O Transtorno Desafiador Opositivo, ou Transtorno Opositivo Desafiador (TOD), geralmente afeta crianças e tem como características principais um comportamento de desobediência, raiva e falta de controle. 

É muito comum que crianças passem por uma fase de maior rebeldia. Mas, muitas vezes, esse comportamento não é apenas um traço de personalidade, e sim parte dos sintomas desse transtorno que pode ser tratado. 

Vale lembrar que a criança só pode ser diagnosticada com esse transtorno por um especialista, que também vai ajudar os pais a entenderem melhor como lidar com transtorno desafiador opositivo. 

O que é transtorno opositor desafiador?

O Transtorno Opositivo Desafiador é quando é identificado um padrão recorrente de comportamentos negativos, como por exemplo desobediência, irritação e desafio. 

Normalmente esses comportamentos são identificados em crianças e direcionados a uma figura de autoridade, como por exemplo os pais e professores. 

As crianças diagnosticadas com o Transtorno Opositivo Desafiador tendem a ser instáveis, teimosas, desobedientes e irritáveis e, por isso, são geralmente repreendidas e punidas. 

Muitas vezes, o TOD é também confundido e considerado como uma forma mais moderada de um Transtorno de Conduta. Mas, existem algumas diferenças importantes entre esses transtornos. 

No caso do transtorno de conduta, a criança não aparenta ter remorso ou empatia para com a pessoa que sofre seus ataques. Já em crianças com TOD, são percebidos os sinais de remorso e, até mesmo, respostas bem emotivas. 

Essas respostas emotivas surgem a partir de um forte sentimento de frustração, que normalmente afeta negativamente as relações interpessoais das crianças. Por isso, é muito mais difícil manter bons relacionamentos seja em casa, na escola ou com os amigos. 

Sintomas do transtorno opositor desafiador

Os sintomas de Transtorno Opositivo Desafiador são diversos e, muitas vezes, podem ser confundidos com traços de uma personalidade difícil ou com outros transtornos, como por exemplo o déficit de atenção. Por isso, é importante ficar atento e procurar ajuda de um especialista sempre que preciso. 

A criança opositiva-desafiante tende a ter sua vida bastante impactada pelos sintomas. Isso acontece justamente pela dificuldade de compreender que essas atitudes são sintomas de um transtorno que pode e deve ser tratado. 

Os principais sintomas de transtorno desafiador de oposição são:

  • Ansiedade
  • Irritabilidade
  • Comportamento agressivo
  • Provocar e desafiar adultos
  • Agitação
  • Desafiar regras
  • Dificuldade em controlar as emoções
  • Frustração ao ser repreendido
  • Ter reação de choro, birra ou agressividade

Associação com outros transtornos

Segundo a psicóloga especialista do Zenklub Katia Valvezan, o Transtorno Opositivo Desafiador muitas vezes vem acompanhado de outros transtornos como por exemplo:

  • TDAH – Transtorno e Déficit de Atenção com Hiperatividade,  
  • TEA- Transtorno do espectro autista, 
  • Transtornos de humor e de ansiedade

Ela ressalta ainda que o grande diferencial para o diagnóstico, é a frequência da irritabilidade no relato dos pais e da escola. 

Quais são as opções de tratamento para o Transtorno Opositor Desafiador?

Um dos maiores questionamentos sobre o Transtorno Desafiador Opositivo é como tratar? Bom, o ideal é que o tratamento seja diverso e aborde várias áreas da vida da criança. 

Ou seja, é importante que a criança tenha o acompanhamento de um especialista na terapia, faça uso de remédios quando houver o diagnóstico de algum outro transtorno que tenha essa necessidade e receba apoio em casa e na escola.

Terapia para tratar TOD 

A psicoterapia é fundamental para ajudar crianças com Transtorno Opositivo Desafiador. Isso porque dessa maneira é possível tratar e ressignificar os comportamentos negativos que atrapalham o dia a dia e desenvolvimento da criança. 

Um dos tipos de terapia mais recomendados para esse caso é a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC). Nesse caso, o psicólogo vai buscar desenvolver junto da criança um maior autoconhecimento e autocontrole. 

Além disso, o terapeuta cognitivo-comportamental vai trabalhar na mudança da sua visão sobre o mundo e os acontecimentos, ajudando diretamente com o sentimento de frustração. 

Remédios para tratar TOD 

Em alguns casos, quando os sintomas são muito intensos ou o TOD está associado a outro transtorno, é necessário fazer o uso de remédios para melhorar a qualidade de vida da criança. 

Nesse caso, o psicólogo ou terapeuta deve encaminhar a criança para um psiquiatra. Vale lembrar que nesses casos a terapia é complementar e fundamental também. 

Educação para tratar TOD 

Para as crianças, é muito importante que exista apoio e compreensão dentro de casa e no ambiente escolar. Com informação sobre o transtorno é possível fazer uso de uma educação mais sensível e compreensiva. 

Para isso, o ideal é que tanto a família, quanto a escola, tenham informações suficientes para lidar com essa situação da melhor maneira possível.  

Como a família pode ajudar em um caso de TOD

Como já mencionamos acima, a família é uma rede de apoio muito importante quando a criança foi diagnosticada com Transtorno Opositivo Desafiador. Mas, lidar com isso não é uma missão fácil. 

Por isso, separamos algumas dicas do que a família pode fazer para lidar melhor e ajuda a criança opositiva-desafiante:

Trabalhe em conjunto com os educadores e especialistas

Esse é um dos passos muito importantes durante o tratamento, é preciso que todo o trabalho feito na terapia tenha um reflexo dentro de casa e na escola. Superar e aprender a lidar com esse transtorno é muito difícil para a criança também. Por isso, é fundamental que todos os seus ambientes de convívio facilitem isso. Comunique-se com o terapeuta e educadores do seu filho e estabeleça uma unidade segura e coerente.

Estabeleça uma comunicação clara

Um dos maiores desafios é superar a barreira entre a criança e a figura de autoridade. Para isso, é preciso ser claro sobre as regras e ordens dentro de casa. Tenha uma postura firme, mas ao mesmo tempo respeitosa e busque estabelecer os limites com clareza. 

Seja paciente e compreensivo

Assim como na terapia, busque reforçar aspectos positivos e melhora de comportamento da criança. Seja paciente quando as coisas saírem do controle e evite uma comunicação agressiva. 

Dica de especialista

A psicóloga do Zenklub Katia Valvezan ainda completa:

“Um ambiente familiar acolhedor, aliado ao tratamento medicamentoso e terapêutico contribuirá para que o paciente leve uma vida mais feliz. Rotina diária, atividades de relaxamento como meditação, pintura, música e esporte são atividades que contribuirão para a qualidade de vida do indivíduo com TOD.”

Percebi sinais de transtorno opositor desafiador: qual o primeiro passo?

Ao identificar sintomas do Transtorno Opositivo Desafiador o primeiro passo é procurar ajuda de um psicólogo. Esse especialista avaliará a recorrência e intensidade dos sintomas, definindo assim qual a melhor abordagem e tratamento.

A terapia familiar também pode te auxiliar a lidar melhor com essa situação. Então, não hesite na hora de procurar ajuda, você não precisa passar por isso sozinho. 

Se você sente que precisa de apoio, não hesite. Encontre um profissional para te ajudar. Bem-estar deve ser uma prioridade e é um direito de todos.

O Zenklub é a maior rede vídeo-consulta com especialistas em bem-estar emocional, onde você tem acesso a mais de 5000 especialistas a qualquer hora, de qualquer lugar.

Referências 

LEITE, Lucas de Holanda; CAMPOS, Eugenio de Moura. Transtorno desafiador de oposição em crianças: uma revisão da literatura brasileira. 56. 1; 38-43, 2016 

Serra-Pinheiro, Maria Antonia; Schmitz, Marcelo; Mattos, Paulo; Souza, Isabella. Transtorno desafiador de oposição: uma revisão de correlatos neurobiológicos e ambientais, comorbidades, tratamento e prognóstico. 

Psicóloga do Zenklub: Katia Soraia Gimenez Valvezan

Este artigo foi útil?

3.96

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub