A ansiedade é um reação natural que todos nós sentimos em algum momento. Porém, quando é muito intensa e frequente, ela afeta negativamente a vida das pessoas.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o brasileiro é o povo mais ansioso do mundo. Mais de 9% da população sofre de transtorno de ansiedade – além de termos uma das maiores taxas de depressão também. Mas, afinal, o que é ansiedade?

O que é ansiedade?

Ansiedade é um sentimento ligado à preocupação, nervosismo e medo intenso. No entanto, esse sinal de alerta é uma reação natural do corpo para ajudar em novos desafios e situações de perigo. Porém, quando passa a atrapalhar nosso dia dia, a ansiedade pode virar um distúrbio que precisa ser tratado.

O que pode causar a ansiedade?

Não se sabe ao certo as causas de ansiedade, mas há alguns fatores que podem facilitar o caminho para esse distúrbio:

  • Genética: histórico de transtorno de ansiedade na família
  • Traumas: como perda de alguém querido ou acidentes
  • Problemas na infância
  • Doenças físicas
  • Problemas cardíacos como as arritmias
  • Doenças hormonais como hipertireoidismo
  • Problemas respiratórios como doença pulmonar obstrutiva crônica
  • Abuso de drogas, álcool ou medicação

Veja também: A história real de 3 pessoas que venceram a ansiedade

Quais são os sintomas de ansiedade?

Os sintomas da ansiedade se manifestam tanto no físico, quanto no emocional. Confirma alguns exemplo abaixo:

Ansiedade: sintomas físicos

  • Respiração ofegante e falta de ar
  • Palpitações e dores no peito
  • Fala acelerada
  • Sensação de tremor e vontade de roer as unhas
  • Agitação de pernas e braços
  • Tensão muscular
  • Tontura e sensação de desmaio
  • Enjoo e vômitos
  • Irritabilidade
  • Enxaquecas
  • Boca seca e hipersensibilidade de paladar
  • Insônia

Ansiedade: sintomas psicológicos

  • Preocupação excessiva
  • Dificuldade de concentração
  • Nervosismo
  • Medo constante
  • Sensação de que vai perder o controle ou que algo ruim vai acontecer
  • Desequilíbrio dos pensamentos

Por isso, é preciso ficar atento a esses sintomas e caso eles passem a atrapalhar seu dia a dia você deve procurar ajuda.

Sobre isso, o psicólogo Massashi Saito cita:

É importante entender que ansiedade não é algo tão ruim. Ou seja, uma pessoa pode se sentir ansiosa quando acha que existe um risco futuro ou uma ameaça. No entanto, o problema é quando você perde o controle e a duração desse sentimento bem como não ter o controle daquilo que é real.

Clique na imagem para abri-la

Quais são os tipos de ansiedade?

Existem 5 tipos principais de ansiedade, são eles:

  • Transtorno de ansiedade generalizada

    O Transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é a combinação de uma preocupação excessiva com o estresse recorrente. Ou seja, a ansiedade passa a interferir na rotina.
  • Transtorno do pânico

    A síndrome do pânico é um transtorno de ansiedade. Nesse caso, a pessoa sente uma sensação forte de que está prestes a morrer e perdendo o controle. Além disso, a sensação pode ser descrita como um ataque do coração, mesmo que não haja um verdadeiro sinal de perigo.
  • Fobia social

    A fobia social, ou ansiedade social, é um dos tipos mais comuns e acontece sempre quando se está em público. Além disso, há também outros tipos de fobia, como a claustrofobia, medo de locais fechados, agorafobia, medo de ficar sozinho em locais públicos, aracnofobia, medo de aranhas, tripofobia, medo de buracos, que também fazem parte desses transtornos da ansiedade. No entanto, esses são referente a objetos, situações e pessoas.
  • Transtorno obsessivo-compulsivo

    O Transtorno obsessivo-compulsivo ou TOC é um distúrbio psiquiátrico. Nesse caso, é o medo de perder o controle ou ser responsável por algo terrível para si ou para os outros, como a culpa. Além disso, é caracterizado por movimentos repetitivos e comportamentos compulsivos.
  • Transtorno de estresse pós-traumático

    O Transtorno de estresse pós-traumático ou TEPT é causado por um trauma ou evento terrível. Ou seja, a pessoa passa por momentos de confusão e medo, recordando os mesmos sentimentos que sentiu durante o ocorrido.

O que você sente é medo ou ansiedade?

É comum confundirmos medo com crise de ansiedade. Por isso, você pode aprender a diferenciar os dois, ao perceber se esse medo está se tornando uma fobia.

Fobias exageradas ou medo em excesso também estão na lista de sintomas do transtorno de ansiedade. Ou seja, tanto o medo de que alguém entre em sua casa, ou de estar perto de muitas pessoas, a partir do momento em que isso se torna uma fobia, pode atrapalhar o seu dia a dia.

Teste de ansiedade

O diagnóstico de ansiedade e reconhecer que você tem um problema nem sempre são simples. Se você quer saber o seu nível de ansiedade, clique no link teste de ansiedade. Faça o questionário de 7 perguntas que tem duração de menos de 1 minuto. O teste é uma adaptação do teste científico Americano criado pelo Dr. Spitzer e Dr William (GAD – Generalized Anxiety Disorder 7).

Como controlar a ansiedade?

A adoção de um estilo de vida saudável é uma boa dica para prevenir e reduzir a ansiedade, assim como a mudança de hábitos diários. Sendo assim, fique atento a essas dicas que podem te ajudar:

Ir para a cama cedo

A privação do sono é um grande culpado da ansiedade. Ou seja, sono inadequado pode ampliar as reações antecipadas do cérebro, aumentando os níveis de ansiedade.

Utilize música para relaxar

Ouvir música reduz 65% dos níveis de ansiedade, além de ser uma atividade legal.

Acorde 15 minutos mais cedo

Como a maioria das pessoas ansiosas, você provavelmente está correndo pela manhã e gritando com todos a sua volta “Vamos atrasar!”. Então, diminua o ritmo e tente se preparar para um dia relaxado pela frente. No entanto, se você começar a se preocupar com a lista de tarefas, respire fundo e pense, há tempo suficiente.

Reduza cafeína, açúcar e alimentos processados

A cafeína e baixos níveis de açúcar no sangue podem causar palpitações cardíacas. Além disso, esses alimentos podem ser ruins para a sua saúde e atrapalhar no controle da ansiedade.

Meditação

Não é fácil praticar meditação, então experimente diariamente esse exercício por 5 minutos, se concentrando apenas na sua respiração.

Atividade física

Assim como para qualquer outro tratamento, movimentar o corpo e ter uma atividade física como hobby pode ajudar muito para um dia a dia mais produtivo e menos ansioso.

Não se culpe demais

Um dos trabalhos mais difíceis de um terapeuta é convencer uma pessoa ansioso de que os sentimentos de culpa e vergonha não são precisos. Ou seja, pensamentos negativos causam sentimentos negativos, e muitos deles são automáticos e inconsciente.

Procure ajuda

Ir a um especialista não faz de você uma pessoa doente, mas sim alguém que se cuida e que se preocupa com o seu próprio bem-estar emocional.

Meditação

Muitas pessoas vêm adotando a prática da meditação ou mindfulness como um hábito saudável. Além disso, essa é uma maneira poderosa de combater o estresse e a ansiedade.

Acompanhamento profissional

A terapia, seja ela com um psicólogo online ou presencial, é a sua melhor aliada na hora de diminuir a ansiedade e, enfim, tratá-la. Além disso, é o método ideal fazer as mudanças de vida que você precisa.

Sobre esse assunto, a psicóloga Marjorie Carvalho comenta:

Nossa mente está acostumada a sempre controlar tudo e se sente desconfortável ao menor sinal de freio.

Além disso, a psicóloga listou abaixo cinco dicas para quem quer começar a praticar a meditação.

Como tratar a ansiedade?

Existem algumas abordagens para o tratamento da ansiedade, como psicoterapia, e a combinação do tratamento psicológico com medicamentos específicos, como os ansiolíticos.

Desse modo, para detalhar melhor as oportunidades de tratamento, vamos esclarecer alguns pontos sobre terapia e medicamentos.

Psicoterapia

  • Psicanálise freudiana: baseada nos pensamentos de Freud, esse tipo de terapia é baseada no autoconhecimento. Além disso, foca no inconsciente para trazer os problemas para o consciente. É bastante utilizada em casos de ansiedade, pois ela busca na raiz dos pensamentos qual é o gatilho desse transtorno.
  • Psicanálise lacaniana: tem como foco a linguagem. Ou seja, parte dela para chegar à essência do que somos, ao nosso ser.
  • Psicanálise junguiana: Busca o autoconhecimento e procura reconhecer o que temos como essência. Ou seja, o tratamento é feito por símbolos, utilizando os sonhos e imagens oníricas.
  • Gestalt: trabalha a pessoa e as suas relações no ambiente em que ela está vive, levando ela a se tornar o observador da sua própria existência para enfim conseguir enxergar o todo. É também considerada uma terapia holística, ou seja, ela procura ver o todo.
  • Terapia cognitivo-comportamental (TCC): trabalha com foco na em problemas específicos, como por exemplo traumas e fobias.

Além disso, se quiser saber mais sobre tipos de terapia confira nosso post completo sobre isso.

Medicamentos

  • Ansiolíticos: ajudam a amenizar os sintomas, mas não trabalha a causa do problema. Os ansiolíticos agem de muitas formas e isso está ligado com a atuação no sistema de neurotransmissão. Além disso, muitos desses remédios aliviam sintomas físicos em fases mais graves da doença e os níveis de hiperatividade cerebral.
  • Antidepressivos: não causam tanta dependência no paciente e possuem uma forma de tratar mais amena, sem grandes riscos. Por isso, os mais indicados são os antidepressivos que atuam na serotonina.
  • Antipsicóticos: podem ser muito bons no tratamento em momentos mais críticos, e assim como os ansiolíticos, não tratam a causa do problema, apenas aliviam sintomas emocionais e físicos.

Além disso, não se preocupe caso esses nomes pareçam difíceis à primeira vista. A melhor indicação será mesmo de um especialista no assunto. Por isso, você deve conversar com um psicólogo online e descubra qual o melhor caminho a seguir.

Continue lendo

Agora que você já conhece os princípios da ansiedade e sabe como se tratar, aprofunde-se no assunto: dá uma olhada nessa lista de filmes sobre ansiedade. Aproveite e conheça também nosso podcast.

Este artigo foi útil?

3.99

Você já votou neste post

Publicado por:

Zenklub

Publicado por:

Zenklub