva, busca ter mais cuidado consigo e isso transparece para as pessoas que estão ao redor. Ter uma imagem positiva de si mesma não significa tornar-se perfeita. É reconhecer que existem características das quais se orgulhar em todos os tipos de mulher.

Bônus – 5 TEDS SOBRE EMPODERAMENTO FEMININO QUE VOCÊ DEVERIA ASSISTIR

As mulheres têm muito a dizer. Histórias de conquista, maneiras de superar as próprias limitações, etc. Elas podem ter vindo de diferentes países e culturas, mas compartilham do mesmo desejo: mostrar que por meio do empoderamento feminino podemos ter uma sociedade melhor e mais justa.

Para inspirar mais mulheres a contarem suas histórias e fazer delas o combustível para ações que podem mudar a vida de outras, separados cinco TEDs que contam a jornada de diferentes mulheres que têm importantes papéis na nossa sociedade.

SHERYL SANDBERG: POR QUE TEMOS TÃO POUCAS MULHERES LÍDERES?

Sabemos que mesmo com mais qualificação as mulheres ainda têm dificuldades de chegar a posições de destaque em empresas e governos. A chefe operacional do Facebook, Sheryl Sandberg, fala na palestra “Faça Acontecer – Mulheres, trabalho e a vontade de liderar”, sobre a necessidade de existirem maiores oportunidades para as mulheres.

Ela aborda questões relacionadas a maneira com que as mulheres se veem dentro do ambiente de trabalho. Além das dificuldades internas, ela aborda também a maneira como a sociedade vê as mulheres em posições de liderança.

RESHMA SAUJANI: ENSINE CORAGEM ÀS GAROTAS, NÃO PERFEIÇÃO

Fundadora do “Girls Who Code”, Reshma Saujani, fala sobre como mulheres são ensinadas desde cedo a não correr riscos, enquanto os homens são incentivados a viver aventuras. Ela afirma a sociedade está criando mulheres para serem perfeitas e meninos para serem corajosos. Reshma acredita que esse comportamento tem deixado as mulheres distantes das posições de comando.

Reshma conta que em seu projeto, busca ensinar meninas que falhar é parte importante do processo de criação. Ela acredita que se ensinarmos as mulheres que não é preciso ser perfeito, elas conseguiram criar uma mudança no mundo.

CHIMAMANDA NGOZI ADICHIE: NÓS TODOS DEVEMOS SER FEMINISTAS

Chimamanda é uma famosa escritora nigeriana e seu TED ficou reconhecido mundialmente por falar da necessidade de todos, homens e mulheres olharem para o feminismo como um movimento que busca pela igualdade. Parte dessa palestra foi usada em uma famosa apresentação da cantora Beyoncé.

MAYNARA FANUCCI LEME: EMPODERE DUAS MULHERES

Criadora do Empodere Duas Mulheres, Maynara Fanucci Leme, conta a história sobre como descobriu o feminismo e como o movimento criado por ela tem o objetivo de ser uma espaço de apoio às mulheres, criando uma rede que busca a capacitação coletiva.

Ela conta que existem diversas formas de empoderar uma mulher, pode ser através da escuta, contratando uma mulher para a sua empresa, etc. Maynara também fala sobre a necessidade da construção de vínculos verdadeiros entre mulheres distante dos estereótipos de competição.

ANA LÚCIA FONTES: AS MULHERES PODEM MELHORAR O MUNDO

Fundadora da Natheia Coworking e a Rede Mulher Empreendedora, a primeira e maior rede de apoio a empreendedoras do Brasil, Ana Lúcia conta a sua jornada como mulher e nordestina em busca de fazer faculdade. Hoje ela é professora na FGV e já ajudou mais de 200 mil mulheres empreendedoras no Brasil.

E você? Sente que ter autoestima faz diferença no seu dia-a-dia? Nos conte nos comentários.

Se você se tem uma autoestima baixa e acredita que pode beneficiar de acompanhamento com um especialista, acesse o Zenklub, uma plataforma de vídeo-consultas com mais de 100 especialistas prontos para te ajudar.

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub