Fobia, segundo o dicionário, é o medo exagerado, falta de tolerância e aversão a algo ou alguém. E por mais que pareça exagero, há diversos tipos de fobias que atingem diversas pessoas, como a tripofobia, que vem originada do grego e significa medo de buracos.

Mas você sabe o que é a tripofobia humana? Quais os sintomas e formas de tratamento para quem sofre desse tipo de fobia? É isso que vamos detalhar, para que você tenha mais informação e saiba como resolver esse transtorno.

O que é tripofobia?

A tripofobia, também conhecida como “O Medo de Buracos”, é o nome dado para um transtorno psicológico caracterizado pela aversão ou medo irracional de imagens ou objetos que tenham buracos ou padrões irregulares. Uma pessoa com essa condição pode, por exemplo, se sentir extremamente incomodada ao ser exposta a imagens como favos de mel, agrupamento de buracos na pele, madeira, plantas ou esponjas.

Embora ainda não seja reconhecida como uma doença real, mas sim uma das modalidades de transtorno de ansiedade, e a tripofobia tem sido cada vez mais estudada e alcançado visibilidade entre as pessoas, afinal, segundo estudo, aproximadamente 15% das pessoas sentem desconforto com esse tipo de imagens.

Quais são as causas da Tripofobia?

As causas da tripofobia já foram objetos de alguns estudos, cada um deles alcançando conclusões diferentes. Em um estudo feito em 2013, pesquisadores de uma universidade britânica descobriram que pessoas com essa condição associam, inconscientemente, esses padrões de buracos a possíveis situações de perigo. Eles também concluíram que a aversão mais frequente é a padrões da natureza, como a pele de animais venenosos.

Essa descoberta foi feita por meio de um teste prático: eles coletaram imagens das 10 espécies mais venenosas para analisar. Descobriram que essas espécies, muitas vezes, apresentavam padrões semelhantes aos que provocam incômodo e medo nas pessoas que sofrem de tripofobia. Segundo esse estudo, a exposição a padrões de buracos estimulam, em quem tem tripofobia, uma parte do cérebro que associa essas imagens a situações de perigo.

Do outro lado, uma pesquisa divulgada em 2017 alcançou uma descoberta um pouco diferente. No estudo, pesquisadores avaliaram alunos da pré-escola para confirmar o incômodo experienciado ao ver uma imagem com pequenos buracos era, realmente, baseado em um medo de animais perigosos. Os resultados do estudo mostraram que as pessoas que experimentam os sintomas da tripofobia não têm medo propriamente de animais venenosos e sim, de sua aparência.

Ou seja, pessoas que sofrem com a tripofobia, em geral, não conseguem diferenciar situações em que há perigo ou não, quando se deparam com imagens de buracos, e esse reflexo é tido como inconsciente e por isso provocam reações incontroláveis.

Tipos de imagens que causam a Tripofobia

Podemos pensar em buracos em geral, mas há algumas outras imagens específicas que estimulam a tripofobia:

Outros estímulos incluem:

  • Esponja;
  • Bolhas de sabão;
  • Esponja do mar;
  • Corais;
  • Poros das folhas das plantas;
  • Semente de lótus;
  • Romãs;
  • Morangos;
  • Favos de mel;
  • Alguns cogumelos;
  • Conjunto de olhos de insetos;
  • Toalhas de crochê.

Faça o teste para saber se você sofre de Tripofobia

Para ajudar você a descobrir se sofre ou não de tripofobia, deixamos aqui um vídeo que a(o) ajuda a descobrir.

Quais os principais sintomas da Tripofobia?

Os sintomas vivenciados por pessoas que sofrem desse transtorno podem ser muito parecidos com sintomas que aparecem frequentemente durante de crises de ansiedade. Para quem tem tripofobia, ver um conjunto de buracos e certos padrões geométricos podem causar sentimentos de aversão ou medo. Alguns sintomas que podem surgir são:

  • Mal estar geral;
  • Angústia;
  • Crises de choro;
  • Arrepios e tremores de corpo;
  • Coceira e formigamento generalizados;
  • Irritações na pele;
  • Sensibilidade nas mãos;
  • Desconforto na visão;
  • Náusea ou enjoo;
  • Suores;
  • Aumento da frequência dos batimentos cardíacos.

Em casos mais extremos, um nível muito alto de ansiedade pode desencadear ataques de pânico na pessoa que sofre de tripofobia, e até desmaios. Saiba como tratar os principais sintomas do síndrome do pânico.

A Tripofobia tem cura?

Como o que acontece em todos os tipos de fobia, muito se discute sobre o fato de a tripofobia ter cura ou não. Enquantos alguns acreditam que sim, outros dizem que, embora não exista uma cura específica, a pessoa que sofre desse transtorno pode aprender, aos poucos, a enfrentar as situações que provocam sintomas negativos.

Se você perceber que o “Medo de Buracos” está atrapalhando o seu dia-a-dia, o mais recomendado é procurar orientação de um psicólogo. Além do acompanhamento com um profissional, há outras medidas simples que você pode incluir na sua rotina para aliviar e diminuir os sintomas desse transtorno.

Saiba quais são os principais tratamentos para a Tripofobia 

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria, ainda não reconhece a tripofobia, mas como já é comprovado que os sintomas dificultam o cotidiano e a realização de tarefas comuns, há algumas possibilidades de tratamento para pessoas com esse transtorno.

O tratamento que se mostra mais eficaz com pessoas que sofrem de tripofobia é a terapia de exposição. É um processo terapêutico que ajuda a pessoa a controlar o seu medo e a mudar a maneira como reage aos objetos que geram essa fobia. Mas tome cuidado: essa psicoterapia deve ser feita com a ajuda de um psicólogo e de forma cautelosa para não provocar mais traumas.

O processo é mais ou menos assim: em um primeiro momento, a pessoa é exposta a um estímulo que provoque o aparecimento da fobia, mas que não cause tanta aversão. Aos poucos, o terapeuta vai aumentando o nível desses estímulos, até alcançar um que gere em um grande desconforto. Por meio de conversas, ele vai te ensinar técnicas de relaxamento e respiração para que você enfrente o seu medo.

Além da terapia, é comum combinar a aplicação de remédios que ajudam a reduzir a ansiedade, mas é importante reforçar, que não é recomendável você se automedicar. Procure sempre seguir as orientações de um especialista.

Técnicas e novos hábitos

Como não há estudos suficientes, não há como prevenir a tripofobia, mas você também pode incluir na sua rotina algumas atividades e técnicas que te ajudem a reduzir sua ansiedade e que podem te ajudar no tratamento da tripofobia, como:

  • Terapia de conversa com um psicólogo ou psiquiatra;
  • Técnicas de relaxamento, como respiração profunda e a prática de yoga;
  • Atividade e exercício físico para reduzir os sintomas da ansiedade;
  • Respiração consciente, observação e outras estratégias conscientes para ajudar a lidar com o estresse;
  • Descansar bastante;
  • Adotar uma dieta saudável e equilibrada;
  • Evitar o excesso de cafeína e outras substâncias que possam piorar os sintomas da ansiedade.


Como a tripofobia é um tipo de transtorno de ansiedade que só aparece em situações específicas, o tratamento mais indicado é, realmente, a terapia. A psicoterapia vai ajudar você a abandonar a sensação de desconforto e medo. Seja com psicólogos online, como os especialistas do Zenklub, ou com tratamento presencial, o mais importante é você não deixar esses sintomas de lado e buscar ajuda.

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub