Estamos no Janeiro Branco 2020, o mês todinho dedicado à saúde emocional. Que boa maneira de começar esse vinte vinte, hein? Pra quem ainda não conhece a iniciativa do Janeiro Branco, ela surgiu em Minas Gerais (sim, é do Brasil!), no ano de 2014, quando o mundo estava passando por revoluções nos debates sobre saúde emocional

Então, seguindo essa tendência, um grupo de psicólogos de Uberlândia resolveu aproveitar o início do ano, essa época cheia de vontades e expectativas, para promover conversas super necessárias sobre autocuidado, bem-estar e vida saudável – com a intenção de incentivar um ano todo mais consciente. 

Passados já 6 anos, a campanha cresceu, nos contagiou e estamos aqui pra entrar nessa onda e fazer a nossa parte junto de vocês.

Janeiro Branco 2020

janeiro branco saúde emocional

No site do Janeiro Branco, você pode ver mais sobre os valores que norteiam os esforços desse mês, que não somente possuem muita afinidade com o nosso trabalho, como também nos inspiram a ir além. Olha só um pouquinho do que eles dizem:

Uma campanha pensada, planejada e projetada para a promoção de Saúde Emocional nas vidas de todos os indivíduos que compõe a humanidade, buscando estratégias políticas, sociais e culturais para que o adoecimento emocional seja prevenido, conhecido e combatido em todos os campos, esferas, dimensões e espaços em que o humano se faz presente.

Só uma palavra: TUDO! Especialmente quando eles falam de “todos os indivíduos que compõe a humanidade”. Porque falar sobre problemas com a saúde emocional, bem como se cuidar, é para todo mundo. É para mulheres e também para homens (que muitas vezes acham que não precisam se cuidar, como falamos no post sobre Masculinidade); é para todos os LGBTQIA+ (especialmente pessoas trans que frequentemente são mais marginalizadas), para pessoas de todas as etnias (dica: Saúde mental não é um problema só de gente branca), para todos os tipos de corpo, para todas as cidades, para todos os rendimentos. 

Por isso, vamos embarcar com tudo nessa, fazer a nossa parte e compartilhar com vocês várias maneiras de como alcançar mais qualidade de vida, através da melhora da sua saúde emocional, dentro de vários campos da sua vida.

Saber se cuidar é essencial

autocuidado autoconhecimento

O primeiro e mais importante passo para uma vida com mais saúde emocional é investir no autoconhecimento. É como diz Luciana Leon, nossa especialista, que é psicóloga, terapeuta ayurvédica e professora de yoga e meditação:

Quando sentimos algo negativo, temos a tendência de querer ignorar ou afastar esse sentimento da gente. Enquanto, na verdade, deveríamos parar, respirar e olhar com muita atenção para esse sentimento, a fim de criar intimidade com ele. É entrando em contato com o sentimento que podemos começar a administrá-lo.

Bonito, né? Depois, conta pra gente nos comentários como você exerce o seu autocuidado nos diferentes momentos do seu dia. Até porque, cuidar de si mesmo pode e deve ser feito em vários campos da nossa vida. E hoje, nós vamos destacar, primeiramente, 5 deles: corpo, finanças, trabalho, consumo e digital.

Corpo

autocuidado corpo

Corpo e mente caminham juntinhos. Ou seja, quando você cuida do seu emocional, o seu corpo sente. E quando você cuida do seu corpo, sua mente sente. Por isso, quem pratica atividades físicas com regularidade tende a ter mais saúde emocional (mas tem que ser uma atividade que você curte; não adianta ir levantar ferro se o que te empolga mesmo é dançar, por exemplo). Para saber mais sobre essa conexão corpo e mente, leia a publicação Saúde é equilíbrio: mente e corpo devem ser vistos sem dualidade, do portal O Tempo. 

Ah! E já que estamos nessa de Janeiro Branco, vamos lembrar também do Outubro Rosa, sobre prevenção e tratamento do câncer de mama, e do Novembro Azul, sobre prevenção e tratamento do câncer de próstata (que não é só coisa de homem cis, hein?). Prevenir-se e saber como se cuidar reduz ansiedades e dá mais tranquilidade.

Finanças

autocuidado finanças

A regra é clara: não dá pra ter saúde emocional sem saúde financeira. E não: isso não quer dizer que você precisa ter rios de dinheiro. Saúde financeira é saber usar bem os recursos que você já tem, entendendo que na hora de comprar algo, é preciso ponderar muito mais do que o preço, como Ricardo Hickmann, nosso especialista em educação financeira, diz:

Planejar nossas finanças com inteligência é conseguir ver o valor real das coisas.

Perfeito, né? Então, pra você se aprofundar nesse tema, a gente recomenda ler o nosso post Como cuidar da saúde financeira, que contou com a ajuda de mais uma de nossas especialistas.

Trabalho

autocuidado trabalho

Querendo ou não, o trabalho é uma das principais partes das nossas vidas. Logo, não é à toa que quando as coisas no emprego não vão bem parece que todo o resto fica mal também.

Então, nesses tempos de burnout, a gente indica dois textos: primeiro, o Saúde mental: veja dicas para não adoecer no trabalho em 2020, do Metrópoles, pra você já começar hoje mesmo a mudar alguns hábitos no trabalho; e o Estresse Não É Sinônimo De Produtividade, que nosso CEO Rui Brandão escreveu para o site Rh Pra Você.  

Consumo

autocuidado consumo

É bom fazer uma comprinha, né? Mas quando a coisa vai ficando compulsiva, ou quando temos momentos de descontrole, nosso consumo acaba tendo um impacto muito negativo na nossa saúde emocional.

Se para você o consumo muitas vezes vira um problema, o primeiro passo é: identificar esses momentos. Para depois ir atrás das causas e, então, aos poucos mudar seus hábitos, de modo que o ato de comprar deixe de comprometer o seu bem-estar.

Digital

autocuidado digital

Por fim, nosso quinto ponto sobre autocuidado é a sua presença digital. Já que, hoje em dia, para muitas pessoas, a vida digital é tão presente e constante quanto a offline – o famoso mundo real. 

Lembre-se sempre: o tempo que você passa no digital não deve comprometer o tempo que você passa fora dele, sendo que as redes sociais e outras plataformas devem ser pontes para outros momentos na sua vida.

Até porque, saber usar bem os meios digitais, pode trazer muita coisa boa para qualquer um. Quer ver só? Então, dá uma lida no nosso post sobre Bem-estar na era digital.

Conecte-se consigo mesmo nesse Janeiro Branco 2020

janeiro branco 2020 mindfulness

Quando a gente se conhece, a gente consegue se conectar com nosso verdadeiro eu, ao mesmo tempo em que poder se olhar é sempre um exercício de autoconhecimento. Só que nesse mundo hiper-conectado, parece que a gente acessa tudo com muita facilidade, com exceção de nós mesmos. 

Então, aproveite o Janeiro Branco para descobrir maneiras de criar essa conexão. Se você já tem feito esse exercício, compartilha a sua experiência na nossa seção de comentários. Senão, começa a se inspirar nas artes do corpo ou artes marciais; na yoga, meditação e medicina ayurvédica (sobre a qual gente explicou tudo num post todo focado em Ayurveda); e no mindfulness.

Inclusive, quem quiser umas dicas de como praticar o Mindfulness no dia a dia, dá o play no vídeo abaixo:

Cuidar de si e, também, dos outros

cuidado saúde emocional

Quem já viajou de avião deve ter ouvido o seguinte:

Em caso de despressurização da cabine, máscaras de oxigênio cairão automaticamente. Puxe uma das máscaras, coloque-a PRIMEIRO EM VOCÊ, PARA DEPOIS COLOCAR NAS PESSOAS QUE VOCÊ AMA.

Quando o papo é saúde emocional, a lógica é a mesma. Poder cuidar dos outros é prazeroso e fundamental. Mas para isso acontecer da melhor maneira, nós mesmos precisamos estar em dia. Então, primeiro estabelecemos uma boa relação com nós mesmo e, depois, conseguimos cuidar e amar ainda mais as pessoas que estão perto da gente; sejam amigos, parentes e, até, a família que a gente escolhe.

Deixe o Janeiro Branco 2020 inspirar higiene da saúde emocional e do bem-estar

terapia higiene saúde emocional bem estar

Todo dia a gente tem que escovar os dentes e tomar banho, não tem? Pois é, esse Janeiro Branco quer estimular que o mesmo tipo de cuidado seja visto para a saúde emocional – é uma questão de higiene da alma. E a maneira mais intensa e profunda de se fazer isso é com a ajuda de um especialista, como Rafael Zunino, que atua com clínica desde 2007 e atende pela nossa plataforma, explica a seguir:

De modo geral, as pessoas desconhecem ou se desinteressam por autoconhecimento. Quase que unanimemente, somos criados sem desenvolver um apreço, curiosidade ou valorização pelo que sentimos e pelas peculiaridades da percepção pessoal, ou pelo que o ponto de vista individual diz sobre cada um de nós. Sem querer, ficamos a mercê de uma quantidade reduzida de maneiras de agir e reagir ao mundo e de se relacionar com as pessoas. Dessa maneira, a imagem que criamos de nós mesmos se torna menos real, já que não fazemos usufruto dessa flexibilidade potencial do nosso comportamento e da nossa imaginação.

E ainda afirma que…

Ainda que existam em nós características emocionais e mentais que nunca irão mudar, há uma quantidade significativa que pode, sim, ser manejada. Autoconfiança e amor próprio são resultados dessa busca – equipamento básico para lidarmos com as dificuldades, aproveitarmos as oportunidades e celebrarmos a vida. Por estranho que pareça, é no reconhecimento (que às vezes parece uma grande descoberta!) de quem somos que nossa bússola interna é calibrada. E surge, então, aquela sensação/visão individual – parte pensamento, parte emoção, parte intuição – que nos orienta no que deve ser aceito e o que precisa ser mudado.

Para isso acontecer, há diferentes opções de se trilhar essa jornada. Uma delas é a psicoterapia, onde o psicólogo clínico é preparado para: auxiliar a desvendar os pontos cegos que todos temos; criar um ambiente seguro onde possamos dar voz e colocar em palavras coisas que nunca antes tiveram essa chance; e a nos experimentarmos a partir da gradativa dissolução de nossos medos – e o consequente despertar da coragem que já existe em cada um de nós. Isso tudo sempre respeitando o tempo e a maneira da pessoa processar o que vai descobrindo e sentindo. Nesse sentido, não há comparações nem jeito único. Cada pessoa é regente da própria caminhada, e o psicólogo, um acompanhante especificamente preparado.

Janeiro Branco 2020 com o zenklub

janeiro branco 2020 zenklub
Crédito da foto: cool flat lay

De janeiro a dezembro, conte com o zenklub para encontrar mais bem-estar e investir na sua saúde emocional. Como? Assinando o zenPremium

Quem fizer nossa assinatura, por apenas R$14,90, vai ter acesso a 1ª sessão de terapia de graça, desconto de 10% em todas as sessões marcadas mensalmente, acesso a um mapa zen, que marca toda a sua jornada emocional, além de conteúdos especiais com foco em saúde emocional.

E aí? Ficou inspirado com o Janeiro Branco 2020? Então, vai nos comentários e conta pra gente o que você está planejando fazer para ter um ano com mais bem-estar.

Zenklub