Formação psicanalista: essas certamente são as duas primeiras palavras que vêm à cabeça de quem pensa em seguir essa profissão. Isso porque a psicanálise está entre as áreas que estuda a saúde mental, assim como a psicologia e a psiquiatria.

No entanto, ainda que essas três profissões tenham o mesmo objetivo, de preservar a integridade psíquica e ajudar no desenvolvimento da pessoa, elas têm grandes distinções, como estudo e metodologia.

Quando falamos em psicologia e psiquiatria há uma certa familiaridade entre esses temas. Isso porque a formação, atuação e mercado de trabalho são mais comuns por causa de sua popularidade.

Todos sabemos que a terapia é uma prática necessária para todas as pessoas. Afinal, é importante falar sobre suas questões internas para, assim se tornar uma pessoa bem resolvida. Já quando os problemas emocionais afetam a saúde, têm reações físicas ou mesmo patologias, sabemos que é melhor buscar ajuda de um psiquiatra.

Mas em relação à psicanálise, ainda há muitas dúvidas. Por exemplo, o que é a psicanálise? Quando procurar um psicanalista? Como fazer para me tornar um psicanalista? Como entrar no mercado de trabalho?

Mas não se preocupe, nesse post vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Mas, afinal, o que faz um psicanalista?

O trabalho do psicanalista é um pouco parecido com o do psicólogo por envolver sessões de terapia e conversas sem a prescrição de remédios. Mas, a abordagem e a metodologia são bem diferentes.

O que é psicanalista? Esse profissional foca no autoconhecimento. O foco é estimular a pessoa a acessar suas memórias mais internas, como sonhos, desejos, traumas e outras experiências.

Dessa forma, ele tem o papel de analisar as falas da pessoa, achar suas falhas, sentimentos reprimidos e assim, ajuda na busca pelo equilíbrio do eu-interior.

O trabalho do psicanalista se baseia nos estudos do médico Sigmund Freud, que criou a psicanálise. Ou seja, segue a ideia de desvendar o inconsciente, o qual Freud acreditava ser o responsável por controlar a pessoa.

Por isso, o psicanalista estuda o inconsciente. Como por exemplo, a interpretação de sonhos e a prática de transferência. Ou seja, quando o paciente transfere o que sentia por alguém do passado para uma pessoa que está agora em sua vida.

Como é uma sessão de psicanálise?

Uma sessão de psicanálise pode durar 50 minutos e ter uma frequência de cerca de 3 a 5 encontros por semana. Desse modo, o profissional pode chegar inconsciente da pessoa e manter a conexão mais fresca.

Além disso, essa convivência faz com que a pessoa se abra mais sobre os fatos mais recentes. Assim, o resultado é melhor e mais eficaz.

No final do tratamento, é possível dizer que o psicanalista fez um bom trabalho quando o paciente passa a lidar com as coisas do dia a dia de maneira mais tranquila, sem a sombra do passado.

Como ser psicanalista?

Para se tornar psicanalista é necessário ter um curso reconhecido de psicanálise. As instituições reconhecidas, como a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, exigem formação anterior em psicologia, medicina ou na área de humanas, como história, filosofia, sociologia, antropologia e letras.

Nesse curso, o material de estudo é baseado nos conceitos de Freud. Além da parte teórica, há a parte prática, na qual o aluno irá fazer análises, para aprender e vivenciar o relacionamento entre profissional e paciente. Por fim, é realizado o estágio na área, supervisionado por psicanalistas experientes.

Psicanalista: salário e atuação

O salário de um psicanalista varia muito de acordo com a sua atuação e região do país. Em média, um psicanalista em São Paulo ganha em torno de R$4.255,76 para trabalhar 40 horas semanais. Já a média salarial no Brasil é de R$3.116,00.

A área de atuação do psicanalista é bem vasta. É possível atuar em consultórios, clínicas médicas, hospitais, postos de saúde, ONGs, varas judiciais, sistema penitenciário, indústrias, setor de RH, escolas, creches e em assistência social. As opções são muitas e por conta disso, a abordagem deve ser diferenciada para cada público.

Hoje em dia, em meio à pandemia do novo coronavírus, passamos por diversas adaptações para conseguir seguir a vida normalmente. Por isso, uma aliada dessa nova realidade é a tecnologia. Hoje em dia adotamos a forma online de resolver o dia a dia, seja para estudar ou trabalhar, seja para continuar o tratamento psicológico.

Dessa forma, o Zenklub é uma ótima plataforma para os profissionais continuarem o seu trabalho e conseguirem novos clientes. Conheça o nosso site e faça parte do time de psicanalistas associados.

Este artigo foi útil?

5

Você já votou neste post

Publicado por:

Rui Brandao

Publicado por:

Rui Brandao

Rui Brandão é médico, com experiência em Portugal, Brasil e Estados Unidos da América, e mestre em Administração pela FGV em São Paulo. Hoje é CEO & Co-fundador do Zenklub, plataforma de saúde emocional e desenvolvimento pessoal que oferece conteúdos, profissionais e ferramentas especializadas para mais de 1.5 milhões de pessoas no Brasil.