Improviso é criatividade e genuinidade

08 dezembro, 2020 |

Você já votou neste post

Onde ouvir também:

Quantas coisas não somos capazes de criar quando crianças? Somos criativos desde a infância mas, ao longo da vida, vamos nos esquecendo da habilidade do improviso. Segundo o psicanalista Donald Winnicott, os bebês são seres naturalmente criativos porque estão a todo momento criando esse mundo, ao qual agora fazem parte.

Na vida adulta, as coisas costumam caminhar para o lado inverso. Nas palavras do apresentador e palestrante Márcio Ballas, especializado em improviso, “o adulto vai ficando cada vez mais sisudo, cada vez mais sério e deixa de arriscar”. E foi no improviso que ele encontrou o que procurava: essa parte de nós livre de julgamentos e cheia de energia para criar o novo e lúdico.

As principais ferramentas do trabalho de um improvisador é a aceitação (do contexto), o foco no momento presente e a capacidade de jogar com o que está acontecendo. Um dos grandes momentos da encenação é quando um parceiro de cena erra ou comete um deslize e você está tão presente na situação que consegue inverter o jogo e consertar aquilo. É aí que a plateia vibra!

Estar presente é uma arte

Com frequência ouvimos sobre a “importância de estar presente”, principalmente em técnicas como mindfulness ou meditação. Mas o que isso realmente significa?

No dia a dia, podemos notar o quanto estamos sempre com alguma preocupação tomando grande parte dos nossos pensamentos, sejam culpas e ruminações antigas ou anseios pelo futuro, do que focando no aqui e no agora.

É comum nos desviarmos do que estamos fazendo, indo de um pensamento para outro. O mundo moderno colocou, e muito, a todos no modo automático.

E no que isso implica? Comumente, tem mais efeitos negativos do que positivos, como esquecimento, falta de foco, entre outras coisas.

Daí que entendemos o benefício de se estar presente: é a qualidade maior no processo de aprendizagem, atenção, foco, equilíbrio como um todo, entre corpo e mente. 

Como diria Márcio Ballas:

“O improviso é a arte do aqui e do agora. E estar presente é estar com a nossa atenção ali, plena. Essa disponibilidade pro outro, pro momento, pra situação. Pessoas que são assim são melhores vendedoras, melhores jornalistas, melhores em tudo, melhores na vida!”

Estar presente influencia na criatividade


Para Márcio, a criatividade é uma competência que cada vez mais a gente tem que ter para achar novas soluções para os problemas que surgem no cotidiano, para sermos melhores num contexto geral. 

“A diversidade é um flexibilidade criativa. Entender que a pessoa é diferente de você é bom pro processo criativo, porque pessoas diferentes trazem ideias diferentes, insights diferentes, inputs sobre algo. E isso vai fazer nossa vida ficar mais rica, mais inovadora!”

Estar no momento presente, aceitar o erro, tirar o julgamento, brincar e se divertir são alguns dos princípios que serão trabalhados com o improviso. E é nesse sentido que ele é engrandecedor. 

Mas o improviso nunca pode ser uma terra sem lei ou algo que se faz com tanta espontaneidade que desconsidera o contexto, o humano e o real por trás de tudo: e é por isso que essa técnica precisa ser praticada. 

“Pode tudo, mas não pode qualquer coisa. É preciso bom senso.”

Convidado

Márcio Ballas

Humorista, improvisador, apresentador e palestrante nas áreas de criatividade.

Mostrar comentários

Deixe seu comentário

13524